Thursday, January 31, 2008

 

Exercício da Vida


A vontade da alma


As escolhas mais decisivas para o curso da vida partem do centro do ser, da nossa alma. Mas, embora seja ela que determine os rumos básicos que temos de seguir, a personalidade, o nosso eu externo, também possui certo poder de decisão.

Como personalidade, usamos o livre-arbítrio, e por meio dele aprendemos a escolher. É pelo exercício de inumeráveis escolhas que vamos aprendendo a abandonar o que prejudica a evolução, até o momento em que começamos a perceber a voz da alma e a sermos atraídos por ela.

A capacidade de decisão da personalidade varia, portanto, segundo os graus evolutivos que vamos atingindo, varia de acordo com nossa abertura para o mundo da alma.

Essa capacidade de decisão é bastante forte e dominante enquanto nos deixamos conduzir pelos aspectos materiais do nosso ser: o físico, o emocional e o mental. Redimensiona-se gradualmente, todavia, à medida que optamos pela evolução superior. A partir dessa opção, a vontade da alma vai prevalecendo nas nossas escolhas. Passamos a aceitar razoavelmente a orientação interior, a permitir que nos conduza os atos.

Quando transferimos nossas decisões para a alma, dela começam a vir provas para nos purificar e oportunidades para evoluirmos. A personalidade então vai-se tornando mais flexível e obediente e, por fim, compreendemos qual é a nossa tarefa como alma encarnada.

Para cumprir essa tarefa necessitamos de indicações internas, provindas da alma, que conhece as leis evolutivas e o nosso destino. Assim, quando nos entregamos à vontade da alma, quando é ela que nos guia os atos, consuma-se o que está previsto para nossa vida sobre a Terra.

O caminho à frente

Um período de purificações e ajustes antecede a vida regida pela vontade da alma. Desse período pode fazer parte o que costuma chamar de "fase do arrependimento".

No sentido espiritual, arrependimento é a predisposição para reconhecer erros e imediatamente agir de modo a equilibrá-los. Não é apenas lamentação e não deve ser confundido com a tendência de chorar pela dor que causamos ou de pedir desculpas sem que nada se transforme em nós. A lamentação por si só não tem valor evolutivo; só deprime e perturba nosso equilíbrio, e nada resolvemos com ela.

O arrependimento verdadeiro é um impulso para sanar as desarmonias que causamos no passado. Se nos arrependemos dessa maneira, isto é, se passamos a agir equilibradamente, preparamo-nos de fato para novas etapas do caminho.

Como evoluímos por ciclos, há prazos estabelecidos internamente para darmos certos passos. Cada ciclo nos oferece uma série de oportunidades, que pela lei do carma ficam disponíveis. Se não as acolhermos, teremos dificuldade de, no final do ciclo, passar para o seguinte.

Em outras palavras, o curso correto da evolução seria cumprirmos os ciclos, não deixarmos para depois o que podemos fazer agora. Contudo, se não conseguirmos dar os passos previstos, teremos de algum modo outras oportunidades de evolução, pois vivemos num universo regido pela lei do amor. Assim, se temos de repetir um ciclo, podemos aplicar o que já aprendemos. Se nos deixarmos levar pelo aspecto negativo de nosso "fracasso", nada mais seremos que instrumento de provas para os que estão cumprindo etapa semelhante. Mas, se adotarmos atitudes positivas, podemos ser um estímulo ao avanço para todos, que usufruirão nossa experiência anterior de queda.

Servir pela lei do amor

Quando já estamos sendo guiados pela alma, amplia-se mais e mais a nossa capacidade de servir, de ajudar os semelhantes. Vemos dentro de cada ser uma essência espiritual. Sabemos que todos vêm da mesma fonte criadora, e que o amor é a primeira lei do sistema solar. Assim, a todos tratamos naturalmente com amor, inclusive ao que apresentam características diferentes da maioria, ou alguma limitação.

Pela lei do amor, todo ser tem seu lugar no universo, onde melhor pode desenvolver sua aptidão, sua forma de doar-se. Mas ninguém é capaz de reconhecer esse lugar usando somente a mente ou o desejo de servir. Apenas no profundo do nosso ser sabemos onde está.

Para chegarmos a esse conhecimento e nos tornarmos mais úteis, devemos focalizar os níveis internos da consciência com fidelidade, constância e desapego. É desses níveis que emana a sabedoria necessária para ajudarmos o próximo sem interferir em seu destino. O fundamental é ter essa busca interna como prioridade em nossa vida. É a partir disso que nossos dias se vão tornando puro serviço da alma, em benefício de qualquer pessoa que precise de auxílio.

Que é o amor?

O amor é a capacidade de coesão, de união. Se não existisse, prevaleceriam no universo as forças contrárias à unidade, e este se desintegraria. Isso é verdade também para todos os seres que habitam o universo, que fazem parte dele.

O amor mantém os átomos reunidos e integrados e dinamiza o desenvolvimento da consciência em todos os graus de expressão.

Há consciências e pessoas que canalizam com pureza a energia do amor, manifestam-no impessoalmente, sem apego ou possessividade. Mas, por enquanto, essa expressão mais límpida do amor é em geral misteriosa e desconhecida, pois a maioria o confunde com afeições pessoais, com possessividade e dependência.

Devido ao ser humano comum ainda se polarizar no nível emocional e no instintivo, sua genuína necessidade de integração - em si mesmo e no universo - é por ele interpretada como necessidade de complementar-se com um semelhante. Busca então o amor fora e, por esse movimento, não estabelece contato com a fonte de amor, que se encontra no interior de si mesmo.

No caminho do descobrimento do amor universal e puro, podemos ficar estacionados em uma de suas etapas, apegados a pessoas ou a situações. Por não o compreendermos como uma energia cósmica, infinita, desconhecemos que encontramos uma expressão dele mais profunda e abrangente toda vez que renunciamos aos nossos objetos de amor.

É a sabedoria que traz essa compreensão e dissolve ilusões emocionais e mentais. A sabedoria, aspecto mais elevado do amor, traz a sensibilidade interior, o conhecimento intuitivo da real necessidade dos demais seres. Portanto, dá-nos a capacidade de ajudar sem interferir.

A sabedoria indica a direção real e correta a ser seguida. Pertence ao coração, e não à mente analítica e discriminadora. O amor-sabedoria traz compreensão sem requerer pensamentos lógicos, e nele não há enganos nem ilusões.

E se nos perguntarem como chegamos ao amor-sabedoria, responderemos que se trata de um caminho misterioso, trilhado pela renúncia ao que já foi conseguido e pela oferta desinteressada e incondicional do melhor que existe em nosso ser.

Amor sábio e amor comum

O amor é sábio quando libertador, curativo e impessoal, quando nos leva ao encontro das necessidades dos semelhantes e do universo em que estamos inseridos. Movidos por ele, estabelecemos metas em consonância com a evolução da vida. O amor sábio nos impulsiona a buscar o essencial e não as aparências, sempre efêmeras. Faz-nos ver o que há de positivo em cada circunstância, sem nos deixar limitar por nada.

O amor sábio não se restringe ao reino humano. Transfigura e aperfeiçoa tudo o que toca. Assim, o que está limitado se expande e se integra no que é a sua mais interna essência.

O amor sábio torna o ser humano compassivo e disponível para tudo e para todos. Devotado à consumação de propósitos elevados, é irradiado por fontes cósmicas.

