Sunday, December 25, 2011

 

Epicteto - 7


Sem vergonha, sem culpa


Se são nossos sentimentos sobre as coisas que nos atormentam, e não as coisas em si, culpar os outros é tolice. Sendo assim, quando sofrermos contrariedades, incômodos ou dor, deixemos de culpar os outros e culpemos nossas próprias atitudes.

As pessoas medíocres normalmente culpam os outros por sua própria infelicidade. Em geral as pessoas culpam-se a si mesmas. Aquelas que se dedicam a uma vida de sabedoria entendem que o impulso de culpar algo ou alguém é bobagem, que nada se ganha em culpar, seja atribuindo-se a culpa aos outros ou a si mesmo.

Um dos sinais de início do progresso moral é a extinção gradual da culpa. Percebemos como é fútil levantar o dedo em riste. Quanto mais analisamos nossas atitudes e nos trabalhamos, menos sujeitos estamos a sermos arrebatados por reações emocionais intempestivas sob as quais buscamos explicações simplistas para acontecimentos inesperados.

As coisas simplesmente são como são. As outras pessoas pensam o que pensam, e isso não nos diz respeito. Sem Vergonha. Sem Culpa.

Fonte: Sharon Lebell, O Pequeno Livro da Vida, Editora Best Seller, 1994 (do original em inglês). ISBN 85-7123-482-5.

Labels: ,


 

Oscar Quiroga - 1481


UNIVERSAL


Eventualmente, você pode não fazer parte da tribo cristã e a data de hoje não passar, por isso, de um feriado a mais. Porém, acreditando ou não, é inegável que a passagem de Jesus, o Cristo, pelo nosso planeta, deixou marcas indeléveis. É a partir de sua presença e ensinamentos que se promove o início da globalização. A Igreja Católica, cujo nome grego “katholikós” define o universal, a meu ver só cometeu um erro, grave, no processo dessa universalização de nossa humanidade, trocou o poder da palavra pela imposição da espada. De tempos em tempos, e por puro amor, o Altíssimo envia seus representantes com novos ensinamentos. Andamos precisando disso. Precisamos de novas instruções para substituir nossa paixão pelo domínio pelo amor gracioso que se distribui livremente pelo oceano infinito de Vida que é o Universo.

Labels:


Saturday, December 24, 2011

 

Epicteto - 6


Os acontecimentos não nos magoam. O que pode nos magoar é a visão que temos deles


Por si mesmas as coisas ou as pessoas não nos magoam nem nos embaraçam. O modo como as encaramos já é outra questão. São as nossas atitudes e reações que nos causam problemas.

Assim, nem mesmo a morte é uma grande coisa em si mesma. É a idéia que temos dela que é terrível, que nos apavora. Há tantos modos diferentes de se pensar sobre a morte. Examine suas idéias sobre a morte - e sobre tudo o mais. Elas são verdadeiras? Estão fazendo algum bem a você? Não tema a morte ou a dor, tema o medo da morte ou da dor.

Não podemos escolher as circunstâncias externas, mas podemos sempre escolher a forma como reagir a elas.

Fonte: Sharon Lebell, O Pequeno Livro da Vida, Editora Best Seller, 1994 (do original em inglês). ISBN 85-7123-482-5.

Labels:


 

Oscar Quiroga - 1480


COSMO É ORDEM, CAOS É SACERDÓCIO


O Cosmo em que nos movimentamos e somos é absoluta e meticulosamente ordenado, em seu ventre está o Princípio de Vida que se distribui graciosamente através de tudo e de todos. Esta é uma Lei Eterna e Universal. Por aqui as coisas são diferentes porque há muito tempo uma turma bem sórdida descobriu que produzindo caos e incentivando-o de todas as formas possíveis os humanos se esqueceriam do acesso livre e desimpedido ao Princípio de Vida, mas ansiosos por ter esse contato e perante o caos disseminado exaltariam a figura dos sacerdotes como promessas de que a ordem retornaria. O Cosmo é Ordem, o Caos é Sacerdócio. Esta é e ideologia que está no fundo de nossa civilização, que produz sistematicamente muito caos para que a casta de sacerdotes produtores de soluções continue se desenvolvendo e prevalecendo.

Labels:


Friday, December 23, 2011

 

Mensagem da Brahma Kumaris - 52

Deus

“Quando criamos uma conexão viva e constante com Deus automaticamente nos conectamos com toda a família global. E o resultado disso é que passamos a receber cooperação de todos, não apenas daqueles que foram beneficiados com a nossa ajuda. Quando elevamos a consciência em direção ao Supremo, nos conectamos com toda a criação. Como resultado, tudo de melhor vem a nós. O método para isso é criar um relacionamento com Ele baseado no amor, na honestidade e na confiança.”

Que você, sua família e amigos celebrem um Natal sereno e iluminado em uma atmosfera de muita paz e amor fraterno.

Labels:


 

Epicteto - 5


Harmonize suas ações com o que a vida realmente é


Não tente fazer suas próprias regras.

Em todas as questões, grande e públicas ou pequenas e domésticas, tenha uma conduta de acordo com as leis da natureza. Harmonizar sua vontade com a natureza deve ser seu ideal maior.

Onde praticar esse ideal? Nos deveres da vida cotidiana, com as tarefas e encargos específicos que cada um de nós tem. Quando você estiver cumprindo essas tarefas, faça-as da melhor maneira, em harmonia com a natureza. Quando você comer ou tomar banho, faça-o da melhor maneira, em harmonia com a natureza, e assim por diante.

