Friday, December 31, 2010

 

Feliz Ano Novo!


Que 2011 seja o ano de nossa transformação, para sermos pessoas melhores. Que ele nos traga muita prosperidade, com paz, alegria e saúde em abundância. Estes são meus votos a todos os leitores deste meu blog.

Um grande abraço, Rui.

Labels:


 

Comida e Sexo

"Tipicamente, pessoas gordas preferem mais a comida do que o sexo"

Muita comida e pouco sexo

Pergunta: "Desde que meu relacionamento terminou, tenho comido demais e engordado. Como posso voltar ao meu peso e comer menos?"

Quando alguém não deixa que a sua energia sexual circule livremente, essa pessoa começa a criar uma obsessão por comida. Comida e sexo são duas polaridades que equilibram uma à outra. Se você faz sexo demais, seu interesse por comida desaparece. Se você reprime sua sexualidade, seu interesse por comida vira quase uma obsessão. É preciso trabalhar adequadamente a sua energia sexual.

O problema surge porque as primeiras experiências com comida e com amor que a criança tem estão profundamente associadas entre si. Ela recebe alimento dos seios da mãe e amor também. Quando a criança recebe amor, ela não se preocupa em tomar leite; a mãe tem de persuadi-la a isso. Se a criança não está recebendo amor, ela não larga o seio materno, pois tem medo do futuro. Ela tenta tomar o máximo possível de leite, porque não sabe quando a mãe estará disponível outra vez. Se a criança recebe amor, ela se sente segura. Sempre que precisa da mãe, pode confiar em seu amor. Mas, se a mãe não é amorosa, a criança não pode confiar no amor materno, então precisa tomar todo o leite de que é capaz. Assim, sempre acaba exagerando.

Se, de alguma forma, você bloqueou a sua energia de amor, ela se transformará num interesse por comida. Se quiser mudar isso, terá que fazer essa energia circular um pouco mais, terá que ficar mais amoroso. Ame o seu próprio corpo - comece daí: aprecie o seu próprio corpo. Ele é um belo fenômeno, uma dádiva. Dance, cante, sinta e toque o seu corpo.

O problema é que, se você não gostar de seu próprio corpo, você não deixará que ninguém mais goste. Na realidade, se alguém tentar ser amoroso com você, isso irá parecer ridículo e tolo aos seus olhos. Se você não consegue amar o seu próprio corpo, o que outra pessoa poderia ver em você? Se surgir uma oportunidade para ser amoroso com seu corpo, para abraçar ou segurar a mão de alguém, não deixe de aproveitá-la. Você ficará surpreso quando começar a se mover na direção do amor, o problema com a comida ficará naturalmente solucionado. Amar é uma grande experiência e se empanturrar de comida é extremamente deprimente. Não que a comida não seja bela, mas só é bela quando ingerida na quantidade certa.

Este é um belo fato, no que diz respeito ao amor: ele nunca é demais. Ninguém pode amar ao extremo, pois o amor não conhece extremos. Ao comer, você está se enchendo de comida, mas, ao amar, você está compartilhando e distribuindo coisas. É um fenômeno que te alivia. E, quanto mais você dá, mais energia começa a fluir em sua direção. Você se torna um rio, deixa de ser apenas um lago de águas estagnadas.

Quando você não vivencia o amor, sua energia é transformada num lago de águas estagnadas e gera um problema com a comida.

Quebre essas barreiras!

Fonte: Osho, Corpo e Mente em Equilíbrio, Editora Sextante, 2008. ISBN 978-85-7542-349-3.

Labels: , , , ,


 

Oscar Quiroga - 1144


O RITUAL


Hoje é o dia em que a imensa maioria da espécie humana comunga num ritual que evoca espiritualidade, mesmo naqueles que se auto-intitulam ateus. É o dia de lançar esperanças ao futuro, de imaginar que os dias vindouros trarão prosperidade, glória e realização. Isso é muito bom, mas para ser ótimo teria de haver mais interesse nos assuntos do bem comum em vez de essa energia toda se dividir através de cada um dos desejos particulares de nossa humanidade. Um dia será assim, por enquanto estamos longe disso. Esta data é cultural, inventada por nós, você não verá no céu sinal nenhum de um ano novo começar a partir da meia-noite de hoje, só fogos de artifício, medidas artificiais. Um dia o ano terá de voltar a ser medido com eventos cósmicos novamente.

Labels:


Thursday, December 30, 2010

 

Riso e Saúde

"Rir é o melhor remédio", ditado popular

A sociedade mutilou seu corpo, sua mente - tudo. Deram a você apenas algumas escolhas, deixaram apenas algumas pequenas aberturas e só é possível olhar através delas. Nunca deixam que você veja a totalidade das coisas.

O senso de humor reunirá as partes que foram separadas, colará seus fragmentos, deixando-o inteiro. Não reparou nisso? Quando você dá uma boa risada, de repente todos os fragmentos desaparecem e você se torna uma coisa só. Quando você ri, sua alma e seu corpo se tornam uma coisa só - eles riem juntos. Quando você pensa, seu corpo e sua alma estão separados. Quando chora, seu corpo e sua alma também são uma coisa só, funcionando em harmonia. Lembre-se sempre: todas essas coisas são boas, fazem bem, pois fazem de você um só todo. Rir, chorar, dançar, cantar - tudo isso faz de você um conjunto em que tudo funciona em harmonia.

Sua cabeça pode estar pensando enquanto o corpo continua fazendo mil coisas diferentes. Você pode comer enquanto a sua mente pensa e, então, ocorre uma divisão, algo negativo. Você anda na rua e, enquanto o corpo anda, a sua mente está pensando. Não que esteja pensando na rua, nas árvores que o cercam, no sol, nas pessoas em volta de você - você está pensando em outras coisas, está em um outro mundo.

Mas, ao rir, se a sua risada for de fato profunda - se não for uma pseudo-risada, que só acontece nos lábios -, você sentirá de repente seu corpo e sua alma funcionando juntos. A risada não está só no seu corpo, ela penetra no fundo do seu ser. Surge de você e se espalha por toda a circunferência. Você é um só, quando ri.

Minha definição de saúde é que, quando você não percebe a existência do seu corpo, você está saudável. O mesmo vale para a mente saudável. Só uma mente insana pode ser sentida. Quando a mente está sã, silenciosa, não é possível senti-la. Quando o corpo e a mente estão silenciosos, é possível sentir a alma com mais facilidade, com uma risada. Não há por que ser sério.

Aproveite a vida, ria das coisas ridículas à sua volta. Ria durante todo o trajeto até o templo de Deus. Aqueles que riram bastante (como os fundadores do Tantra) chegaram lá - as pessoas sérias ainda estão perambulando por aí, com a cara amarrada.

Fonte: Osho, Corpo e Mente em Equilíbrio, Editora Sextante, 2008. ISBN 978-85-7542-349-3.