O amor comum, por sua vez, leva o ser a identificar-se com aparências e circunstâncias. Está sujeito ao ritmo da evolução natural, que tem avanços e recuos. É, portanto, incerto e sofre influências das forças antagônicas, que restringem a pessoa sobretudo a resolver problemas de subsistência no plano físico, a satisfazer carências várias no emocional e a manter preconceitos no mental. Nesses planos há muitas carências, e o engano dos que são movidos pelo amor humano, comum, está em considerá-los o único instrumento de ação e de vida existente.

As decepções do amor humano levam o ser a descobrir as infinitas possibilidades do amor-sabedoria e a necessidade de vivê-lo. Com o brotar da sabedoria, sua consciência é atraída para níveis internos, e o alimento que dali flui transforma-o inteiramente.

Fonte: Síntese de palestra de Trigueirinho.

Labels:


 

Oscar Quiroga - 102


SÓ FALTA UM DETALHE


Enquanto isso, aqui na nave Terra nossa humanidade não deve buscar a oportunidade longe do lugar em que se encontra, pois esta se encontra disponível onde estamos, na família que constituímos e na vida cotidiana que levamos. Isto vale para todas as pessoas, porém, só as de boa vontade, que estão prestes a transfigurá-la em vontade para o bem, terão olhos lúcidos o suficiente para percebê-la, e por isso aproveitá-la também. A oportunidade será encontrada na atenção dada aos deveres, no esforço empreendido para superar as dificuldades e, principalmente, na íntima aderência ao que é sagrado, pois sem este detalhe nada demais acontecerá com ninguém, e nenhuma oportunidade se revelará. Tudo está certo em sua forma, só falta o espírito fertilizar a forma.

Labels:


Wednesday, January 30, 2008

 

Corpo Físico em Estado de Jinas


A Gnose informa que é possível colocar nosso corpo físico em uma condição chamada "estado de jinas". Isto poderia ser conseguido usando algumas práticas. Isso seria semelhante a uma projeção astral na qual levamos conosco o corpo físico, inserindo-nos em uma quarta dimensão (hiperespaço). Com isso, o corpo físico passaria a ter uma série de possibilidades, impossíveis na situação normal da terceira dimensão, tais como:

1. Levitação do corpo físico: algo semelhante ao que Jesus fez para poder "caminhar (levitar) sobre as águas" e também explicaria as viagens das bruxas pelos ares, em cima de suas vassouras... e explicaria a levitação de objetos (em estado de jinas) conhecidos como discos voadores...;

2. Atravessar objetos sólidos sem causar danos ao corpo físico: com isso pode-se fugir de prisões, como feito pelo apóstolo Pedro, auxiliado por um Mestre Jinas ("Anjo do Senhor"), segundo relato da Bíblia;

3. Mudar a aparência (forma) do corpo físico, algo chamado de shape-shifting, em inglês: isso poderia explicar algumas transformações da forma humana para outras, como para a reptiliana e para a de outros animais (no asno das lendas gregas, no lobisomem do folclore ocidental, etc);

4. Transladar o corpo físico para qualquer local, inclusive para fora do planeta Terra;

5. Exercer a ubiqüidade, isto é, projetar o corpo para vários locais, ao mesmo tempo, exercendo atividades distintas em cada um desses locais;

6. Tornar o corpo físico invisível (desmaterialização, desaparecimento do corpo): Jesus estaria vivendo em Shambala (cidade na Ásia), ambos em estado jinas invisível. Poderíamos ver Jesus e Shambala se colocarmos nosso corpo físico em estado de jinas e tivermos permissão (méritos) para isso;

7. Acessar informações do passado (viajar no tempo): Tudo que ocorre na Natureza fica registrado em certas dimensões (as estrelas que vemos hoje no céu são registros do passado do Universo, nosso DNA registra nosso passado, etc), que são conhecidos como os Registros do Akasha. Em estado de jinas podemos ter permissão (se tivermos méritos) de acessar esses registros (ou parte deles) e conhecermos o que aconteceu no passado deste planeta e com nossas encarnações anteriores.

Existiria todo um mundo paralelo ao nosso que estaria em estado de jinas. Civilizações evoluídas (e todas suas construções e cidades), anteriores à nossa, estariam atualmente vivendo nesse hiperespaço e poderiam ser contactadas na atualidade, como os maias, etc.

Uma forma de se caminhar para atingir este estado de jinas (ter os méritos necessários para atingir esse estado) parece envolver a prática de magia sexual, que consiste, para os homens, em manter relações sexuais sem ejacular o sêmen, desta forma favorecendo a subida da energia Kundalini pela coluna vertebral, em direção à cabeça. Se houver perda do sêmen, a energia kundalini desce e contribui para a geração do rabo diabólico no plano astral. No estágio final, parece que para entrar em estado de jinas é comum o auxílio de seres que já se encontram permanentemente nesse estado, quando estamos prestes a dormir (já em estado de sono), gerando algo semelhante a um sonambulismo voluntário e consciente.

Irei inserindo mais informações nesta postagem na medida em que me informe mais sobre este assunto.

Para saber mais:
1. http://br.geocities.com/sabedoria_gnostica/estadojinas.html
2. http://www.astrologia-esoterica.com.br/Curso%20de%20Projeciologia%20-%20Viagem%20Astral.html
3. http://www.viagemastral.com/gva/viewtopic.php?f=4&t=228
4. http://sofadasala.vilabol.uol.com.br/noticia/22022007.htm

Labels: , , ,


Tuesday, January 29, 2008

 

Mensagem de Mãe Maria: Introspecção

“Amados Filhos,

Que as bênçãos do amor tragam paz aos vossos corpos, mentes e corações.

Introspecção; é tempo de introspecção!

Amenizai, pois a força dos vossos sentidos físicos, que os mantém fortemente ligados à realidade ilusória da 3ª dimensão, para que possais vos interiorizar, deixando que vossos corações vos apontem os nós em vossas vidas que ainda precisam ser desatados por cada um de vós.

O que vos prende, amados, o que ainda vos machuca, vos limita, vos mantém escravos de pessoas, de idéias, de preconceitos?

Não há liberdade sem honestidade, sem transparência, sem compreensão, lembrai-vos!

Sejais honesto e transparente com vós mesmos, para que possais olhar vosso passado da perspectiva daqueles que compreenderam o propósito de suas vidas.

Muito do que deixastes pendente em vossas vidas passadas, e também nesta vida, ainda permanece como sombras a impedir que a plenitude da luz possa imperar soberana em vossa realidade devolvendo-vos a beleza da vida para ser vivenciada a cada passo, reconhecida a cada pensamento, expressada a cada manifestação do sentimento sublime a que chamais amor.

Amor, amados, é a freqüência de luz que vos mantém no estado de graça onde tudo é perfeição.

Buscai, pois revelar vossa perfeição expressando só amor em vossas vidas.

Limpai, purificai e transformai vossos sentimentos discordantes, as situações de discórdia que criastes em vosso mundo, os desencontros, as incompreensões, os apegos, as dores, todos os desentendimentos que vos mantém separados de outros seres, vos mantém a parte de situações das quais sabeis serdes sim, ainda, protagonizadores e cujo isolamento faz vossos corações sangrarem e vossas vidas perderem muito do brilho em face da inexistência da Ordem Divina.