Não é tanto o que fazemos, mas como fazemos. Quando entendemos corretamente esse princípio e vivemos de acordo com ele, ainda que surjam as dificuldades - pois elas também fazem parte da ordem divina -, a paz interior será possível.

Fonte: Sharon Lebell, O Pequeno Livro da Vida, Editora Best Seller, 1994 (do original em inglês). ISBN 85-7123-482-5.

Labels:


 

Oscar Quiroga - 1479


O CÂNCER DO MUNDO


O dinheiro domina o mundo, alguém se atreveria a questionar isso? Provavelmente sim, mas com a alma motivada apenas pela paixão das argumentações, pois na prática, é só testemunhar algumas horas o desempenho da civilização para comprovar em torno do quê se movimenta o mundo. Acontece que na raiz de todo processo de domínio se encontra a falta de amor, ou melhor dito, para o mundo ser dominado pelo dinheiro foi imprescindível sacrificar o amor por nós mesmos e também aquele amor sem o qual todos os relacionamentos se tornam corrompidos. Por acaso nossa humanidade imaginou que isso seria para sempre? Esse invento de prolongado domínio é como um câncer, freneticamente destrutivo e burro o suficiente para não perceber que, no fundo, só faz é destruir a si mesmo. Assim se dá o fim de nossa civilização.

Labels:


Thursday, December 22, 2011

 

Mensagens da Brahma Kumaris - 51

Amor

“Em um mundo melhor, a lei natural é a do amor. Em uma pessoa melhor, a natureza natural é amorosa. Amor é o princípio que cria e sustenta as relações humanas com dignidade e profundidade. O amor espiritual nos leva ao silêncio e este silêncio tem o poder de unir, orientar e liberar as pessoas. Quando o amor é aliado à fé, isso cria uma forte fundação para iniciativa e ação. O amor é um catalisador para mudanças, crescimento e conquistas.”

Mike George

Labels:


 

Epicteto - 4


Veja as coisas como elas realmente são


As circunstâncias não surgem para corresponder às nossas expectativas. As coisas acontecem como acontecem. As pessoas se comportam de acordo com o que são. Abrace o que você realmente tem.

Abra os olhos: veja as coisas como elas realmente são, e assim se poupe da dor de falsos afetos e da destruição evitável.

Pense no que lhe dá prazer - as ferramentas das quais depende, as pessoas que quer bem. Mas lembre-se de que elas têm seu caráter distinto, bem diferente de como as consideramos.

Como exercício, pense nas menores coisas às quais você está afeiçoado. Por exemplo, suponha que você tem uma xícara favorita. Ela é, afinal, uma simples xícara, de modo que se vier a se quebrar, você pode suportar. Em seguida concentre-se nas coisas - ou pessoas - pelas quais o sentimento e os pensamentos de apego se intensificam.

Lembre, por exemplo, que quando você abraça seu filho, marido, ou mulher, você está abraçando um mortal. Desse modo se um deles morrer você poderá suportar o fato com mais tranquilidade.

Quando algo acontece, a única coisa em seu poder é a atitude que você tem diante dela: aceitá-la ou ressentir-se dela.

O que realmente nos amedronta e nos desalenta não são os acontecimentos externos, mas o modo como pensamos neles. Não são as coisas que nos incomodam, mas a interpretação de seu significado.

Pare de se aterrorizar com idéias impulsivas, com as impressões reativas de como as coisas são!

As coisas e as pessoas não são o que desejamos que sejam ou o que parecem ser. Elas são o que são.

Fonte: Sharon Lebell, O Pequeno Livro da Vida, Editora Best Seller, 1994 (do original em inglês). ISBN 85-7123-482-5.

Labels:


 

Oscar Quiroga - 1478


O FIM


O tempo do prolongado domínio da corrupção sempre existiu no ventre do tempo infinito do Altíssimo e, por isso, está consumindo a si mesmo. Os erros são sempre transitórios, só que às vezes duram tanto que nossa humanidade se acostuma com a realidade, imaginando que realiza sua pretensão de ser maior do que o Universo em que vive. O tempo do prolongado domínio do erro de criar um mundo corrupto e miserável está no fim, mas o que parece uma catástrofe é na verdade o fim dela. Catastrófico foi viver durante séculos sob o domínio de uma perspectiva sórdida, mediante a qual o livre trânsito pelo planeta e usufruto de seus recursos foi limitado em nome de acumulações indevidas. Que isso chegue ao fim é motivo de celebração.

Labels:


Wednesday, December 21, 2011

 

Mensagens da Brahma Kumaris - 50

Desafio

"A vida é cheia de términos e novos começos. A cada curva há algo que nos desafia, seja o novo, formidável, ou simplesmente o familiar. O que para uns é uma montanha intransponível, para outros é um desafio a vencer. O que se torna sombrio para alguns, ainda permanece iluminado para outros. Os otimistas vêem o caminho à frente, os pessimistas ficam tão ocupados em olhar para trás que não conseguem ver a solução bem diante deles. Se ficarmos segurando a corda que nos arrasta para trás não teremos mãos livres para agarrar a corda que nos puxa para frente."

Brahma Kumaris

Labels:


 

Conversando com Deus - 9


Pergunta a Deus:
Uma alma escolhe antecipadamente que tipo de vida ela terá?