PS: O Boletim da FAPERJ, de 27 de janeiro de 2011, trouxe uma reportagem relacionada ao tema acima. Eis a introdução:



Uma 'enfermaria do riso' para aliviar a dor das crianças nos hospitais
Palhaços da 'Enfermaria do Riso' aliviam a tensão de crianças internadas em três hospitais do município do Rio de Janeiro. A iniciativa, lançada há mais de uma década pela Escola de Teatro da UniRio, já atende a cerca de 800 pessoas por mês, sendo o primeiro programa do País de formação de estudantes universitários de teatro para atuação em ambiente hospitalar. Mais >>

Labels: , , , , , , ,


 

Oscar Quiroga - 1143


O FILHO PRÓDIGO


O filho pródigo volta ao lar depois de ter dilapidado seus recursos e se corrompido de tudo quanto é jeito. Deve o Pai rejeitá-lo por despeito e ressentimento? Nada disso! Pai verdadeiro respeita as decisões livres de seus filhos e os incentiva a experimentarem a ambiguidade dos desejos, produtores de satisfação e frustração. Nós, humanos, somos os filhos da Divindade que toma diversos nomes, tantos quantas religiões há instituídas aqui na Terra. Dilapidamos recursos e nos corrompemos pensando que por sermos capazes de inventar nossos próprios caminhos seriamos assim as divindades encarnadas. Esta é uma meia verdade, somos faíscas da divindade eterna, mas somos também uma consciência corrompida. Retornar ao lar é o remédio dessa doença.

Labels:


Wednesday, December 29, 2010

 

Pensamento e Saúde


Citaremos hoje dois livros relacionados ao tema Pensamento e Saúde porque todo mundo tem sua gripe, suas dores em todos os lugares, demais doenças e por aí vai. E a gente sempre atribui o fato de adoecer a ‘’pegar uma doença’’. Dizemos que estávamos bem e pegamos uma doença o que mostra a inconscientização da gente de não relacionar a doença com o nosso estado psíquico, o nosso pensamento.

Então todo mundo fala que é uma bactéria, um vírus, que nos adoece.

Uma coisa interessante: Por que não é todo mundo que pega tal doença, por que não é todo mundo que está em contato com bactérias que pega doenças? O que acontece?

Esse desligamento que temos com o nosso interior faz com que sempre busquemos coisas fora de nós. E essa busca fora pode ser tanto negativa quanto positiva, mas no final das contas o que vale é o contato com nosso interior. E uma das coisas que mais nos dá uma posição de como estamos é o contato com mundo, a sociedade.

A pessoa quando está doente procura se isolar. Ela vai se afastando do contato com as outras pessoas até para não se ver. É uma forma de perder o contato.

Vejamos um livro já conhecido por muitas pessoas: ‘’Você pode curar sua vida’’, de Louise Ray. Ela é uma americana que há alguns anos teve um câncer. Estava desenganada pelos médicos e, conhecendo esse tipo de colocação mental, ela se auto-curou sem medicamentos e daí prá frente ela começou a se interessar mais e escreveu livros sobre esses temas. Tornaram-se Best Sellers. Ela procurou relacionar, como já existe, por exemplo, na medicina chinesa, a ocorrência de algumas doenças com a maneira de pensar das pessoas.

Outro livro que podemos citar é Metafísica da Saúde, do médium Luis Antônio Gasparetto e Val Capelli, que trabalha com ele. O Gasparetto teve contato com a Louise Ray, nos Estados Unidos, onde ele ficou uns anos com ela e pôde perceber esta situação de mudar os padrões de pensamento e ter saúde.

Nós fomos colocados na Terra, por Deus, para termos saúde, prosperidade, felicidade, vivermos bem, em paz, harmonia e justiça.

Pelo nosso comportamento fugimos e violamos as regras divinas, sem perceber. Achamos até que é natural e defendemos muitas vezes esse comportamento egoísta.

Em tudo na vida que você viola as leis da Natureza, existe uma conseqüência. Existe um débito e um crédito em que todos nós, de uma maneira ou de outra seremos compensados ou descompensados, de acordo com nossas atitudes.

Recentemente, um irmão falava sobre pessoas que são muito religiosas. Ele não compreendia porque elas não têm saúde e não conseguem sair dessa situação.

A religiosidade só pode ser completa com a ação. E necessário agir para receber a graça.

Sempre nos referimos aos povos nordestinos como muito religiosos e muito resignados. Sofrem calados, mas onde é que fica a atitude de mudar? Só com resignação e reza ninguém muda.

O pensamento tem que vir com uma atitude de ação na frente. É até estranho falar. Mas é priorizar a ação a ponto de parecer que primeiro se age e depois se pensa.

Deus nos colocou na Terra. Então qual é o objetivo de estarmos aqui?

É ficar apenas rezando, contemplando Deus? Temos que provar alguma coisa para a Natureza?

É necessário se expressar com ação.

Quando paramos de agir, de alguma maneira estamos morrendo. A doença é uma morte menor.É uma maneira de nos colocarmos em situação de morte. Adoecer é perder o contato com Deus. É uma colocação que os filósofos faziam de existência e essência.

O suicida acha que dando cabo da existência, ele preserva a essência dele e acaba o sofrimento, quando na verdade não é isto.

Ele morre em condições piores do que vivia, porque violou o período de colocar sua vida aqui na Terra em prova. Ele deu cabo da oportunidade da vida.

Na doença, de certa maneira, também fazemos isto.

Aí, nos desculpamos com o contato das bactérias, mas vemos pessoas tendo um contato maior ainda com doenças e que não adoecem.

Existe um mecanismo muito interessante que temos que entender. Ele nos leva a uma maneira de viver que é ter entusiasmo, objetivo na vida, cumprir alguma missão, nem que seja menor do que se imagina. A partir do momento que nos desligamos dos objetivos, começamos a morrer.

O que seria o medo? Vamos pensar. Existe o medo racional que é evitar o risco para preservar a vida. Isto é uma coisa.

Existe o medo demasiado. Ele foge do padrão. Conhecemos pessoas que morrem de medo de cachorro, têm pavor e nunca foram mordidas. Não podem nem ver cachorro.

Outros têm pavor de baratas ou de doenças. Quem tem muito medo de doenças, as atrai para si, sem perceber. A pessoa acredita que pega e pega mesmo, sem dúvida.

Num determinado ponto da evolução humana, descobriu-se, dentre outras coisas, a existência de bactérias.

Pasteur, naquela época, atribuiu as doenças a bactérias, vírus e fungos.

Na mesma época havia outro cientista chamado De Champs.

Existia uma disputa entre eles sobre a questão das bactérias.

De Champs descobriu que, no sangue, nós temos um determinado componente,além dos glóbulos brancos e vermelhos. Ele chamou de microzina esse componente que existe também na seiva das plantas e em todos os seres vivos.

A microzina seria o elo entre a transcendência, Deus e o Homem.

Sem esta conexão, não há vida.

Para qualquer médico existe apenas o glóbulo branco e o vermelho. Não existe microzina.

Pasteur dizia que o mal vinha de fora e De Champs, que vinha de dentro, apesar de ainda não entender bem a questão mental.

A pessoa que tem um desenvolvimento mais aprimorado no pensamento tem uma saúde melhor e possui microzinas mais ativas e em maior quantidade.

As microzinas só podem ser vistas em microscópios de campo escuro. Ele não mata as células nos testes. O microscópio comum, usado nas faculdades de medicina, expõe o sangue à luminosidade.