A Ordem Divina só se faz presente onde existe equilíbrio, e o equilíbrio somente se faz presente onde a densidade dos sentimentos menores foi purificada, onde a ilusão do mundo das aparências já foi reconhecida, onde a verdade se expressa sempre, independentemente das conveniências, onde o amor brota e se expande incessantemente em todas as situações.

Aproveitai, pois amados, as águas da purificação que se derramam em vosso planeta neste período de quaresma que antecede mais uma páscoa de redenção.

Mergulhai nessas águas, amados, mergulhando no mais profundo do vosso ser para reconhecer, reconhecer, reconhecer todos os nós do vosso passado que ainda permanecem em vossas vidas, impedindo-vos de exercitar vossa liberdade, para manifestar vosso livre-arbítrio com a consciência de que só o amor e o perdão podem abrir as portas que vos conduzem ao mundo novo onde paz e abundância, fraternidade e equilíbrio são as forças que sustentam a total integração dos Filhos da Luz.

Bem amados, deixai, pois de lado a inércia que vos transforma em robôs que aceitam o comando das forças ilusórias que ainda imperam em vosso planeta, para assumir o comando de vossas vidas, principiando por deixar que todas as mazelas saiam das sombras para emergirem claras em vossas mentes; aceitai então enfrentá-las, permitindo que vossos corações tracem o norte, seguindo com muita fé e determinação, sem nunca esmorecer, os impulsos que ele libera para que as fantasias do passado sejam definitivamente banidas de vossas vidas, através de vossas condutas firmes e conscientes, onde o propósito maior de vossas existências se sobrepõe soberano às pequenas e ilusórias conquistas que vos tem sido ofertadas pela influência de vossos egos.

Lembrai-vos que o trabalho de purificação é árduo, exigindo de todos muita fé e determinação, e que a vitória sobre a gama de sentimentos densos que ainda povoam vossas existências só acontece se conseguirdes manter claro o vosso objetivo, aquele que vos trouxe a experiência na 3ª dimensão, o objetivo de manifestar a perfeição de que sois portadores para, através dela, resgatar o mundo da verdade onde a felicidade impera soberana para todos os Filhos da Luz.

Bem amados, que vossas orações se intensifiquem mais e mais durante todo o período desta próxima quaresma, e que a firmeza de vosso propósito em servir à luz faça de todos vós canais e exemplos da verdade que se avizinha neste tempo, a verdade de que é possível sim não mais se deixar contagiar pela força do inconsciente coletivo que, alimentada das energias densas e negativas liberadas em vosso mundo, continua mantendo os Filhos da Terra na escravidão sustentada pelo ego-personalidade de cada um.

Que a alegria esteja sempre presente neste período de introspecção, sustentando a freqüência do amor incondicional em vossas vidas e em vosso planeta, e que ela possa ser encontrada não na confusão e no caos presentes nas mentes entorpecidas pelos sentidos físicos, mas sim na limpidez de mentes e corações que buscam a confraternização com suas presenças Eu Sou, sua parte divina que reconhece e sustenta a luz.

Bem amados, Eu vos deixo agora derramando sobre todos vós as minhas bênçãos e envolvendo a todos no meu manto de proteção, porque Eu Sou Maria, Vossa Mãe”.

São Paulo, 29/01/08.

Mensagem de Mãe Maria-03-2008-

Recebida por Jane M. Ribeiro.

Labels:


 

Em Nome da Clareza


Uma percepção da realidade


Como perceber o que é real e o que é fruto da imaginação quando nos chegam informações e notícias sobre civilizações intraterrenas e extraterrestres e suas manifestações externas?

O contato com seres dessas civilizações avançadas era normal em épocas passadas, como no auge da cultura egípcia, da indiana, da maia e de outras que atingiram elevado nível de desenvolvimento. Naqueles tempos pretéritos, a visão que se tinha do universo era menos materialista, e isso facilitava o relacionamento com os seres que vinham de outros sistemas para auxiliar a evolução da Terra e do homem.

Tanto no passado como hoje, a clareza sobre esse assunto vem da visão espiritual. É que a mente, as emoções e os sentidos físicos captam apenas as dimensões materiais e concretas da vida, e não penetram realidades profundas, de outras dimensões do universo e de níveis de consciência mais sutis.

No universo há vários planos de vida e consciência, cada um regido por suas próprias leis. Assim, o que é real em um plano pode não ser em outro. Materializações de objetos ou de seres extraterrestres, por exemplo, são tidas como não-realidade nos planos mais densos. Se transcendermos esses planos, fenômenos dessa natureza deixam de acontecer ou se dissolvem na compreensão mais vasta que adquirimos.

Se um fenômeno ocorre, é preciso ver se é benéfico, isto é, se em contato com ele ampliamos a consciência e nos transformamos. Enquanto for um estímulo para o nosso desenvolvimento, pode estar inserido na realidade que vivemos, e vibramos no mesmo nível em que ele acontece.

Mas podemos transcender o nível de ocorrência dos fenômenos. Assim, o que era verdadeiro para nós deixa de ser, e novos aspectos da realidade que não percebíamos se revelam.

De modo geral, à medida que vamos evoluindo, perdemos progressivamente o interesse por manifestações fenomênicas e elas, assim, deixam de nos suscitar questões.

A vida além dos fenômenos

É comum que os extraterrestres e os intraterrenos presentes na órbita da Terra se manifestem por meio de luzes, e que algumas transitem no céu. Por ser o mecanismo de percepção humano mais desenvolvido no nível material, costumamos detectar esse tipo de manifestação e não outros, sutis e inacessíveis aos sentidos físicos.

Tais luzes, hoje bastante conhecidas, são apenas a forma externa com que esses seres evoluídos se apresentam, assim como o corpo físico é apenas um revestimento da nossa essência espiritual.

A função dos extraterrestres e intraterrenos entre nós não é gerar fenômenos, e para compreendê-los mais profundamente teríamos de transcender a necessidade de assistir a suas aparições, teríamos de deixar de encará-las como meras curiosidades ou objetos de pesquisa.

A busca de fenômenos é um obstáculo ao desenvolvimento de aspectos mais sutis da consciência, aspectos mais universais. Esse desenvolvimento é para aqueles que completam o desenvolvimento da mente concreta e dão início às incursões pelos níveis supramentais da vida. Para esses, que se aproximam das leis imateriais, a concentração em fenômenos bloqueia o caminho à existência sem formas que se desenvolve nos níveis divinos do cosmos.

É bom ter claro que a busca de fenômenos não se limita à visão de coisas extraordinárias. Há, por exemplo, pessoas que, à procura de segura orientação, apresentam indagações ao seu eu superior e depois esperam respostas sensíveis, como as que receberiam pelo telefone; por estarem começando a firmar o relacionamento com o próprio eu interno, querem diálogos, imagens, sonhos ou materializações bem concretas. Todavia, é preciso ir além e ingressar em outros estados de percepção e de consciência.

A resposta a uma indagação emitida aos nossos níveis mais profundos nunca vem como esperamos. Algumas vezes a falta de resposta sensível é uma prova à nossa fé, e a maneira como reagimos a esse silêncio pode ser uma indicação do que precisamos aperfeiçoar em nós: a confiança em algo impalpável, existente no âmbito de leis menos concretas. Ademais, se pretendemos determinado tipo de resposta, se temos expectativas, a que nos for dada pode passar despercebida.