Resposta de Deus: Não, isso iria contra o objetivo do encontro, que é criar a sua experiência - e, portanto, o seu Eu - no glorioso momento atual. Por esse motivo, você não escolhe antecipadamente a vida (encarnada) que terá.

Mas pode escolher as pessoas, os lugares e os eventos - as condições e circunstâncias, os desafios e obstáculos, as oportunidades e opções - para criar a sua experiência. Você pode escolher as cores para a sua palheta, as ferramentas para o seu baú, as máquinas para a sua loja. O que você cria com elas é assunto seu. Esse é o objetivo da vida.

Seu potencial é ilimitado em tudo que escolher fazer. Não presuma que a alma que encarnou em um corpo físico que você chama de limitado não realizou todo o seu potencial, porque você não sabe o que essa alma estava tentando fazer. Você desconhece a sua agenda, a sua intenção.

Por isso, bendiga todas as pessoas e condições, e agradeça. Desse modo, afirmará que o que Deus criou é perfeito - e mostrará a sua fé Nele. Porque nada acontece por acaso no mundo de Deus. Não existe coincidências. O mundo não é devastado pelo acaso, ou devido ao que você chama de destino.

Se um floco de neve tem um design totalmente perfeito, você não acha que o mesmo poderia ser dito sobre algo tão maravilhoso quanto a sua vida?

Pergunta a Deus: Mas até mesmo Jesus curou os doentes! Por que Ele os curaria se a sua condição fosse tão "perfeita"?

Resposta de Deus: Jesus não os curou porque achava que a sua condição era imperfeita. Ele os curou porque viu aquelas almas pedindo a cura como parte de seu processo. Viu a perfeição do processo. Reconheceu e compreendeu a intenção da alma. Se Jesus tivesse achado que todas as doenças, mentais ou físicas, representavam imperfeições, Ele não teria simplesmente curado ao mesmo tempo todas as pessoas do planeta? Você duvida de que Ele poderia ter feito isso?

Interlocutor: Não. Sei que Ele poderia.

Deus: Ótimo. Então a mente deseja saber: por que Ele não o fez? Por que Cristo decidiu que alguns deveriam sofrer, e outros ser curados? Por que Deus permite o sofrimento? Esta pergunta já foi feita antes, e a resposta é a mesma. Há perfeição no processo - e toda vida resulta da escolha. Não se deve interferir na escolha, ou questioná-la. Muito menos se deve condená-la.

Deve-se observá-la, e depois fazer o possível para ajudar a alma a fazer uma escolha superior. Portanto, esteja atento às seleções das outras pessoas, mas não as julgue. Saiba que a sua escolha é perfeita para elas neste momento - mas esteja pronto para ajudá-las se mais tarde elas quiserem fazer uma opção nova, diferente, uma escolha superior.

Esteja em comunhão com as outras almas, e seus objetivos e suas intenções se tornarão claros para você. Foi isso que Jesus fez com aqueles que curou - e com todas as vidas que tocou. Ele curou todas as pessoas que O procuraram, ou que enviaram outras para implorar por elas. Jesus não curou a esmo. Isso seria infringir uma Lei Sagrada do Universo: Deixe todas as almas seguirem o seu caminho.

Pergunta a Deus: Mas isso significa que não devemos ajudar as pessoas sem que elas nos peçam? Certamente que não, ou nunca poderíamos ajudar as crianças famintas da Índia, o povo sofrido da África, ou os pobres e oprimidos de todos os lugares. Todos os esforços da fraternidade seriam perdidos, e toda a caridade seria proibida. Devemos esperar que uma pessoa grite de desespero, ou que o povo de uma nação implore por ajuda, par que possamos fazer o que é obviamente certo?

Resposta de Deus: Você vê, a resposta está na própria pergunta. Se uma coisa é obviamente certa, faça-a. Mas lembre-se de que é preciso muito rigor no julgamento, no que diz respeito ao que chama de "certo" ou "errado". Uma coisa só é certa ou errada porque você diz que é. Não é certa ou errada intrinsicamente.

Interlocutor: Não?

Deus: O "certo" ou "errado" não é uma condição intrínseca, é um julgamento subjetivo em um sistema pessoal de valores. Através de seus julgamentos subjetivos você cria o seu Eu - através de seus valores pessoais determina e demonstra Quem É.

O mundo existe exatamente como é para que você possa fazer esses julgamentos. Se existisse em perfeitas condições, seu processo vital de criação do Eu terminaria. A carreira de um advogado terminaria amanhã se não existissem mais litígios. Ocorreria o mesmo com a carreira de um médico se não existissem mais doenças. A carreira de um filósofo também terminaria se não existissem mais dúvidas.

Interlocutor: E a carreira de Deus terminaria amanhã se não existissem mais problemas!

Deus: Exatamente. Seu raciocínio foi perfeito. Todos nós pararíamos de criar se não existisse mais nada para ser criado.

Temos muito interesse em continuar o jogo. Apesar do fato de que dizemos que gostaríamos de resolver todos os problemas, não ousamos fazer isso, porque nesse caso não teríamos mais o que fazer.

Seu complexo militar-industrial entende isso muito bem. É por esse motivo que ele se opõe terminantemente a qualquer tentativa de estabelecimento de uma política contrária à guerra, em qualquer lugar.