Durante a observação, o sangue já está morto pela claridade. O sangue não tem mais vida, atividade. Quando se usa a lente no campo escuro que era como De Champs estudava, vêem-se os glóbulos brancos, vermelhos e as microzinas, em atividade. Existem fotos e registros disto.

Tivemos a oportunidade de ver que o Dr. Masaru Emoto fotografou os cristais da água em várias situações diferentes. Tendo contato com música erudita ou orações, a formação dos cristais da água é harmônica. Uma música agressiva como o Rock causa uma formação desarmônica dos cristais, fora de padrão, feia. Isto é a Física constatando que padrões de vibração, de pensamento equivalem a determinados estados de saúde .

O pensamento rege o comportamento dos glóbulos brancos, vermelhos e microzinas.

Pasteur era muito político. Mantinha muito contato com a Corte francesa que tinha certos interesses econômicos. Começou aí o desenvolvimento de tudo o que se falou sobre bactérias.

Passaram a afirmar que se nós eliminarmos as bactérias e os vírus, teremos saúde. Pasteur começou aquela questão exagerada de se limpar tudo, de se desinfetar tudo.

Começou-se a diminuir o contanto com as pessoas. Hoje, quando encontramos alguém doente, nós o olhamos com medo de que ele vá nos passar uma doença . Mas não é ele que nos contamina. Adoecemos quando entramos na freqüência do doente. Assim, nós é que nos adoecemos, abrindo-nos á doença, aceitando-a. É um processo de dentro para fora. E outra, aquela bactéria tida como causadora da doença também entrou numa freqüência anormal, porque toda bactéria, vírus ou fungo faz parte da Natureza.

Podemos entrar em contato com eles e não nos acontecerá nada.

Claro que não podemos nos jogar no Rio Tietê, aqui em São Paulo. Nele , nada mais é natural.

Devemos ter bom senso, equilíbrio. Não vamos viver na imundície, mas podemos dizer que se criou uma coisa exagerada em relação a higiene.

Hoje podemos ver dermatologistas que vão à televisão dizer que banho em excesso prejudica a saúde, retira as camadas de proteção da pele.

O exagero impulsionou a indústria farmacêutica que é uma das maiores fontes de receita do mundo. Ou seja. Se estamos dando tanta força, tanto crédito à indústria farmacêutica, o que é que estamos fazendo aqui no Círculo Esotérico da Comunhão do Pensamento, se aqui estamos falando o contrário, que cada um é que se cura?

Cada ser tem todos os remédios para curar qualquer doença.

O ser humano perdeu a capacidade de acreditar nele mesmo.

Desligou-se do seu interior. Tornou-se inconsciente do próprio poder e a indústria dos remédios passou a faturar cada vez mais.

O filósofo grego, Aristóteles, e o francês René Descartes ajudaram muito nesse processo. O método cartesiano separa a mente do corpo.

A Medicina caminhou estudando corpos mortos, sem considerar o espírito. Baseia-se na morte, não na vida. Que respostas pode obter? A Medicina tradicional se baseia em conseqüências, sintomas da doença, não nas causas.

Vamos imaginar uma infiltração no forro da sala. Pintamos, passamos uma massa, mas não arrumamos a telha quebrada. Na próxima chuva haverá infiltração de novo. Enquanto não chover, haverá uma aparente solução do problema. Assim são as curas aparentes de quem não se preocupa em sanar a origem de uma doença.

Devemos nos perguntar qual foi o padrão de pensamento que gerou determinada doença em nós.

Os livros que citamos nos convidam a esta reflexão, a investigarmos nosso pensamento. Por que ter câncer numa mão e não na outra? Por que o tumor em determinado órgão e não em outro? Há uma razão. Não é por acaso, não. Está tudo certinho, tão certo que nem fazemos idéia. É impressionante.

É lógico que para chegarmos a essa inconscientização que vivemos, passamos por uma série de coisas.

Estando com dor de cabeça, é lógico que é mais fácil tomar um remédio prá dor de cabeça. Mas, o que gerou essa dor de cabeça? Investigando, a gente consegue mudar. Geralmente, não vamos ter uma dor de cabeça quando está tudo bem.

Vejam que exemplo interessante. Uma senhora estava num sítio com toda a família, num dia lindo, de sol e ela apresentou um quadro forte de rinite. E numa conversa, perguntamos quando essa rinite costuma aparecer. Ela disse que sempre que saía de casa, ia fazer uma viagem, um passeio, a rinite atacava. Observando a maneira de pensar dela, vemos que ela se culpa de ter prazer de fazer uma viagem, ter lazer.

Alguns autores citam padrões de crenças colocados em nós na primeira infância, em referência a bloqueios cujas raízes temos muita dificuldade de encontrar. Mas temos domínio sobre a nossa maneira de ser. Podemos escolher, decidir, agir.

Não estamos somente à mercê do que aconteceu lá atrás. É lógico que temos uma dificuldade maior ou menor em localizar e resolver certos assuntos. O filho de uma família rica, que lhe deu uma boa educação, colocou-o nas melhores escolas, teoricamente terá mais facilidade para ganhar dinheiro do que um outro rapaz que teve que lutar para vencer todos os obstáculos de pobreza. Ele teve que ter muito mais força de vontade nesse aspecto prá ganhar dinheiro que o outro. Mas nada o impede de ganhar.

Uma nadadora chinesa, ginasta, treinava escondido da família que quase acabou com ela quando soube. Ela ganhou duas medalhas de ouro sem o menor apoio da família. Onde estava a vontade dela? Dirigida.

Dizem que existe doença genética. Não é somente genética. É psicogenética. Se numa família acontece um caso de câncer e, por isto, os outros membros aceitam que terão câncer, porque é uma propensão da família, outros casos ocorrerão.Quem aceitar que é parte daquele grupo e que está sob risco, aumenta muito a possibilidade de também adoecer daquele mal. Os que não aceitarem, não adoecerão.

Nós, que estamos fazendo esta reflexão, estamos fazendo parte de um grupo contrário. É difícil pensar e tomar esta posição.

Na vida, as doenças estão na maneira de pensar, sentir e agir.

Cada um tem na mente uma linguagem própria de interpretar situações. A senhora que apresentava a rinite toda vez que ia passear, estava se culpando. Acreditava que tinha que ficar em casa trabalhando. Não é uma inversão até no prazer, até, principalmente, nas coisas boas?

É dito que de zero a sete anos é que mais gravamos acontecimentos marcantes e situações difíceis, mas quando começamos a fazer um trabalho interno, passamos a nos observar e sentir o que nos leva a certas situações e problemas.

No final do ano, uma irmã nossa foi para a praia e estava ocorrendo casos e mais casos de virose que saíram até na televisão, mostrando muita gente com diarréia e vômito. Nossa irmã estava hospedada, próximo a um camping, onde muita gente havia adoecido. Ela disse: imagina! Eu não tenho que ter problema nenhum. Ela ficou pensando, analisando tudo o que aprendemos no esoterismo. Ela não pegou a virose.

Quando voltou prá casa, depois de uns 4 ou 5 dias, ficou doente, com forte diarréia. Ela começou a se perguntar por que tinha adoecido. Analisando-se, ela percebeu que ficou com muita raiva por causa das atitudes de um conhecido. Ficou furiosa mesmo. Ela chegou à conclusão de que a raiva a desequilibrou e, por isto, baixou a imunidade. Quando descobriu a causa, a virose passou.