Mas há uma forma de transcender o interesse por fenômenos, de abandonar a necessidade de impulsos sensíveis e de manter contato com a realidade imaterial. O caminho para isso é o desapego, do qual falaremos a seguir.

Desapego

O planeta encontra-se numa fase muito especial de sua evolução e passa por profunda mudança. O desapego é fundamental para os que a estão acompanhando, pois sem desprendimento pelo que já é conhecido não seria possível ingressar livremente no que está pra vir [vide postagens do Quiroga].

O desapego deve deixar de ser mero conceito para os que procuram vivê-lo. Não deve ser apenas uma palavra acolhida com boa vontade, mas a superação efetiva dos laços terrenos e do conhecimento atual.

O desapego é sempre necessário para ampliarmos a compreensão, para contatarmos o que ainda não foi desvelado. Assim, tudo o que captamos, descobrimos, compreendemos e vemos deveríamos soltar tão logo tenha cumprido o seu papel de nos ensinar alguma coisa. Mas deveríamos desapegar-nos com amor e gratidão, cientes de que o objeto de nossa renúncia pode ser útil para os que estão em outros pontos evolutivos, ou até voltar a ser útil para nós mesmos em uma etapa posterior da vida.

O desapego ajuda-nos a ir além do nível dos fenômenos e coloca-nos em contato com o essencial, com o que não é efêmero e cujas raízes se encontram em planos mais profundos. Se presistirmos na intenção de nos desapegar, as provas do dia-a-dia mostram-nos quão desprendidos estamos da existência material e daquilo de que ainda devemos despojar-nos.

À medida que nos desapegamos, o que ocorre em nossa vida física não nos afeta tanto e já não aplicamos tempo nem energia na análise de fenômenos. Aproveitamos, isso sim, todas as provas que ela nos traz como oportunidades de nos transformarmos.

O desapego é o principal fator na busca de uma vida mais avançada. Mesmo que haja organização, dedicação, pontualidade, obediência e autocontrole, mesmo que muitas virtudes já se façam notar em nosso ser, sem o desapego tudo isso pouco vale para a compreensão da realidade nos planos internos.

Se não damos excessiva importância às coisas fenomênicas e externas, elas deixam de ser um obstáculo para penetrarmos os níveis profundos da consciência e podem até ajudar-nos a fazê-lo.

Libertação

Com a prática do desapego percebemos que a maior parte do nosso ser e do universo não está nos níveis em que normalmente somos conscientes. Só um pequeno reflexo da nossa essência se encontra no que pensamos, sentimos ou fazemos. O que há de mais significativo na existência vive em nosso interior, além das dimensões onde há fenômenos e efeitos visíveis.

Se com freqüência dirigimos a atenção aos níveis internos e superiores do nosso ser, podemos passar pelas provas mais dolorosas do físico, do emocional e do mental sem nos envolver com o sofrimento. E cada ser humano que consiga agir, sentir e pensar com amor e desapego ajuda a libertar os semelhantes ainda condicionados às impressões próprias dos planos materiais, que são secundários perante as verdadeiras causas dos acontecimentos, perante o que nos move e o que dá vida ao nosso ser externo.

Embora tenhamos tarefas no mundo concreto, devemos sempre saber que de um ponto de vista superior não pertencemos a ele.

Essa consciência de que a raiz da existência está no interior do ser, na essência imaterial, permite-nos atualizar e aprofundar a perspectiva acerca de um dos fenômenos mais atraentes de hoje, que são as aparições de luzes e objetos desconhecidos no céu. Se estivermos presos a fenômenos, reduziremos a oportunidade de vê-las a uma pesquisa ou a um divertimento, enquanto poderíamos estar usufruindo sua irradiação interna, evolutiva e transcendente.

O relacionamento harmonioso e seguro com a realidade suprafísica que está por trás desse fenômeno é possível por meio da intuição. A telepatia mental também pode ser usada para isso, mas é recurso dos que ainda não estabeleceram contato mais profundo, de alma, com a essência espiritual ou divina dessas luzes e objetos.

Contatos evolutivos

Quando o contato com extraterrestres e intraterrenos se realiza isento de ilusões, a consciência humana pode receber auxílio para sua ascensão. A segurança nesses contatos está na ausência de envolvimentos com os planos psíquicos da Terra, especialmente o astral-emocional.

Pessoas desencarnadas que habitam o plano astral podem produzir fenômenos que não nos ajudam a elevar a consciência. Em geral, esses fenômenos de origem astral alimentam as ligações com o mundo físico, o apego às coisas materiais, a pessoas ou a situações concretas. Diferente é o estímulo promovido pelo contato puro e autêntico com seres avançados de outras dimensões. A irradiação de sua energia conduz ao despertar ou ao fortalecimento do aspecto espiritual da vida, leva-nos a um estado mais fraterno e universal.

Procuremos ver qualquer fenômeno com imparcialidade, cientes de que em certos casos eles podem acrescentar algo à nossa compreensão acerca da vida e da união com o cosmos, e de que em outros casos podem distanciar-nos e prender-nos mais à Terra e aos nossos aspectos humanos que poderiam ser superados.

Embora as aparições no céu sejam um fenômeno, vê-las pode constituir um caminho para perceber a sua essência em planos imateriais, se estivermos livres de curiosidade. Quase sempre nesses planos sutis estão as lições de que precisamos, e o desapego do que é conhecido constitui o primeiro passo para chegarmos a elas.

Pela falta de percepção intuitiva, principalmente entre estudiosos e pesquisadores de fenômenos, a literatura e as informações a esse respeito são heterogêneas, e a incompreensão por esses seres de outros mundos, que estão a serviço da evolução da Terra, é quase geral.

O contato com a essência que anima esses fenômenos ainda se mantém restrito. Mas quando o caos se generalizar sobre a Terra, quando a natureza der início a maiores reações e a sobrevivência se fizer impossível em várias áreas do planeta, o contato com realidades suprafísicas se ampliará. As naves extraterrestres e as intraterrenas se apresentarão abertamente para cumprir suas tarefas, e muitos já terão percebido o que está além dos fenômenos que hoje tanto intrigam.

Aberto à intuição, o ser humano ficará diante de fatos insólitos com naturalidade e saberá conviver com eles sem se confundir.

Em um livro espiritual sobre Yoga está escrito que unicamente pela possibilidade de contato interplanetário podemos ter certeza da evolução da humanidade. Aspirar a esse contato não é um sentimento material, mas um estado que brota quando algo em nosso mundo interior se põe em movimento e nos liga com a vida única, cósmica, em que fronteiras e formas não prevalecem.

Fonte: Síntese de palestra de Trigueirinho.

Labels:


 

Oscar Quiroga - 101


A FORMA ESTÁ CERTA, MAS CARECE DE IDEAL


Enquanto isso, aqui na nave Terra a intensa concentração da mente no mundo dos negócios é um exemplo de meditação, de consagração a um objetivo de forma permanente. Apesar de ter se demonizado esta situação desenhando-a como um desperdiço de energia mental, no fundo é um exemplo de dedicação ao processo organizacional que o Plano Cósmico requer para continuar se processando da melhor maneira. Porém, antes de começar a celebrar como se tudo estivesse correto no mundo materialista, há de se observar que, por enquanto, tudo está bem na sua forma, mas carente de essência, e este detalhe acaba produzindo resultados opostos aos esperados. Busca-se prosperidade, mas acaba se encontrando a miséria. Falta o ideal que vivifique o trabalho executivo das organizações.