Suas instituições médicas também entendem isso. É por esse motivo que se opõem firmemente - têm de fazê-lo, para a sua própria sobrevivência - a novas drogas, terapias ou curas milagrosas, e ainda mais à possibilidade de milagres.

Sua comunidade religiosa também tem essa lucidez. É por esse motivo que sempre se opõe a qualquer definição de Deus que não inclua medo, julgamento e punição, e a qualquer definição do Eu que não inclua a sua própria idéia do único caminho para Deus.

Se eu lhe disser que você é Deus - para onde vai a religião? Se eu lhe disser que você já está curado, para onde vão a ciência e a medicina? Se eu lhe disser que você deve viver em paz, para onde vão os pacificadores? Se eu lhe disser que o mundo é fixo, para onde vai o mundo?

Interlocutor: E quanto aos edificadores?

Deus: O mundo é cheio de dois tipos de pessoas: as que lhe dão as coisas que você quer, e as que as reparam. Em certo sentido, até mesmo as que apenas lhe dão as coisas que você quer - os açougueiros, os padeiros, os fabricantes de castiçais - também são edificadoras. Porque desejar alguma coisa frequentemente é precisar dela. É por isso que é dito que os viciados precisam de uma dose. Portanto, tome cuidado para que o desejo não se transforme em vício.

Pergunta a Deus: Está dizendo que o mundo sempre terá problemas? Que realmente Você quer que seja assim?

Resposta de Deus: Estou dizendo que o mundo existe do jeito que é - como um floco de neve existe do jeito que é - propositalmente. Vocês o criaram assim - como criaram as suas vidas exatamente como são.

Eu quero o que vocês querem. Quando realmente vocês quiserem acabar com a fome, não haverá mais fome. Eu lhes dei todos os recursos para isso. Todos vocês têm os meios para fazerem essa escolha. Mas não a fizeram. O mundo poderia acabar com a sua fome amanhã. Vocês escolhem não fazer isso.

Vocês dizem que há bons motivos para 40 mil pessoas morrerem de fome cada dia. Não há. Contudo, em uma época em que dizem que não podem fazer coisa alguma para evitar essas mortes, trazem ao mundo 50 mil novas vidas a cada dia. E denominam isso de amor, de plano de Deus. Esse é um plano totalmente ilógico, irracional e impiedoso.

Eu estou mostrando em termos claros que o mundo se encontra nas condições atuais porque vocês escolheram que fosse assim. Estão destruindo sistematicamente o seu meio ambiente, e depois dizem que os desastres naturais são uma peça cruel que Deus pregou, ou obra de uma Natureza cruel. Vocês é que pregaram a peça em si mesmos, e que são cruéis.

Nada é mais gentil do que a Natureza. E nada tem sido mais cruel com a Natureza do que o homem. Porém, vocês negam qualquer envolvimento e responsabilidade nisso. Dizem que não é sua culpa, e nesse ponto estão certos. Não é uma questão de culpa, mas de escolha.

Vocês podem escolher acabar com a destruição de suas florestas tropicais amanhã, parar de destruir a camada protetora de ozônio que flutua sobre o seu planeta, pôr fim ao ataque ao seu complexo ecossistema. Podem tentar juntar as partes do floco de neve, ou pelo menos evitar que derreta, mas farão isso?

De igual modo, podem acabar com todas as guerras amanhã. Simples e facilmente. Tudo que é preciso, e que sempre foi, é que todos concordem com isso. Mas, se vocês não conseguem concordar com algo tão basicamente simples como parar de se matarem, como podem implorar ao Céu com as mãos erguidas para que as suas vidas sejam colocadas em ordem?

Eu não farei nada por vocês que vocês não farão por si mesmos. Esta é a lei e é o que dizem os profetas.

O mundo está nas condições atuais por causa de vocês, e das escolhas que fizeram - ou deixaram de fazer. (Não decidir é decidir).

A Terra está como está por causa de vocês, e das escolhas que fizeram - ou deixaram de fazer.

Suas próprias vidas estão como estão por causa de vocês, e das escolhas que fizeram - ou deixaram de fazer.

Interlocutor: Mas eu não escolhi ser atropelado por aquele caminhão! Não escolhi ser roubado por aquele ladrão, ou estuprado por aquele maníaco. Há pessoas no mundo que poderiam dizer isso.

Deus: Todos vocês produziram as condições que criam no ladrão o desejo ou a necessidade de roubar. Todos vocês criaram a consciência que torna o estupro possível. É quando vêem em si mesmos o que causou o crime que finalmente começam a corrigir a condição que lhe deu origem.

Alimentem os famintos, dêem dignidade aos pobres e oportunidade aos menos afortunados. Ponham fim aos preconceitos que fazem as pessoas ficarem confusas e raivosas, com poucas perspectivas de um futuro melhor. Deixem de lado os seus tabus absurdos e as restrições que dizem respeito à energia sexual - em vez disso, ajudem as outras pessoas a compreenderem o seu milagre, e a canalizá-la corretamente. Façam essas coisas e terão dado um grande passo na direção do fim do roubo e do estupro.

Quando ao chamado "acidente" - o caminhão na curva, o tijolo que cai do alto - aprendam a vê-lo como uma pequena parte de um mosaico maior. Vocês foram para a Terra para elaborar um plano individual para a sua própria salvação. No entanto, salvar-se não significa livrar-se das armadilhas do demônio. Não existe demônio e nem Inferno. Vocês estão se salvando do descuido da não-realização.