Quando descobrimos a causa, a situação incômoda se desfaz e , às vezes, instantaneamente. A cura de uma infecção se dá em horas.

O que acontece? O grande problema do ser humano em relação às doenças é o que ele esconde, as coisas ocultas.

Tudo que for oculto – não interessa o que seja – não é bom. O que está escondido tem que vir à tona. Às vezes, uma conversa com um amigo resolve uma série de problemas.

A pessoa que se fecha, que se isola, está mais propensa a ter um sistema imunológico fraco. É uma questão de mantê-lo ativo ou não. Nosso sistema imunológico fica bem ativo quando acreditamos na vida, acreditamos em Deus, no bem. As microzinas se proliferam. Ficam transbordando vida. Na pessoa doente, que tem pensamento ruins, paranóicos,de perseguição, as microzinas são poucas e ficam aglutinadas .

Pasteur venceu De Champs com todo o apoio da mídia, do sistema. Por isto hoje, vivemos pasteurizados. O leite passa pela pasteurização para matar todas as bactérias, matar tudo, não pode ter nada, ser vivo nenhum.

Será que tem que ser assim? Seria o ideal?

Às vezes descobrimos como tratar doenças, mas surgem outras. Não pára de surgir doenças.

É tratamento revolucionário. É remédio novo. Quantos milhões gastos! Quanto mais se envelhece, o gasto com medicamentos vira uma fortuna.

Vocês já perceberam que não há interesse de se divulgar que não dá para curar com remédio, porque a tentativa de cura de uma coisa cria outra. As pessoas saem de uma dor no pé para uma na barriga. Não tem jeito, se não mudarmos o padrão mental.

Um grupo pequeno de empresas domina a indústria farmacêutica como verdadeiros cartéis. A poderosa família Rockfeller domina grande fatia da indústria farmacêutica. Ela possui uma fundação que patrocina faculdades de medicina e premiam os melhores alunos, no mundo todo. Todo mundo fica nas mãos deles. Os acadêmicos que dão aulas recebem vários tipos de patrocínios que incluem viagens e outros prêmios. Então, por que a pessoa que pensa e que acredita no pensamento é desacreditada? Não ouvimos falar em prêmio nenhum para pessoas assim. Estamos aqui, irmãos, na contramão dessas coisas todas. Nós acreditamos em algo mais e é isto que temos que desenvolver.

Temos o depoimento de um irmão que passou por um tratamento alternativo onde os terapeutas consideram, sem dúvida, a questão psicossomática, a questão do pensamento.Trabalham com decretos, aliando radiônica, promovendo uma limpeza interna dos resíduos decorrentes da conspiração alimentar.

Desde a segunda Guerra passamos a ter muitos problemas no nosso plasma sanguíneo causados, por exemplo, pelo uso abusivo de agrotóxicos. Temos ainda a margarina com suas moléculas de plástico para dar aquela consistência característica, vendida em comerciais bonitos, mostrando a natureza e empurrando goela abaixo, plástico que se deposita no organismo, endurece e entope veias.

Outro ponto interessante é a incidência da cândida na população mundial. É um fungo pernicioso que atinge noventa e nove por cento da população, o que é comprovado por pesquisas. Veio através da cadeia de agrotóxicos que não matou e só fez proliferar a cândida na casca do tomate, do feijão e outros. Matou outros organismos naturais, inofensivos.

Quando cai a imunidade, a cândida ataca e piora os casos de AIDS e tuberculose.

Quando conseguimos harmonizar melhor os pensamentos, o nosso próprio corpo pede uma alimentação mais saudável. Apesar de sabermos que está tudo de certa forma, comprometido, buscamos uma alimentação mais organizada, seletiva, com filtros para se ter uma saúde melhor.

Um dos maiores pesquisadores em AIDS no mundo nos disse que ela não existe. O que existe é a perda da imunidade que recebeu o nome de síndrome de imunodeficiência adquirida. Depois, apontaram o vírus HIV como culpado. Este cientista disse que sempre que ocorre uma doença existe um grupo típico de sintomas que vão se repetir de modo semelhante onde as pessoas adoecerem.

Com a AIDS, aparecem os sintomas mais variados que podemos imaginar.

O contato sexual foi apontando como causa do contágio, e o preservativo resolveria o problema.

Mas a questão não é essa. É o modo de se pensar, de se viver.

Mulheres que trabalhavam nas colheitas de uva no Chile começaram a apresentar casos de AIDS. Maridos acreditavam que estavam sendo traídos e abandonaram essas mulheres.

Quando foram estudar, descobriram a origem daqueles casos de AIDS nos agrotóxicos usados nas plantações e com os quais as trabalhadoras tinham contato direto.

Interessante é que os sintomas apresentados não eram os mesmos da desnutrida população africana.

Alguns acreditam que laboratórios desenvolvem vírus capazes de disseminar doenças, Pelo nosso pensamento, podemos destruir essa ameaça na maneira de agir.

Um irmão nos fala que a juventude não sabe e não se preocupa em conhecer esta autodefesa que estamos estudando. Aqui começamos a ver que o mundo tem algo mais do que nos é pregado. Muitos não se interessam em incluir na Educação, a formação de pensadores.

Se mudarmos o pensamento e entendermos como funciona nosso mecanismo, somos capazes de ter prosperidade, saúde, viver em harmonia. E isto não vai ter custo. Não dará lucro ao sistema, aos laboratórios, aos fabricantes de agrotóxicos que vendem milhões de toneladas para eliminação de fungos, bactérias e doenças, quando na verdade sabemos que na Natureza tem que haver equilíbrio. Nas pessoas, também.

Gerou-se uma paranóia coletiva. Temos medo do semelhante, medo de pegar doenças.

Criou-se o maior pânico na população mundial em relação à gripe suína. Venderam bilhões de dólares em vacinas e não era nada disso.

Alguns médicos declaram que vacina também é um perigo.

O sistema imunológico sozinho combate qualquer coisa. Mesmo bactérias ou fungos em desarmonia, ele combate. Na natureza, cada bactéria ou micro-organismo tem uma função, de utilidade, de parceria com todas as funções do nosso organismo. É para nós e todos os microorganismos vivermos em equilíbrio.

No México há uma clínica que trata de 800 pacientes, entre aspas, ‘’com AIDS’’. Eles não tomam remédio nenhum. Têm alimentação mais equilibrada, orgânica, SEM AGROTÓXICOS, e uma maneira de pensar mais positiva..

Vivem, trabalham, ninguém tem doenças oportunista. Ninguém está morrendo, ninguém está tomando AZT nem outras drogas.

Percebem que querem criar também em nós uma dependência, a ponto de, todo dia, termos que tomar um remédio prá pressão, prá isso, ou aquilo, para diabetes, ou o que seja. Esta idéia na Europa é bem enraizada, é bem forte.

Mesmo que criem ou desenvolvam vírus em laboratórios, se tivermos uma maneira de pensar mais positiva, mais forte, nosso sistema imunológico vai combatê-los.