Labels:


Monday, January 28, 2008

 

Os(As) Ecologistas

"A vida e a saúde só vêm da vida, e da morte só vêm doenças e morte"

Os movimentos ecológicos (Greenpeace, WWF, etc.) têm como objetivo principal a defesa e preservação da Natureza e de seu equilíbrio natural ecológico divino. Os(As) ecologistas são as pessoas que participam desses movimentos ou de suas idéias básicas. No entanto, o Inferno, no aqui-agora e no além-túmulo (nos mundos não-físicos), está cheio de pessoas de boas intenções mas que não colocam essas boas intenções em execução efetiva.

O professor Jesus Cristo, quando ensinava a um grupo de seus alunos doentes, desenvolveu a idéia explicitada na frase de abertura acima, como uma das conseqüências de um dos Dez Mandamentos: "Não matarei meu corpo físico". Na realidade, os Dez Mandamentos eram os Dez Juramentos feitos pelo Faraó durante a sua cerimônia de posse, copiados por Moisés durante a sua permanência na corte egípcia (e não dados a ele inicialmente por Deus no topo do Monte Sinai, como relata a Bíblia). Note, nesse juramento, que se eu não matar meu corpo físico eu serei um ser divino imortal no corpo físico, o que os faraós se consideravam.

Filho de gato é gato e filho de Deus é deus. Todos os seres do Reino Animal, incluindo os seres humanos, não sabem construir o próprio corpo. Todos esses corpos são construídos pela Grande Inteligência, que chamamos Deus. Portanto, todos os seres do reino animal são irmãos, filhos do mesmo Pai-Mãe que chamamos de Deus Criador do Universo. Temos três reinos físicos na Natureza: o reino mineral, o reino vegetal e o reino animal. O reino vegetal se sustenta a partir do reino mineral, e o reino animal se sustenta a partir dos reinos vegetal e mineral. Essas ordens de sustentação, estabelecidas por Deus, não deveriam ser invertidas, para não causar desarmonias na natureza. Os seres humanos não seguem essa ordem e, portanto, ficam doentes e morrem.

Os(As) ecologistas dizem lutar para preservar a Natureza e seu equilíbrio ecológico, mas, a maioria, são predadores e destruidores do Reino Animal, se alimentando de seus irmãos animais mortos, não sendo vegetarianos. Comem peixes, mamíferos aquáticos (baleias, golfinhos), cavalos, touros e vacas, porcos, ovelhas, galinhas e frangos, patos e gansos, coelhos, pombos, cachorros, cobras e gafanhotos (na China), gorilas e macacos (na África e pelos índios), etc., todos (duplamente*) mortos. E "da morte só vêm doenças e morte". Geram, dessa forma, um desequilíbrio ecologico.

Qual o problema de comer carnes mortas (cadáveres)? São dois os problemas envolvidos:

1. A carne, por estar morta, não é saudável, e nos traz doenças e morte, conforme explicado por Jesus;
2. Os animais sacrificados são seres sensíveis que possuem uma parte não-física (que não se extingüe com a morte de seu corpo físico) e que não gostam de serem assassinados para servirem de diversão (safáris) e de alimento para os seres humanos. Esse sentimento negativo contra os seres humanos leva desarmonia aos corpos físicos dos seres humanos, gerando também doenças e morte.

*primeiro são mortos e, em seguida, são mortos novamente (cozidos)!

Labels: , , ,


 

Oscar Quiroga - 100


DESTINO AFUNILADO


Enquanto isso, aqui na nave Terra nossa humanidade tem em mãos uma oportunidade fantástica, e o único que ainda falta para ela realmente aproveitá-la é recuperar a noção do que é sagrado. Apesar de as correntes espirituais terem demonizado o trabalho dos executivos e governos, continuamente dedicados a encontrar métodos de organização eficientes que produzam maior comércio e finanças saudáveis e prósperas, estes esforços representam o advento da Era de Aquário, porém ainda são carentes de ideal, e por isso, mesmo que corretos, não produzem o resultado destinado. Falta pouco, mas o pouco que falta é o mais importante e, por sê-lo, não admite erros nem mais procrastinações, e se tiver de ser encontrado através da desgraça, assim será. É o destino afunilado.

Labels:


Sunday, January 27, 2008

 

Lições do Bambu - 7


A MAIOR QUALIDADE DO BAMBU É O VAZIO INTERIOR


O bambu é uma planta simples, modesta, leve, resistente e flexível. Outro detalhe importante é o fato de ele ter o caule oco, vazio. Se o bambu tivesse o talo maciço, ele seria pesado, rígido e inflexível. Com isso, os taoístas perceberam que é o vazio que garante as qualidades do bambu. O vazio é um dos conceitos fundamentais do pensamento oriental. É porisso que os chineses e japoneses representam-no com tanta freqüência nas suas pinturas e sempre cercado de grandes espaços vazios no papel/tela.

Para a maioria das pessoas, o vazio tem um sentido negativo. Significa nulidade, inexistência, zero. "Pessoa vazia" é identificado como alguém inútil, destituído de inteligência e profundidade. "Cabeça oca" é alguém irresponsável, sem juízo, que não mede as conseqüências. Estar "vazio por dentro" é uma sensação de apatia, de que nada tem sentido, nada é interessante. "Minha vida é um vazio" é afirmação de quem viu o tempo passar sem ter realizado ou vivenciado nada que seja digno de nota ou que dê significado à sua existência.

Para os orientais é o oposto. Se o bambu tem suas virtudes por causa do caule oco, então o vazio tem um sentido positivo. O vazio é a origem de boas qualidades, é algo que se valoriza e permite a existência das coisas. Basta pensarmos de modo inverso: se o copo estiver cheio de farinha, não é possível utilizá-lo para tomar água. Se o elevador estiver lotado, não podemos entrar nele. Se nossa mente estiver entulhada de preocupações e de lixo, não podemos pensar direito. Se a agenda estiver cheia de compromissos, não podemos programar mais nada. Quando se está de "saco cheio", não existe possibilidade de curtir as coisas e as pessoas. Mas, se o copo estiver vazio, podemos colocar qualquer líquido que quisermos dentro dele. Se a mente estiver livre, podemos resolver os problemas sem aperto. Se a agenda tiver alguns momentos vagos, nosso dia-a-dia não será tão atropelado e podemos encaixar alguns compromissos de última hora ou aproveitar as brechas para fazer algo que nos dê prazer. Quando não estamos de "saco cheio", ou seja, quando estamos receptivos (vazios), podemo-nos relacionar de modo mais gratificante com todo mundo.

O vazio é uma necessidade. Ao fim de um dia exaustivo de trabalho, com clientes, colegas e fornecedores maçantes, prazos estourados e um congestionamento irritante no trânsito, tudo que queremos é chegar em casa, esticar as pernas no sofá, colocar uma música e esvaziar a mente. E qual é o objetivo da meditação, não importa de qual tradição seja, senão o de buscar a paz interior? Meditar é ir ao encontro do vazio.

Uma pessoa pretensiosa é toda "cheia de si" e ninguém gosta de estar ao lado de alguém assim. Todos gostam de conviver com pessoas modestas, receptivas, sem preconceitos, sem mania de ter resposta para tudo. Enfim, com pessoas "vazias", no sentido taoísta da palavra.