Essa batalha não pode ser perdida. Vocês não podem falhar. Portanto, não se trata de uma batalha, é apenas um processo. Mas se não souberem disso, acharão que é uma luta constante. Podem até mesmo acreditar na luta durante o tempo suficiente para criar toda uma religião em torno dela. Esta religião lhes ensinará que a luta é o objetivo de tudo, o que é um falso ensinamento. Não é lutando que o processo continua. É rendendo-se que a vitória é assegurada.

Os acidentes acontecem porque acontecem. Certos elementos do processo da vida se juntam de um determinado modo, em um dado momento e com resultados estipulados - que vocês chamam de desastrosos, por seus motivos particulares. Contudo, podem não ser desastrosos, dada a determinação da sua alma.

Eu lhes digo: não existe coincidência, e nada acontece "por acaso". Vocês atraem para si todos os eventos, para poderem criar e experimentar Quem Realmente São. Todos os verdadeiros Mestres sabem disso. Este é o motivo pelo qual ficam impertubáveis diante das piores experiências da vida (como vocês as definiriam).

Os grandes mestres de sua religião cristã entendem isso. Sabem que Jesus não ficou perturbado com a crucificação, mas a esperou. Ele poderia tê-la evitado, mas não a evitou. Poderia ter interrompido o processo em qualquer ponto. Tinha tal poder. Porém, não fez isso. Permitiu-se ser crucificado para ser a salvação eterna do homem. Vejam, disse Ele, o que posso fazer. Vejam o que é verdade. E saibam que também farão essas coisas e muitas outras. Eu não disse que são deuses? Mas vocês não crêem. Se não puderem acreditar nisso, confiem em si mesmos e em Mim.

A compaixão de Jesus era tanta que Ele implorou por uma forma - e a criou - de causar tamanho impacto no mundo que todos poderiam ir para o Céu (realização pessoal) - se não de outro modo, através Dele. Porque Ele venceu o sofrimento e a morte. E vocês podem fazer o mesmo.

O maior ensinamento de Cristo não foi que vocês terão vida eterna, mas que têm; não que terão fraternidade em Deus, mas que têm; não que terão tudo que pedirem, mas que têm.

Tudo o que é preciso é saber disso. Porque vocês criam a sua realidade, e a vida só poderá ser para vocês como pensam que será.

Pensar é o primeiro passo na criação. Deus-Pai é pensamento. Seu pensamento é o pai que dá origem a todas as coisas.

Interlocoutor: Essa é uma das leis que devemos nos lembrar?

Deus: Sim.

Pergunta a Deus: O Senhor pode me dizer quais são as outras?

Deus: Eu disse para vocês quais são todas elas, desde o início dos tempos. Repetidamente. Eu lhes enviei um mestre após o outro. Vocês não ouvem os meus mestres. Vocês os matam.

Pergunta a Deus: Mas por quê? Por que matamos os mais santos entre nós? Nós os matamos ou desonramos, o que é a mesma coisa. Por quê?

Deus: Porque eles se opõem a todos os seus pensamentos que negariam a Mim. E vocês negam a Mim quando negam a si mesmos.

Pergunta: Por que eu ia querer negar ao Senhor, ou a mim?

Deus: Porque você tem medo. E porque Minhas promessas são boas demais para serem verdade. Porque você não consegue aceitar a Verdade maior. E por isso você tem de contentar-se com uma espiritualidade que ensina medo, dependência e intolerância, em vez de amor, poder e aceitação.

Você está cheio de medo - e o seu maior medo é de que a Minha maior promessa possa ser a maior mentira da vida. E então você cria a maior fantasia que pode para defender-se disso: afirma que qualquer promessa que lhe dá poder e garante o amor de Deus deve ser a falsa promessa do demônio. Diz a si mesmo que Deus nunca faria tal promessa, apenas o demônio - para tentá-lo a negar a verdadeira identidade de Deus como uma entidade temível, ciumenta e vingativa, que julga e pune.

Apesar do fato de que essa descrição se encaixaria melhor na de um demônio (se existisse um), você atribui características demoníacas a Deus para convencer-se a não aceitar as promessas divinas de seu Criador, ou as qualidades divinas do Eu.

Tamanho é o poder do medo.

Interlocutor: Eu estou tentando me livrar do medo. O Senhor me falará novamente - mais - sobre as leis?

Deus: A Primeira Lei é que você pode ser, fazer e ter tudo que imaginar. A Segunda Lei é que você atrai tudo aquilo que teme.

A emoção é a força que atrai. Você experimentará aquilo que teme muito. Um animal - que é considerada uma forma de vida inferior (embora os animais ajam com mais integridade e coerência do que os seres humanos) - sabe imediatamente se você tem medo dele. As plantas - que é considerada uma forma de vida ainda mais inferior - reagem às pessoas que as amam muito melhor do que às que não se importam com elas.

Nada disso é coincidência. Não existe coincidência no Universo - só existe um grande projeto; um incrível "floco de neve".

Emoção é energia em atividade. Quando você ativa energia, cria efeito. Se ativar energia suficiente, criará matéria. Matéria é energia acumulada. Ativada. Se você manipular energia por tempo suficiente de um determinado modo, obterá matéria. Todos os Mestres conhecem esssa lei. É a alquimia do Universo, o segredo de toda vida.