Na população em geral, o mal age mais rápido que o bem, porque a maioria pensa mais no mal que no bem. Se anunciam no noticiário que há alagamento num bairro da cidade e que morreram dez pessoas, os seus parentes começam a te ligar para saber se você não está entre os mortos. Expressam medo, preocupação. Será que estas pessoas estavam pensando positivamente? Não!

Somos guiados pela dúvida, de uma certa maneira. A dúvida é uma falta de confiança, é uma desconexão com a divindade, é o oposto da fé.

Fé é certeza. Ela nos leva a entender uma prova. Precisamos crer.

O medo pode ser útil dentro de um propósito, natural. Por exemplo, o medo de ser assaltado nos leva a certas precauções, dentro do bom senso, do equilíbrio. Entrar no desespero de não mais sair de casa,ficar trancafiado, por receio de ser assaltado a qualquer momento já fugiu de um padrão normal.

O esoterista tem que agir com bom senso, tem que raciocinar.

Fonte: http://www.cecpensamento.com.br/estudos.php

Labels: , , , , , , ,


 

Oscar Quiroga - 1142


ENTRE DESEJOS E DEVERES


Entre os desejos e os deveres transita nossa humanidade pela Terra bela e assustada. O que nos torna humanos nos fustiga com dilemas, às vezes tão difíceis de resolver que imaginamos a felicidade ser uma volta ao passado, quando tudo era simples e sem dúvidas. Porém, uma coisa pode ser dada por sabida, não se pode voltar atrás, ampliamos nossa percepção e nos incluímos em conjuntos mais sofisticados de experiência porque somos inteligentes e porque temos capacidade de conduzir nossa consciência na direção do infinito. Isso não pode ser considerado negativo, apesar de produzir tormentos. O assunto reside apenas em aprender a fazer bom uso do poder de perceber que vamos ganhando à medida que andamos entre desejos e deveres.

Labels:


Tuesday, December 28, 2010

 

Oscar Quiroga - 1141


PERCEPÇÕES DE UMA REALIDADE SUPERIOR


Qualquer alma medianamente antenada percebeu duas coisas: a primeira é que o ano 2010 passou rápido demais; a segunda é decorrência dessa, pois tendo ainda a sensação presencial das festas do fim do ano passado não encontra nas atuais tanta euforia como encontraria em quaisquer outras. Essas duas sensações não são de se descartar como se fossem apenas imaginações de quinta categoria, são percepções de uma realidade em plena mutação, da qual fazemos parte e que nos instiga a tomarmos decisões duras em vez de enunciar mais uma vez desejos tolos e fúteis para o ano que vem. Há no ar um quê de ansiedade por algo que conhecemos, mas que fingimos não saber de que se trata. Trata-se de nossa evolução espiritual, o contato com vida mais abundante.

Labels:


Monday, December 27, 2010

 

O Sangue na Cabeça


A meditação nada mais é do que o retorno ao lar, só para descansar um pouco, lá dentro. Não é o cantarolar de um mantra, não é sequer uma oração. É apenas a volta ao lar e a tomada de um pequeno repouso. Não ir a parte alguma é meditação, só o estar onde você está é meditação. Não há outro "onde" - só o estar onde você está, apenas ocupando o espaço onde você está. O desejo leva-o a longas viagens, no tempo e no espaço - o desejo nunca o leva ao lar que é seu: ele está sempre a levá-lo para algum outro lugar.

A mente, quando tomada por algum desejo, procura encontrar um objetivo, e com isso oculta a Luz.

Por isso você está perdendo - por estar fora, está perdendo, procurando você está perdendo, investigando está perdendo, tentando alcançar está perdendo. Nada é necessário da sua parte - o Divino já lhe deu tudo quanto se pode ser dado. Não somos mandados ao mundo como mendigos, mas como imperadores. Olhe um pouco para dentro. Por alguns momentos não vá a parte alguma, nada deseje, não pense no futuro, não pense no passado, fique apenas aqui e agora e, de repente, lá está - sempre esteve - e você começa a sorrir.

Na meditação procura-se silenciar a mente, no mar de pensamentos sempre presente. Porém, existe dois tipos de silêncio totalmente diferentes: o silêncio dos tolos e o silêncio dos sábios.

A consciência integral é como o oceano. E sua mente não é apenas sua: sua mente é parte da mente coletiva. Em torno de você há um oceano de consciência. Tal como os peixes no oceano, nós somos peixes na consciência - dentro e fora, deste lado e daquele, acima e abaixo, ali está o oceanos nos rodeando, ali estão as ondas (pensamentos) do oceano. Quem você é para perturbar isso? Quem você é para fazer com que isso se torne quieto e silencioso? Como você pode fazê-lo?

Assim, sempre que uma pessoa se torna interessada demais e ansiosa por acalmar a mente, acaba criando muitas perturbações para si própria. Pois isso não é possível! E quando você tenta realizar algo impossíve, você acaba ficando frustrado. Pensa, então ingenuamente, em mil e uma causas que impedem de acontecer o que você deseja. O simples fato é que não pode acontecer! O Tantra diz: Observe! Não é da sua conta que os pensamentos subam ou desçam, apareçam ou desapareçam. Eles vêm por sua própria iniciativa e vão por sua própria iniciativa. Por que se envolver demasiadamente com eles? Quem é você para acalmá-los? Eles não lhe pertencem, pertencem ao vasto oceano que o rodeia. Você não está ali, eles é que estão. Um dia você não mais existirá, mas eles permanecerão.

Agora a Ciência concorda com isso: cada pensamento é uma onda. É por isso que um rádio emite pensamentos. Eles passam através das paredes, das colinas, dos nossos corpos, nada os impede de passar. Algo que é emitido em Nova York você ouve aqui. Atualmente, os cientistas investigam a possibilidade de podermos captar pensamentos do passado, já que os pensamentos nunca morrem. As ondas de pensamento de Jesus devem estar algures, chegando a alguma estrela do firmamento. Se pudermos captá-las, poderemos novamente ouví-lo.

Os pensamentos formam um oceano em torno de nós; existem independentes de nós - portanto, sejamos apenas testemunhas deles. Assim, o verdadeiro problema não está nos pensamentos, mas em ser perturbados por eles. Não lute contra os pensamentos, torne-se simplesmente uma testemunha e, então, você não será afetado. Esse será um silêncio mais rico; lembre-se que o Tantra prefere sempre as experiências mais ricas. É possível criar o silêncio pobre que você encontra num cemitério. Pode forçar tanto a sua mente que todo o seu sistema nervoso se torna paralisado. Então não haverá pensamentos, porque um sistema nervoso muito delicado é necessário para recebê-los. O oceano ali estará, mas você não será receptivo, pois sua receptividade perdeu-se.

Isso é o que está acontecendo com muitos iogues - os chamados iogues. Eles insistem em embotar seu sistema nervoso. Comem menos, de forma que pouca energia vai ter ao cérebro. No jejum, a energia disponibilizada não vai para o cérebro, pois o corpo necessita dela em primeiro lugar (para processar a limpeza orgânica). Vivem eles de tal maneira que, aos poucos, todo o seu sistema cerebral se torna paralisado, obtuso. Sentam-se numa só postura, monótona, repetem um mantra, monótono. Se durante alguns anos alguém repetir continuamente um mantra, é natural que o seu sistema nervoso se torne inerte, pois na ausência de novas sensações a vitalidade orgânica se perde.