É desta forma que os sábios antigos viam o vazio. Não pela ausência, mas sim pelas possibilidades que ele abre, pelos benefícios que ele traz. É uma visão positiva e não negativa.

Um antigo texto chinês, o Tao Te Ching, diz: "O vaso é feito de argila, mas é o vazio que o torna útil. Abrem-se portas e janelas nas paredes de uma casa, mas é o vazio no seu interior que a torna habitável". De fato, num vaso, o que importa é o espaço vazio e não o formato ou o material do qual é feito. É no vazio do vaso que se coloca terra ou líquido, e não em suas paredes de contorno. Numa casa, moramos no espaço vazio entre as paredes e não nas paredes. Ninguém mora na parede da casa.

O planeta Terra é a nossa casa cósmica. Moramos no telhado dessa nossa casa. Seres humanos mais evoluídos (mais sábios) moram dentro dessa casa, no vazio interior de nossa Terra Oca...

Fonte: Roberto Otsu, A Sabedoria da Natureza: Taoísmo, I Ching, Zen e os Ensinamentos Essênios, Editora Ágora, 2006.

Labels: ,


 

Oscar Quiroga - 99


UMA VIDA MAIS ABUNDANTE


Enquanto isso, aqui na nave Terra a perspectiva que nossa humanidade tem é a de que se torne real tudo que até agora era meramente potencial, e tudo o que parecia real se demonstre ilusório. Isto é motivo de celebração! É a consumação das profecias e, também, o início de uma participação mais ativa nos eventos cósmicos por parte de nossa humanidade. As exceções que resultam deste processo, ainda que sofridas e perturbadoras, valem a pena, e por isso todo encorajamento é pouco no sentido de se perceber que a luta é sagrada, e que no seio dos problemas e tragédias que cada humano de boa vontade enfrente reside a semente da glória futura. A vida puramente pessoal será substituída pela vida da comunidade humana. Uma vida mais abundante para ser vivida.

Labels:


Saturday, January 26, 2008

 

A Cama em V

Abaixo mostro uma fotografia [1] de uma invenção curiosa: uma cama não-plana, em formato de V. O inventor afirma que há duas vantagens principais neste tipo de cama:

1. O corpo fica mais estável para propiciar um sono mais reparador;
2. As cobertas usadas podem ficar apoiadas nas bordas da cama, não entrando em contato com o corpo e permitindo a circulação de ar entre a coberta e o corpo da pessoa que dorme.

Quem já se informou sobre gorilas que vivem livres nas florestas, sabe que ele constroi ninhos suspensos entrelaçando galhos de árvores baixas na hora que vai dormir. Esses ninhos certamente não são planos (portanto permitem uma imobilização suave de seu corpo) e os gorilas não usam cobertas para se agasalharem durante o sono (portanto permitem o fluxo de ar desimpedido em torno de seu corpo), as duas características principais da cama em V.

Nossas camas planas tradicionais possuem alguns problemas. Minha filha quando pequena, por exemplo, caiu duas vezes da cama e quebrou a clavícula ambas as vezes. Para evitar esse tipo de acidente, é comum usar-se berços com proteções laterais como local de dormir para bebês. No meu caso particular, usei um caixote de cebolas como berço logo após o nascimento, algo que simula razoavelmente um berço convencional de bebês.

Nas regiões mais quentes do Brasil (regiões Norte e Nordeste) é muito comum as pessoas dormirem em redes, que simulam muito bem a "cama do gorila": são suspensas (refrigerando melhor o corpo), não são planas (mesmo dormindo em diagonal na rede) e permitem o espaçamento de ar entre corpo e coberta, se isso for de interesse da pessoa.

As camas em V, assim como as redes de dormir e as "camas de gorila" não são muito adequadas para a prática de atividade sexual. Nas gravuras da Índia e China antigas, observa-se que na maioria das vezes essa prática era executada fora da cama. Aparentemente, a cama era sempre usada preferencialmente apenas para dormir...

Recentemente, antes de tomar conhecimento desta cama em V, eu instintivamente comecei a usar almofadas nas laterais de meu corpo durante meu período de sono na cama tradicional. Parece, realmente, que fica uma configuração mais agradável para se dormir. Talvez você possa também fazer esse experimento...

Referência:
[1] Na realidade, não consegui "colar" a citada fotografia aqui nesta postagem. Por favor, veja a foto original neste endereço web (copie e cole este endereço no seu browser):

http://blog.modernmechanix.com/2008/01/14/new-v-shaped-bed-cradles-body-for-more-restful-sleep/



Labels: ,


 

Oscar Quiroga - 98


DESCANSAR E SE DESPREOCUPAR


Enquanto isso, aqui na nave Terra é propício que nossa humanidade descanse e se despreocupe, porque o tempo atual exige muito de sua consciência, e nada de bom resultaria de carregar pesos desnecessários na alma. Ao contrário do que se pensou até agora, o acesso ao mundo invisível não pode ser feito com o coração tomado de sofrimento, a chave que abre a porta do espírito é a da alegria. É justamente por esta razão que é propício aproveitar todo e qualquer momento de descanso, ancorando na mente pensamentos despreocupados, a despeito dos inúmeros acontecimentos que puxam no sentido contrário. É absolutamente possível rir dos problemas, inclusive porque é só assim que estes começam a encontrar verdadeira e eficiente solução.

Labels:


Friday, January 25, 2008

 

Sobre a Reencarnação


Que se entende por reencarnação?
As pessoas comuns e correntes entendem por reencarnação o regresso a uma nova matriz. Isso significa que nós podemos reincorporar em um novo organismo humano. Não será demais acrescentar que ao regressar voltamos a nascer e a viver na mesma forma e do mesmo modo vivido na existência precedente.

Por que não recordamos nada de nossas vidas passadas? As pessoas não recordam suas vidas anteriores porque têm a consciência adormecida. Se a tivessem desperta, logicamente se lembrariam de sua vidas anteriores.

Quem se reencarna? Enquanto alguém tenha possibilidade de salvação, poderá regressar a uma nova matriz para se revestir com um outro corpo físico. Porém, quando o caso já for perdido, quando o sujeito se tornou um malvado definitivamente, quando nenhum castigo produz mais resultados úteis, então não volta mais, não lhe é dado mais outro corpo e assim ele entra nos mundos infernais onde somente se ouve o pranto e o ranger dos dentes.

Como podemos comprovar que regressamos a este mundo outra vez? O retorno a este mundo depois da morte para uns é uma teoria, para outros um dogma, uma anedota, uma superstição ou uma crença. No entanto, para aqueles que recordam suas vidas passadas, o retorno é um fato. Isto significa que somente se lembrando de suas vidas anteriores, poderá alguém evidenciar a crua realidade da reincorporação ou regresso a este Vale de Lágrimas. Porém repetimos: só é possível se recordar as existências anteriores quando se desperta a consciência.

Para que voltamos a este mundo? Voltamos a este mundo com o propósito de nos aperfeiçoar, pois infelizmente somos pecadores e precisamos terminar com nossos erros.

O que é que regressa a este mundo dos seres humanos? O que retorna a este mundo é a alma do falecido.

Os animais e as plantas também regressam a este mundo? As almas das plantas, dos animais e das pedras são os elementais da natureza. Eles retornam a este mundo de maneira contínua. Por exemplo, se uma planta seca e morre, o elemental desse vegetal renasce em outra planta. Se um animal morre, o elemental dessa criatura regressa a um novo organismo animal etc.