O pensamento é pura energia. Todos os pensamentos que você tem, teve ou terá são criativos. A energia do seu pensamento nunca acaba. Nunca. Deixa a sua essência e a sua mente no Universo, expandindo-se para sempre. Um pensamento é eterno.

Todos os pensamentos se solidificam; eles encontram outros pensamentos, ziguezagueando em um incrível labirinto de energia, criando uma forma sempre mutante de indescritível beleza e inacreditável complexidade.

Energia similar atrai energia similar - formando (para usar palavras simples) "massas" de energia do tipo similar. Quando "massas" suficientes de energia similar se encontram, "grudam" umas às outras (para usar outro termo simples). É preciso uma quantidade enorme de energia similar para formar matéria. Mas a matéria se formará de pura energia. Na verdade, é o único modo pelo qual pode formar-se. Quando a energia se torna matéria, continua a ser matéria durante muito tempo - a menos que seja desintegrada por uma forma de energia oposta e dissimilar. Essa energia dissimilar, agindo sobre a matéria, de fato a desintegra, liberando a energia pura da qual era formada.

Em termos elementares, essa é a teoria por trás da bomba atômica de vocês. Einstein chegou mais perto do que qualquer outro ser humano - antes e depois dele - de descobrir e explicar o segredo criativo do Universo.

Agora você deveria entender melhor como pessoas de mente similar podem trabalhar juntas para criar uma realidade ideal. A frase "onde dois ou mais estiverem reunidos em Meu nome" torna-se muito mais significativa.

É claro que quando sociedades inteiras pensam de um determinado modo, com muita frequência acontecem coisas surpreendentes - nem todas necessariamente desejáveis. Por exemplo, uma sociedade que vive sempre com medo - de fato, inevitavelmente - produz o que mais teme.

Da mesma forma, grandes comunidades ou congregações com frequência encontram um poder milagroso no pensamento combinado (ou no que algumas pessoas chamam de oração comum).

E deve ser deixado claro que até mesmo os indivíduos - se seus pensamentos (suas preces e esperanças, seus desejos, sonhos e medos) forem muito fortes - podem produzir esses resultados. Jesus fez isso regularmente. Entendeu como manipular energia e matéria, como rearranjá-las, redistribuí-las e controlá-las totalmente. Muitos Mestres sabiam disso. Muitos sabem agora.

Você pode saber. Neste exato momento.

Esse é o conhecimento do bem e do mal que Adão e Eva partilharam. Só pôde haver vida como vocês a conhecem depois que eles compreenderam isso. Adão e Eva - os nomes míticos que vocês deram ao Primeiro Homem e à Primeira Mulher - foram o Pai e a Mãe da experiência humana.

O que tem sido descrito com a queda de Adão, na verdade foi o seu erguimento - o maior evento isolado na história da humanidade. Porque sem ele, o mundo da relatividade nunca existiria. O ato de Adão e Eva não foi o pecado original. Na verdade, foi a primeira bênção. Vocês deveriam agradecer-lhes do fundo de seus corações - porque sendo os primeiros a fazer a escolha "errada", produziram a possibilidade de fazer qualquer escolha.

Em sua mitologia vocês tornaram Eva a "má" - a tentadora que comeu o fruto do conhecimento do bem e do mal - e induziu Adão a fazer o mesmo. Essa mitologia lhes permitiu tornar desde então a mulher a "ruína" do homem, o que resultou em todos os tipos de deturpação da realidade - sem falar nas visões distorcidas do sexo e nas confusões (Como é possível sentir-se tão bem com algo tão ruim?).

O que vocês temem mais os perseguirá. O medo os atrairá como um ímã. Todos os seus escritos sagrados - de todas as crenças e tradições religiosas que criaram - contêm a clara advertência: não temeis. Acham que isso é por mero acaso?

As Leis são muito simples:

1. O pensamento é criativo.
2. O medo atrai como energia.
3. O amor é tudo que existe.

Interlocutor: Agora o Senhor me deixou confuso. Como o amor pode ser tudo que existe se o medo atrai como energia?

[continua]

Fonte: Neale Donald Walsch, Conversando com Deus - Livro I, Editora Agir, Rio de Janeiro, 2008. ISBN 978-85-220-0848-3.

Labels: , , , ,


 

Epicteto - 3


Reconheça as meras aparências pelo que elas são


De agora em diante, exercite-se em dizer a tudo o que lhe parecer desagradável: "Você é apenas uma aparência e de modo algum é o que parece ser". E então considere cuidadosamente a questão de acordo com os princípios discutidos, sobretudo: essa aparência diz respeito ao que está sob meu controle ou ao que não está? Se disser respeito a qualquer coisa fora do seu controle, treine-se a não se preocupar com ela.

Fonte: Sharon Lebell, O Pequeno Livro da Vida, Editora Best Seller, 1994 (do original em inglês). ISBN 85-7123-482-5.

Labels:


 

Oscar Quiroga - 1477


A CATÁSTROFE


O dinheiro como o conhecemos está com os dias contados, e como nossa humanidade, sabendo disso, não fez o necessário para criar uma transição harmoniosa entre o antes e o depois, a catástrofe está escrita com as mãos de ferro do destino, é inexorável. O invento dos Lídios é genial, o dinheiro é o instrumento que melhor representa o que nossa humanidade sabe fazer, tirar as idéias do mundo subjetivo e transformá-las em obras concretas. Esse poder é de todos. Por isso, o dinheiro não é do mal, mas foi sequestrado pelo ambiente mais sórdido de nossa humanidade, o pecado de a parte pretender ser maior do que o Todo. Assim, em vez de o dinheiro circular livremente foi represado e acumulado indevidamente, produzindo miséria em vez de riqueza. Essa foi a verdadeira catástrofe, não o fim dela que se avizinha.