Na verdade, tal homem não se tornou silencioso - tal homem tornou-se mais estúpido, mais idiota. E ele terá um olhar estúpido, que é o que existe nos rostos de muitos e muitos iogues. Você não verá neles inteligência, verá algo inerte, morto, petrificado. Esses iogues não chegam ao silêncio - apenas perderam seus cérebros, anularam-se completamente, morreram. Nada acontece no seu interior, porque nada pode acontecer sem o funcionamento de um delicado sistema nervoso - muito delicado, muito receptivo, muito sensível.

Assim, este deveria ser o nosso critério: se vir no rosto de um iogue algo radiante, inteligência, percepção, sensibilidade - como se alguma coisa houvesse florescido dentro dele - esse iogue realmente realizou-se. Só então aconteceu o silêncio correto. Do contrário, alguém pode estar silencioso - as pessoas estúpidas são silenciosas, os idiotas são perfeitamente silenciosos, porque não podem pensar - mas que tipo de silêncio é esse?

Um idiota não é um iogue. Um idiota simplesmente nasceu de tal forma que o seu sistema cerebral não está funcionando corretamente. Você pode fazer o mesmo com o seu próprio cérebro, jejuando e praticando posturas iogues, ficando de cabeça para baixo durante horas. Quando você fica de cabeça para baixo durante horas, você mata o seu sistema nervoso, porque seu cérebro existe apenas se, a cada minuto, ele recebe a quantidade certa de energia e de sangue, uma vez que os nervos são muito delicados, pequenos e frágeis. Eles nem sequer podem ser vistos a olho nu. Seu cabelo, por exemplo, parece mukito fino, mas não é. Se você colocar dez mil nervos um sobre o outro, só então eles atingirão a grossura de um fio de cabelo. Assim, se o sangue corre muito depressa e com muito volume, o sangue destrói os nervos; é como uma inundação.

O ser humano desenvolveu o seu cérebro, algo que nenhum animal o fez, porque o homem ergue-se constantemente sobre os pés. Devido a isso é que menos sangue consegue subir à cabeça, pois isso vai contra a força da gravidade, a gravitação. A gravitação puxa o sangue para baixo e é por isso que só uma pequena parcela do sangue atinge a cabeça a cada momento. De outra forma, aquele sistema sutil não poderia existir. Os animais não o podem ter porque eles andam sobre quatro patas e, como consequência, seus cérebros ficam no mesmo nível do resto do seu corpo. Se você ficar de cabeça para baixo por um só minuto, isso pode ser bom, ou mesmo por um só segundo, isso pode ser bom, já que apenas age como um bom banho. O sangue apenas alcança um ponto profundo e já desce, porque você volta logo à sua posição normal: nesse caso ele limpa a região que ele atinge. Mas se você faz a sirsharana durante vários minutos seguidos, ou durante horas seguidas, isso matará todo o seu sistema cerebral. O fluxo será grande demais, o cérebro não pode resistir.

Os iogues encontraram muitas formas de destruir o cérebro. Quando ele está destruído você não pode ver o oceano - mas o oceano existe e os pensamentos existem. É como se o seu rádio-receptor estivesse quebrado. Não pense que as transmissões não estão passando pela sala onde você está, porque elas estão. É o seu mecanismo receptor que não está mais funcionando. Conserte o rádio, ligue-o - e imediatamente ele começará a captá-las.

O cérebro é exatamente igual a um centro receptor. Se você o destrói, ele fica silencioso, mas esse não é o silêncio do Tantra. E eu não ensino esse silêncio - ele é como a morte. Você não vai a parte alguma por meio dele - você está é desperdiçando a sua vida. E um instrumento muito sutil, que pode fazê-lo perfeitamente inteligente, um instrumento que pode ser tão perceptivo a ponto de permiti-lo festejar toda a celebração da existência, você o destruiu.

Portanto, cuidado com as posições invertidas (de cabeça para baixo) do ioga...

Fonte: Osho, Tantra: A Suprema Compreensão, Editora Cultrix, 1992.

Labels: , , , , ,


 

Oscar Quiroga - 1140


DESEJOS E ASPIRAÇÕES


Cada desejo enunciado e realizado ou frustrado dá sobrevida à nossa humanidade, todos encontramos ânimo ao continuar desejando, esse é o combustível que usamos normalmente para ter a sobrevida e continuar nos esforçando para garantir mais um dia. Contudo, sobreviver não é suficientemente digno de nossa humanidade, no fundo de nossos corações há a idéia de vida mais abundante, algo que nenhum desejo conseguiria realizar. Nossa consciência enxerga os dois caminhos, o proposto pelos desejos e aquele imaginado pela aspiração espiritual. A todo momento nos deparamos com o dilema de escolher porque não há como trilhar os dois caminhos ao mesmo tempo nem tampouco ter um pé em cada um desses. As escolhas nos confrontam com a riqueza da liberdade.

Labels:


Sunday, December 26, 2010

 

Oscar Quiroga - 1139


SEM RECEITAS SIMPLÓRIAS


Os Emissários do Altíssimo de todas as épocas e manifestações em diversos centros de nossa humanidade sempre ressaltaram o poder da liberdade, que é o nome do jogo evolutivo para nós. O poder da liberdade é inerente à potência cosmogônica da criatividade que nós representamos, mas também é o motivo pelo qual existimos nos atormentando em dilemas tão difíceis de resolver que nos sentimos tentados a preguiçar sobre uma cama feita de certezas absurdas que, apesar de contrariadas, ainda assim continuamos sustentando pelo simples desejo de escapar de nossa árdua responsabilidade. Empreender a ação correta não é nem nunca será uma tarefa fácil. Quem quiser vender a você receitas simplórias, ou é ingênuo ou mal intencionado.

Labels:


Saturday, December 25, 2010

 

Eles Continuam entre Nós - 2

"A vida só vem da vida, e da morte só vem morte", Jesus Cristo.

O nosso espírito é eterno, a morte do corpo físico não é o fim. Somos viajantes do cosmos desde que fomos criados à semelhança de Deus. Ao nascermos na Terra, recebemos o corpo de carne, que nos possibilita interagirmos neste planeta, onde estagiamos por tempo determinado, com a finalidade de desenvolvermos nossos potenciais e nos integrarmos às leis cósmicas que regem a vida.

Somos livres para escolher, mas obrigados a colher os resultados das nossas escolhas. Assim, cada um é responsável por tudo quanto lhe acontece. Através de erros e acertos, vamos amadurecendo, evoluindo.

Não dá para avaliar o tempo que cada um vai despender nesse processo, que poderá alongar-se por séculos, conforme a resistência e o ritmo próprio de cada um. Por esse motivo, reencarnamos várias vezes neste mundo físico, só deixando de fazê-lo quando tivermos aprendido tudo o que esta dimensão pode nos oferecer.

Como a evolução é infinita, quem não precisa mais estagiar na Terra, passa a viver em outras dimensões do universo, continuando sua trajetória evolutiva em busca do conhecimento e da harmonia interior.