Existe a predestinação? Cada alma é o artífice de seu próprio destino. Se alguém pratica o bem, ganha uma boa sorte. Faz−se o mal, renasce neste mundo para sofrer e para pagar tudo o que deve. Assim se explica porque uns nascem em um leito de plumas e outros na desgraça.

Gostaria de recordar as minhas vidas passadas, mas como tenho a consciência adormecida, que devo fazer para despertá−la? Seguindo a senda da santidade. Eis o caminho para se despertar a consciência. Termina com teus erros, arrepende−te de tuas más ações, torna−te puro em pensamento, palavra e obra e eu te garanto que quando hajas alcançado a verdadeira santidade, terás despertado a consciência.

Por que muitos não crêem que tiveram vidas anteriores? Alguns não crêem simplesmente porque não recordam suas vidas passadas e de fato não se lembram porque tem a consciência adormecida.

Quantas vezes pode alguém reencarnar nesta vida (na Terra)? Está escrito com letras de ouro no Livro da Vida que se regressa 108 vezes a este mundo [vide Seriado Lost].

Por que uns reencarnam como homens e outros como mulheres? Tudo depende dos acontecimentos da vida. Às vezes, temos que voltar em corpo feminino e outras vezes em corpo masculino. Sempre de acordo com as ações de nossas experiências anteriores.

Por que se diz que por tratar mal os animais pode alguém reencarnar como cavalo, cachorro ou gato? As almas perdidas ingressam nos mundos infernais. Ali, como dizem as sagradas escrituras, passam pela Segunda Morte. Somente depois de tal morte é que as almas condenadas ficam limpas de toda mancha. Então podem novamente voltar a este mundo. Porém, começam a evoluir como elementais minerais, ascendendo depois ao estado vegetal, a seguir reincorporam em organismos animais para, finalmente, reconquistar o estado humano que outrora perderam. Ao chegarem a estas alturas, se lhes concede 108 vidas a fim de que se façam perfeitas. Porém, se fracassam, voltam a repetir todo o processo de novo.

A que se deve o fato de alguém estar em certos lugares e ter a sensação de que já os conhece tão bem a ponto de poder descrevê−los com detalhes (Déja-vu)? Esse fenômeno se deve ao fato de que em vidas anteriores já esteve nesses lugares.

Quantas vezes se pode reencarnar em corpo humano, quantas vezes em corpo animal, quantas em vegetal e quantas em mineral? O retorno dos seres humanos já está devidamente calculado em 108 vezes, porém o retorno em organismos animais, vegetais ou simplesmente minerais não tem um número exato.

Será possível se passar do reino vegetal ao humano ou do animal para o mineral? Do reino vegetal se passa para o humano, mas através do reino animal. Isto significa que não podemos saltar porque a natureza não dá saltos. Se o elemental animal degenera, involui, ele retrocede para o estado mineral, passando antes, naturalmente, pelo estado vegetal.

Em que dimensão se encontram os elementais do reino vegetal e mineral? As criaturas elementais vivem na quarta dimensão da natureza.

Somos nós os mesmos seres humanos dos tempos antigos que estamos a nos reencarnar ou alguns tem desaparecido definitivamente? A humanidade atual é muito velha. Está retornando a este mundo há muitos milhares de anos.

Quanto tempo um ser humano espera depois de morto para receber um novo corpo? Isso depende do destino de cada um. Uns renascem imediatamente e outros levam muito tempo para voltar.

Um estudante que haja começado a despertar sua consciência, ao morrer, pode dar−se conta do processo de reencarnação? Quem desperta a consciência não precisa aguardar o momento da morte para recordar as vidas passadas. Ele pode recordá−las em vida, aqui e agora.

O que é a Segunda Morte e o que tem a ver com a reencarnação? A Segunda Morte marca o fim de nossas paixões animais nos mundos infernais. Isto significa que no fim, os condenados, os perdidos, chegam à pureza original. Quando isso acontece, saem dos abismos infernais que existem no interior da Terra. Então, como já dissemos, tais almas tornam a evoluir da pedra até o homem.

Quando a humanidade irá entender o porquê das reencarnações? A Humanidade somente poderá entender o porquê das reencarnações no dia em que conseguir despertar a consciência.

Por que as pessoas nascem, morrem e voltam sempre a repetir o mesmo disco? De fato, as pessoas repetem, como você disse, sempre o mesmo disco. Refiro−me à Lei de Recorrência. Em cada vida, tornamos a repetir tudo o que fizemos na anterior, sofrendo as conseqüências do bom e do mau praticados na vida passada. Isto é um círculo vicioso: repetição de dramas, de cenas, de amores, reencontro com as mesmas pessoas, etc.

Como faremos para sair de tanta repetição? Conseguimos nos livrar da Lei da Recorrência somente através da santificação.

Quem nos obriga a tomar um novo corpo físico? A este mundo nos mandam os Anjos do Destino. Eles têm anotado em seus livros as nossas boas e más ações.

Se depois de morto o corpo, a alma vai para o céu, como afirmam muitas religiões, por que não ficam lá então? O céu é um prêmio, uma recompensa pelas nossas boas ações, mas quando a recompensa se esgota, temos de voltar para este mundo.

Será certo que existe inferno? O inferno com chamas, aquele fosso com carvões em brasa viva e diabos com garfos, é um símbolo que corresponde a uma tremenda realidade. Existe mundos infernais, mundos inferiores, regiões de amargura no interior do planeta Terra. Nesses abismos vivem as almas perdidas [Filme: Amor além da Vida, Livro: Etidorhpa].

Será verdade que acreditando em Deus, se pode escapar do inferno? Muitas pessoas acreditam em Deus e não escapam do inferno. Se alguém quiser escapar da região das trevas, terá de tornar−se santo.

Será verdade que alguém aprendendo de memória os capítulos da Bíblia consegue se livrar do inferno? No inferno há muita gente que conhece a Bíblia de cor com pontos e vírgulas.

Poderia alguém se salvar apenas acreditando no que está escrito na Bíblia? A fé sem obras é fé morta. Precisamos de uma fé viva e esta deve se fundamentar nas boas obras. Urge que vivamos de acordo com os ensinamentos de Nosso Senhor Jesus Cristo.

É obrigatória a reencarnação? Enquanto não atingirmos a perfeição, os Anjos do Destino nos mandarão de volta para este mundo.

A reencarnação favorece a que paguemos por nossas más ações? Todos os sofrimentos que temos neste mundo são devidos às más ações de nossas vidas passadas.

Sempre regressamos na mesma família? O Eu continua em sua própria semente. Isso significa que continuamos em nossos descendentes, isto é, regressamos à mesma família.

Fonte: Samael Aun Weor, O Mistério da Morte.

Labels: ,


 

Oscar Quiroga - 97


NADA DO QUE FOI SERÁ


Enquanto isso, aqui na nave Terra nada do que foi será, e nada do que virá é conhecido pela nossa humanidade, e contando que é normal se cultivar o medo pelo desconhecido, não é de admirar-se que aquele desespero silencioso que inundava o coração humano tenha se convertido em grito ardoroso. E no entanto, há mais motivos de celebração do que de desespero, pois finalmente a teoria adquire o sopro vital que faltava para se converter em prática. É assim que a competição será substituída pela colaboração, e a centralização pela distribuição justa e equânime de poder. A dificuldade não reside no futuro, mas no tolo apego que temos em relação ao mundo conhecido, pois este nos fustiga e faz sofrer, porém, mesmo assim a este nos apegamos. Dá para entender uma coisa destas?