Labels:


Tuesday, December 20, 2011

 

Oscar Quiroga - 1476


O DEUS E DEUS


A fé, tal qual o apreço por determinados gostos ou cores, não se discute, pois não admite críticas, é o que é. Sobre essa afirmação é compreensível que nossa humanidade, essa mesma que se gaba de racional e que por isso questiona tudo, inclusive Deus, não aceite que se censure o ritual cotidiano que o mundo desempenha em torno do dinheiro. Nos tempos modernos que vivemos, o único Deus inquestionável de nossa humanidade racional é o dinheiro, todos elevam suas orações cotidianas a ele e cumprem seus rituais sem questionamento algum, transitando por seus templos sagrados, os bancos e bolsas de valores. Logo mais se comemorará a data de nascimento daquele que veio em nome do Altíssimo e que o único momento em que se enfureceu com nossa humanidade foi quando expulsou os banqueiros do templo.

Labels:


Monday, December 19, 2011

 

Tudo cresce muito mais na Holanda! Por que?


A carência de certos elementos químicos provoca distúrbios na flora e na fauna. Para comprovar isso, basta observar certas áreas onde a vida se desenvolve com exuberância e outras onde não há manifestação de determinados estados patológicos, comuns às áreas vizinhas.

Os meios de comunicação noticiaram que o governo holandês estava preocupado com o aumento da estatura média de seu povo. Mas não só o homem holandês é alto e forte: na verdade, todos os animais que vivem na Holanda são impressionantemente grandes e robustos: os coelhos parecem cabritos, os frangos tendem a ter o tamanho de perus, os cavalos são altos e fortes como elefantes, as vacas são verdadeiras fábricas de leite. A Holanda é quase a única produtora de sementes da famosa batatinha (que inclusive leva seu nome: batata-holandesa), e a exporta para todo o mundo. Ela produz ainda, com destaque, suas tradicionais tulipas, outro item que exporta abundantemente para o mundo. Suas hortaliças e flores são insuperáveis em vigor e beleza. Em resumo, na Holanda (Países Baixos), tudo é grande, forte, vigoroso e bonito, seja na flora ou na fauna.

Mas, quando exportado, o gado holandês passa a produzir menos leite, embora sejam mantidos os padrões genéticos e o mesmo tipo de tratamento; os coelhos perdem em tamanho após algumas gerações; as sementes de batata holandesa permitem apenas duas colheitas, a terceira já enfraquece. Tudo o que seja da flora e da fauna holandesa, quando exportado, normalmente degenera.

Por que essa exuberância tão especial na Holanda?

A explicação é simples: grande parte das terras produtivas da Holanda era, a princípio, o leito do Mar do Norte. Por milhões de anos, as chuvas, as enxurradas e os rios levaram para esse mar fechado os sais minerais roubados da crosta terrestre, depositando-os no leito desse mar. O povo holandês cercou parte desse leito com diques, secou essa área, eliminou o cloreto de sódio e, em seguida, plantou. Em síntese, o povo holandês inverteu o ciclo, trazendo novamente para sua flora e fauna os sais minerais que antes a natureza lhes retirara. Elementar, meu caro Watson...

Fonte: Francisco Antunes, Terapia Ortomolecular Natural - O uso da água do mar como método terapêutico, Editora Cultrix, 2000. ISBN 85-316-0684-5.

Labels:


 

Epicteto - 2


Fique com o que lhe diz respeito


Concentre inteiramente a atenção naquilo que de fato lhe diz respeito e tenha bem claro que o que pertence aos outros é da conta deles, não da sua. Se fizer isso, você ficará imune à coerção e ninguém poderá detê-lo. Você será realmente livre e eficiente, pois seus esforços serão bem empregados e não tolamente desperdiçados na procura de falhas nas pessoas ou na oposição aos outros.

Sabendo aquilo que realmente lhe diz respeito e estando atento a isso, você não se obrigará a fazer nada contra a sua vontade; os outros não poderão magoá-lo, você não se exporá aos inimigos e nem será lesado.

Se você almeja viver de acordo com tais princípios, lembre-se de que não será fácil: você deve abandonar completamente algumas coisas e postergar outras. Talvez tenha de abdicar de riqueza e poder se quiser assegurar a aquisição da felicidade e da liberdade.

Fonte: Sharon Lebell, O Pequeno Livro da Vida, Editora Best Seller, 1994 (do original em inglês). ISBN 85-7123-482-5.

Labels:


 

Oscar Quiroga - 1475


OS MONOTEMÁTICOS


A paixão de nossa humanidade pelo dinheiro torna as pessoas monotemáticas e enfadonhas. Há de se reconhecer que para amassar fortuna são imprescindíveis boas doses de inteligência e esperteza, mas ao se tornarem monotemáticas, essas mesmas pessoas inteligentes e espertas demonstram ser burras e estúpidas no tratamento dos assuntos íntimos. A tendência de tratar os assuntos subjetivos sem dar o devido valor a esses contradiz a natureza dessa suposta inteligência. A fórmula é fácil de compreender: como, havendo tanto dinheiro no mundo e tanta capacidade de amassar fortuna, a miséria continua aumentando? Essa inteligência não serve para entender que a miséria nunca ficará do lado de fora? Um dia essa miséria subjetiva e objetiva bate à porta daqueles que, com dinheiro, se pensam acima dos outros.