Tudo isso foi sendo revelado desde o começo de nossa civilização, por meio de profetas que nasceram aqui para ajudar o progresso. Alguns deles eram espíritos elevados em missão de esclarecimento, mas muitos foram expurgados do planeta onde residiam, por terem resistido ao progresso. Desenvolveram o intelecto, a inteligência, mas não os sentimentos, e estavam prejudicando aquela sociedade em que viviam, em que a maioria já havia conquistado o direito a uma vida melhor.

A vida, em sua sabedoria, os tirou do meio mais evoluído a que estavam habituados, onde a tecnologia criou facilidades e bem-estar, fazendo-os reencarnar em um planeta, cuja sociedade estava em estágio primitivo, para que houvesse uma troca salutar entre si.

Ao reencarnar, o espírito esquece suas vidas passadas, mas todas as suas experiências pretéritas continuam gravadas em seu inconsciente.

Dá para imaginar o que sentirá um espírito habituado à luz elétrica, ao transporte moderno, aos recursos de saúde, à presença de pessoas de sentimentos elevados, tendo de viver entre um povo bárbaro, malvado, ignorante? Ter de enfrentar as intempéries, a falta de conforto, guardando dentro de sua alma uma sensação de fracasso, de rejeição e de incapacidade?

Deus, ao criar o universo e os espíritos, estabeleceu leis cósmicas perfeitas que atuam com a finalidade de facilitar o desenvolvimento de todos, conduzindo-os à evolução. Fê-los simples e ignorantes, mas particularizou vocações, que comporiam as novas moradas em que viveriam, nas quais precisariam contar com pessoas para as diferentes atividades sociais a serem desenvolvidas. Colocou dentro de cada um, os potenciais necessários e lhes foi dada uma vocação, para que exercessem suas atividades com amor. Deu-lhes também o livre-arbítrio, para que pudessem fazer suas escolhas e aprender com os correspondentes resultados.

Todavia, ninguém pode permanecer parado, indefinidamente, em um ciclo vicioso. Por isso, foi-lhes concedido um tempo de tolerância para progredir, mas quando alguém se acomoda e ultrapassa esse tempo, a vida interfere, mandando desafios, que vão se tornando cada vez mais intensos e a pessoa é colocada diante de problemas mais graves, até que ceda, reaja e acorde para a realidade.

Esses ensinamentos que os espíritos elevados trazem, fazem-nos perceber a perfeição divina, a sabedoria da vida que nos ama e trabalha sempre em nosso favor.

Apesar de nossas dificuldades em aceitar as mudanças que estão diante de nossos olhos, é fato que elas nos oferecem a dignidade de podermos conquistar o próprio progresso.

Esse respeito que a sabedoria divina demonstra, acreditando que somos capazes de criar uma vida melhor, nos emociona e eleva. Faz-nos sentir que somos deuses e deusas que estamos no caminho da perfeição. Mas, ao mesmo tempo, faz-nos perceber a própria responsabilidade, não só diante de nossas necessidades, mas também em face da preservação do planeta que nos agasalha.

Deus nos deu a vida, mas a Terra ofereceu-nos tudo que necessitamos para estagiarmos aqui. Deu-nos os elementos que formam nosso corpo de carne, o ar que respiramos, vegetais, frutos que nos alimentam, animais que nos servem com dedicação. Cercou-nos de beleza, desde o azul do céu até as profundezas dos mares, onde nossas vistas não alcançam.

Nossa casa planetária, girando no espaço infinito, é um lugar privilegiado, cheio de flores, pássaros que cantam, incentivando-nos à alegria. Olhemos em volta e percebamos toda a glória da vida que nos rodeia, agradecendo por podermos viver aqui.

Desde o início de nossa civilização, os espíritos superiores têm se dedicado a nos chamar a atenção, de todas as formas possíveis, para essa realidade. Eles alegam que quando estivermos prontos, a vida, detentora de tesouros de felicidade, oferecerá o nosso. Para conquistá-lo, é necessário sabermos mais sobre o significado da vida e como ela funciona. Essa conquista também implica amadurecimento e merecimento. Ninguém colocará nas mãos de pessoas iludidas, fora da realidade, uma função que requeira conhecimento e dedicação.

Em uma sociedade onde valores espirituais e éticos estão invertidos, a cultura é dominada por falsas crenças que valorizam as aparências e as pessoas impõem a si mesmas papéis sociais para serem aceitas, é bastante comum a disseminação do sentimento de insegurança. Num contexto assim, as pessoas vivem pressionadas pelo medo - fruto da ignorância e do domínio de religiões que pregam a existência de um Deus que julga, condena, castiga seus filhos e vê o homem como um ser incapaz, eterno pedinte dos favores divinos, dependente e sem capacidade para comandar a sua própria vida.

Para elas, ser humilde é colocar-se sempre em último lugar, sem qualquer ambição. Valorizam a pobreza e veem, sob suspeita, os que têm bens e não aceitam essas imposições. Conceitos assim dificultam o progresso, distorcem a visão da realidade, oprimem, prejudicam o desempenho e conduzem à depressão e à infelicidade.

Os espíritos superiores, há muito tempo, esperam que nos libertemos dessas crenças erradas. Que enxerguemos a vida como ela é: perfeita, exuberante e rica, a oferecer-nos todas as chances de progresso.

Durante essa espera, eles persistem em nos chamar a atenção sobre a continuidade da vida após a morte, na necessidade de aprendermos as leis que regem a vida, a fim de escolhermos melhor nosso caminho.

O sexto sentido é também mais uma capacidade do ser humano. Não é fruto de nenhuma religião. Todo ser humano o possui em graus variados, diferindo de pessoa para pessoa. Sabendo disso, eles envolverm quem tem essa capacidade e transmitem seus ensinamentos. Fazem-no não apenas para abrir os olhos do homem, mas também para confortar aqueles que passam por perdas de entes queridos ou estão vivendo momentos dolorosos e situações difíceis.

A crença na vida após a morte e a certeza de que não estamos sós a enfrentar os problemas neste mundo (contamos sempre com o apoio da nossa sábia e amorosa Equipe de Supervisão individual), além de nos confortar, abrem as portas da eternidade, trazendo a esperança de que um dia tudo ficará em paz.

Fonte: Zibia Gasparetto, Eles continuam entre nós - Vol. 2, Centro de Estudos Vida & Consciência Editora, São Paulo, 2010. ISBN 978-85-7722-121-9.

Labels: , , , , , ,


 

Oscar Quiroga - 1138


A INICIAÇÃO HUMANA


Certezas temos apenas em linhas gerais: nascemos, respiramos, alternamos as experiências em agradáveis e desagradáveis, nos apaixonamos por pessoas e idéias, nos colocamos no centro do Universo como se fôssemos a entidade mais importante, nos relacionamos e um dia deixaremos de respirar, não existiremos mais. Porém, em nenhuma dessas linhas gerais está escrito o que faremos com elas, porque isso faz parte das regras do jogo de ser humano. Como experimentaremos essas realidades não está escrito nelas, mas na maneira com que lidaremos no âmbito subjetivo de nossas intimidades com a liberdade de escolher. Nada nos livra desse árduo trabalho, é nisso que consiste a iniciação que nos transforma de animais em humanos.