Labels:


Thursday, January 24, 2008

 

Oscar Quiroga - 96


É TUDO VERDADE!


Enquanto isso, aqui na nave Terra o que era potencial se transformará em real, e tudo que parecia real se mostrará ilusório, esta é glória de nosso tempo. Nada do que foi será, e nada do que virá conhecemos, por que, então, nos queixamos do conflito em que se encontram nossos corações? Nada mais justo do que o conflito! Pelo menos este sinaliza que continuamos lúcidos para participar de eventos de suma importância e, também, que lutamos fervorosamente pela evolução. Mais do que nunca, a cultura humana se polarizará em duas facções, as mitológicas e lendárias forças da Luz e da Sombra, a guerra entre o Sol e a Lua, eventos de tamanha grandeza que nossa humanidade sempre preferiu achar que eram contos de criancinha, mas que agora mostram sua cara: é tudo verdade!

Labels:


Wednesday, January 23, 2008

 

Oscar Quiroga - 95


O SOPRO VITAL QUE FALTAVA


Enquanto isso, aqui na nave Terra é propício que nossa humanidade contemple o Inferno que os governos criaram pela incompetência e corrupção, pois sem uma visão realista tudo tende a se repetir indefinidamente e, sem lugar à dúvida, não há mais espaço para o luxo da indolência, o tempo atual é radical, ou se está do lado da força da evolução, ou se comunga com o inimigo que pretende perpetuar a injustiça. Tudo que até agora foi teoria se converterá em prática, abandonará as promessas falsas dos políticos e será obra consumada. A centralização autoritária será substituída pela distribuição de poder, e a ideologia da competição dará lugar ao processo de cooperação mutua. A partir de agora há sopro vital disponível para a teoria se converter em prática.

Labels:


Tuesday, January 22, 2008

 

Mensagem de Mãe Maria: Ciclos

“Amados Filhos,

Que as bênçãos do amor tragam paz aos vossos corpos, mentes e corações.

Ciclos; vivenciais vosso aprendizado em ciclos bem amados!

Tudo que tem vida se manifesta em ciclos em vosso planeta.

Os ciclos representam o vai-e-vem natural da luz que buscais resgatar em vossas vidas, e é preciso que eles sejam reconhecidos, observados e respeitados por todos vós, para que o aprendizado se concretize e com ele as diferentes formas de expressão de vida voltem a se harmonizar para que a unidade se revele em vosso planeta.

Urge, pois que possais observar com muita atenção os ciclos que se revelam na natureza - e cuja expressão é facilmente reconhecível por todos vós – para que possais, com naturalidade, reconhecer e vivenciar os ciclos que se sucedem em vossas vidas.

Observai as estações do ano, que se expressam em um ritmo perfeito, com a certeza de que elas se refletem em vós e não podem ser ignoradas.

Olhai para a beleza que traz a claridade do dia, e que só emerge após a longa noite de vigília, com a convicção de que ela se expressa também em vós.

Acompanhai o crescimento das plantas desde a fecundação da tenra semente, para vê-las crescerem inicialmente frágeis, com a confiança que sobreviverão fortes desde que cuidadas e alimentadas com carinho, lembrando que assim também ocorre com todos vós.

Olhai para vossos animais, que após o nascimento aprendem com presteza que não poderão depender sempre de seus pais, e buscam conquistar sua independência para enfrentar o duro aprendizado de sobreviver, sem vos esquecer de que assim também se dá com todos vós.

Deixai também que o encantamento gerado pelo nascer de vossas crianças vos revele a necessidade da presença constante do amor, lembrando-vos sempre das palavras de carinho, de incentivo, de alegria, de confiança que compartilhais com vossos bebês, e que serão indispensáveis em todos os momentos de vossas vidas para nutrir vossa jornada.

Percebei finalmente, amados, que tudo em vossa dimensão carece da presença do tempo para se concretizar.

Não há vida sem que se plante a semente e se aguarde o tempo fazê-la germinar; não há dia sem a presença da noite; não há calor sem que o frio se despeça para deixar florescer as milhares de espécies de flores que todos os anos inundam vosso planeta.

Ciclos, amados, ciclos que se repetem para trazer a todos vós novas oportunidades de reconhecer e consertar vossos erros e sedimentar vossos acertos para que possais verdadeiramente ser feliz.

Reconhecei, pois, os ciclos que se renovam em vossas vidas, para não mais permitir a repetição de acontecimentos indesejáveis em vossa jornada com a clareza de que vós, e só vós, podereis decidir o que entra ou não em vossas vidas.

Fechai a porta para o velho processo opressivo que tem imperado em vosso mundo, onde muitos são levados a aceitar a escolha de poucos, sem enxergar a possibilidade de dizer “não”.

É tempo de aprender o verdadeiro significado da palavra “não”, o “não” responsável que se manifesta como resultado de uma nova consciência que emerge em vosso planeta trazendo com ela a sabedoria que faz cada um compreender a responsabilidade contida em cada decisão tomada, em cada pensamento alimentado, em cada atitude manifestada.

O “não” que vos permite reconhecer com clareza que nada ocorre sem o vosso consentimento e sem o vosso trabalho - não importa o que os outros possam dizer - que só se viabiliza se cada passo for dado com consciência, e que só acontece no tempo certo e no lugar certo; o “não” que decorre da sabedoria de que a ilusão só gera dores, tristezas, inveja, decepções e que ela é o resultado da falsa crença da possibilidade de se “colher” sem se “plantar”.

É preciso perceber, amados, que a vida farta e plena é construída de “sim” e ”não”, e que a escolha de cada uma destas duas hipóteses é necessária e precisa ser exercitada com consciência, para que o equilíbrio possa se instalar e se sedimentar em vossas vidas.

Que a clareza que invade vossas mentes e corações neste novo ciclo de vossas jornadas - e que os conduz para a tão almejada plenitude - possa ser reconhecida rapidamente, para que cada um de vós escolha o que verdadeiramente precisa ser vivenciado em cada instante sagrado de vossas vidas.

E lembrai-vos sempre, amados, que em todos os momentos - de cada ciclo com que vos deparais - é fundamental a presença do amor incondicional.

O amor incondicional, e só ele, pode vos preencher com a certeza; certeza do momento de escolher algo; certeza do momento de dizer “sim” ou “não”.

Não temais, pois expressar um “não” se ele for o resultado da certeza do vosso coração, lembrando sempre que onde existe amor inexiste confronto, inexiste egoísmo, inexiste incompreensão ou dor.

Que vossas orações alimentem vossa fé e determinação, ajudando-vos a enxergar este novo momentum onde não cabe mais a falsidade, a conveniência e a dissimulação, onde a presença da verdade é absolutamente necessária e onde as lições que a vida vos oferecem são únicas e precisam ser vivenciadas por cada um, para que a estrada da vida seja finalmente destituída de pedras e onde o horizonte seja plenamente reconhecido por todos vós.

Bem amados, Eu vos deixo agora derramando sobre todos vós as minhas bênçãos e envolvendo a todos no meu manto de proteção, porque Eu Sou Maria, Vossa Mãe “.

mensagem de Mãe Maria-02-2008

canalizada por jane m. ribeiro

Labels:


This page is powered by Blogger. Isn't yours?