Labels:


Friday, December 24, 2010

 

A Reencarnação - 1


"A Alma nunca morre, mas recomeça uma nova vida, ela nada mais faz que mudar de domicílio, tomando uma outra forma. Quanto a mim, que vos revelo estas misteriosas verdades, já fui Euforbes numa outra vida, no tempo da guerra de Tróia, lembro-me perfeitamente bem de meu nome e de meus pais, assim como do modo como fui morto em combate com o rei de Esparta. Em Micenas, no templo de Juno, eu vi suspenso na parede o meu próprio escudo de um outro tempo. Mas, embora vivendo em vários corpos, a Alma é sempre a mesma, pois só a forma muda"

Pitágoras (572 - 492 a.C.)

Labels: ,


 

Oscar Quiroga - 1137


O JOGO DA LIBERDADE É COMPLEXO


O destino humano é traçado em linhas gerais enquanto os detalhes criativos ficam sob responsabilidade de nosso livre arbítrio. Porém, quando as linhas gerais, a manifestação do espírito, são postas em risco de extinção pelas brincadeiras criativas da humanidade, então aparecem por aqui os Emissários do Altíssimo a nos ajudar a salvar o espírito, mas só porque o desejamos e não porque essa tarefa nos seja imposta. As certezas de nossa humanidade, quando persistem ao longo de tempo demais, degringolam em tirania, aquela mesma que sempre coloca em risco de extinção as linhas gerais do espírito. O tema é complexo, mas assim mesmo são todas as coisas mais importantes de nossa civilização. Quem imagina que tudo possa ser simples, ou é ingênuo ou é guiado pela péssima intenção de ocultar a verdade.

Labels:


Thursday, December 23, 2010

 

Oscar Quiroga - 1136


TER CERTEZAS É ACOMODAR-SE


Tempo demais passou com nossa humanidade se agarrando a certezas que limitaram seu entendimento a respeito da Vida e, por isso, a civilização resultante foi limitada também. Nossa humanidade é uma potência cosmogônica de criatividade e, por isso, não pode viver de certezas eternas sob pena de deixar de ser quem ela é. As certezas servem para nossa humanidade se acomodar e convencer-se de que não é necessário reinventar a realidade dessas certezas. Assim o tempo passa e seu humor vai azedando e as instituições se corrompendo. Nossa humanidade deve questionar tudo para nunca estacionar em certeza alguma durante tempo demais, mas apenas transitoriamente, até encontrar a forma de ir além do que considerava sua maior conquista.

Labels: ,


Wednesday, December 22, 2010

 

Oscar Quiroga - 1135


CERTEZAS E DILEMAS


Nos momentos desanimados nossa humanidade adoraria encontrar certezas para se agarrar a elas e superar seus constrangimentos. Porém, qualquer alma minimamente sincera consigo mesma reconheceria que tais certezas seriam cortes da realidade, reduções feitas para servir à vontade de superar os tormentos subjetivos. Acontece que a própria essência do que nos torna humanos é a liberdade e essa não existiria se tivéssemos certezas absolutas sobre a Vida. Nós temos apenas as linhas gerais de todos os impulsos que experimentamos, os biológicos, os da civilização, impulsos das potências cosmogônicas de que somos partes integrantes, porém, somos humanos enquanto assumimos a responsabilidade do rumo que damos a todos e cada um desses impulsos.

Labels:


Tuesday, December 21, 2010

 

Efeitos de um Refrigerante


Recebi um e-mail de João Batista Duarte [
WWW.PHOENIXTRAINING.COM.BR ] com as informações abaixo.

O QUE ACONTECE QUANDO VOCÊ ACABA DE BEBER UMA LATA DE REFRIGERANTE

Fonte: Prof. Dr. Carlos Alexandre Fett

Faculdade de Educação Física da UFMT
Mestrado em Nutrição da UFMT
Laboratório de Aptidão Física e Metabolismo - 3615 8836
Consultoria em Performance Humana e Estética

Primeiros 10 minutos:
10 colheres de chá de açúcar invadem o seu corpo, 100% do recomendado diariamente.
Você não vomita imediatamente pelo doce extremo, porque o ácido fosfórico corta o gosto.

20 minutos:
O nível de açúcar em seu sangue estoura, forçando uma descarga adicional de insulina.
O fígado responde transformando todo o açúcar que recebe em gordura (É muito para este momento em particular).

40 minutos:
A absorção de cafeína está completa. Suas pupilas dilatam, a pressão sanguínea sobe, o fígado responde bombeando mais açúcar na corrente.
Para evitar as tonturas o corpo naturalmente bolquia os receptores de adenosina no cérebro.

45 minutos:
O corpo aumenta a produção de dopamina, estimulando os centros de prazer do corpo. (Fisicamente, funciona como o efeito da heroína)

50 minutos:
O ácido fosfórico empurra cálcio, magnésio e zinco para o intestino grosso, aumentando o metabolismo.
As altas doses de açúcar aumentam o depósito de cálcio na urina, ou seja, está pronto para urinar seus ossos,
esta é uma das causas das OSTEOPOROSE.

60 minutos:
As propriedades diuréticas da cafeína entram em ação. Você urina.
Agora é garantido que excretará uma boa parte do cálcio, magnésio e zinco, que os seus ossos precisariam e que já estavam no seu organismo vindo de alimentos saudáveis.

Conforme a onda abaixa você sofrerá um choque de açúcar.
Ficará irritadiço.
Você já terá excretado tudo que estava no refrigerante, e juntos nesta eliminação, muitos nutrientes que farão falta ao seu organismo.

Pense nisso antes de beber refrigerantes.
Se não puder evitá-los, modere sua ingestão!
Prefira sucos naturais.
Seu corpo agradece!

Labels:


 

Mensagens da Brahma Kumaris - 16

Sentimento

“Nós criamos nossa própria experiência. Quando escolhemos o comportamento, escolhemos as consequências. Um pensamento é um comportamento. Nós conhecemos e experimentamos esse mundo através das percepções que criamos. Nossas percepções são as nossas interpretações do mundo. Nós, e apenas nós, escolhemos o que sentir. Os outros podem proporcionar um evento ou comportamento para que reajamos, mas depende de nós escolher o que sentir em relação a eles.

– BK Surendran, Bank of blessings, World Renewal, August, 2007

Labels: ,


 

Oscar Quiroga - 1134


AME SEUS DILEMAS


Quem vive de certezas é animal, porque não precisa questionar seus impulsos nem decidir o rumo desses. Quem for humano nunca terá o alívio da certeza e na eventualidade de dedicar a existência a buscar certezas ele ou ela perderá o fio da meada que o torna humano. É humano questionar, duvidar, se atormentar com dilemas que parecem insuperáveis, tudo em nome de que os impulsos, sejam esses biológicos, civilizados, cósmicos ou espirituais encontrem em nossa humanidade o terreno do livre arbítrio que só pode ser trilhado através do árduo questionamento. Sem isso ninguém merece ser chamado de humano. A partir de agora passe a amar suas dúvidas e a dar seu melhor para superá-las, aguardando pelas próximas, ainda mais complexas.

Labels:


This page is powered by Blogger. Isn't yours?