Labels:


Sunday, December 18, 2011

 

Epicteto - 1


Como posso ter uma vida feliz, cheia de satisfação?
Como posso ser uma boa pessoa?

Responder a essas duas perguntas era a paixão sincera de Epicteto, o influente filósofo estóico, nascido escravo grego por volta do ano 55 em Hierápolis, na Frígia, que ficava na extremidade oriental do Império Romano. Vejamos algumas idéias que ele nos legou.

Saiba o que você pode controlar e o que você não pode controlar

A felicidade e a liberdade começam com a compreensão clara de um princípio: algumas coisas estão sob nosso controle e outras não. A tranquilidade interior e a eficácia exterior só se tornam possíveis depois que você encara essa regra fundamental e aprende a distinguir entre o que pode e o que não se pode controlar.

Sob nosso controle estão nossas próprias opiniões, nossas aspirações e desejos, e as coisas que nos repulsam. Essas áreas dizem perfeitamente respeito a nós, pois estão sujeitas de forma direta à nossa influência. Sempre podemos fazer escolhas sobre o conteúdo e o caráter de nossa vida interior.

Fora de nosso controle, entretanto, estão as coisas tais como o tipo de corpo que temos, se nascemos ou não na riqueza, como somos vistos pelos outros e nosso status na sociedade. Tentar controlar ou mudar o que não podemos apenas resulta em tormento.

Lembre-se: o que está dentro de nosso poder nos é naturalmente acessível, sem qualquer impedimento ou obstáculo; mas o que foge ao nosso poder é fraco, dependente ou determinado pelos caprichos e pelas ações dos outros. Lembre-se também de que se você pensa ter pleno domínio sobre o que está naturalmente fora de seu controle ou se tenta assumir como seus os problemas dos outros, suas buscas serão baldadas e você se tornará uma pessoa frustrada, ansiosa e demasiado crítica.

Fonte: Sharon Lebell, O Pequeno Livro da Vida, Editora Best Seller, 1994 (do original em inglês). ISBN 85-7123-482-5.

Labels:


 

Oscar Quiroga - 1474


A CIVILIZAÇÃO


Sempre que desejos ou interesses pessoais entrarem em conflito com o que sabidamente for inerente ao caminho da retidão, não deve haver dúvida nem dilema, se devem descartar tais desejos ou interesses pessoais. Nesse momento a voz da autoindulgência se elevará e argumentará com raciocínios sofisticados o quanto a alma em questão seria merecedora de um pouco mais para si, em detrimento de continuar preservando e sustentando princípios nobres e dignos. Este é um momento íntimo de natureza crucial que acontece sistematicamente com todos nós, ninguém está livre disso porque é aí que se resolve a tendência da própria civilização, que é o somatório de como nós fazemos para lidar com essa questão. A civilização é uma entidade abstrata vinculada à nossa intimidade.

Labels:


Saturday, December 17, 2011

 

Oscar Quiroga - 1473


NOSSA VERGONHA


Quando nossa humanidade for capaz de se empenhar na ética com a mesma força com que satisfaz o apetite sexual teremos conquistado a certeza de que o futuro será provedor de bem-estar a todos. Nossa humanidade, sendo capaz de grandes voos, de experimentar sua origem divina e de fazê-la valer na prática, normalmente troca isso por mixaria, prefere a autoindulgência, a preguiça e o constante exercício de troca de fluidos sexuais. Qualquer macaco pode fazer isso, sem desmerecer os símios. É absolutamente legítimo obter e promover satisfação sexual, mas que nossa humanidade faça disso seu principal objetivo e, junto à sede de poder, não veja nada além, eis nossa vergonha. Somos, por enquanto, uma espécie destinada ao divino que chafurda na lama.

Labels:


Friday, December 16, 2011

 

Oscar Quiroga - 1472


O POSSÍVEL PLANEJAMENTO


Vivemos os tempos insanos e ruins que nós mesmos inventamos, este é nosso labirinto, nossa criação retorcida. Não fomos bons o suficiente para aplicar concretamente a sabedoria divina que nos foi transmitida, não fomos fortes o suficiente para sustentar os princípios eternos. Amarga é a colheita, mas na melhor das hipóteses é libertadora também, nossa humanidade sempre aproveitou os momentos de profunda crise para recuperar sua vocação criativa e se reinventar. Essa, porém, é a melhor hipótese, a otimista. Vivemos o momento em que é possível planejar o futuro, mas temos um problema, nos esquecemos de sustentar os princípios divinos e sem esses que tipo de planejamento faríamos? Só mediante a obediência ao Céu aqui na Terra poderíamos planejar um futuro verdadeiramente melhor para nós e as futuras gerações.

Labels:


Thursday, December 15, 2011

 

Sopre as cinzas... deixe-as ao vento!


Quem feriu você já feriu e já passou.

Lá na frente, essa pessoa encontrará o inevitável retorno e, pelas mãos de outrem, se merecer, será ferida também.

A Vida se encarregará de lhe dar o troco e você, talvez, jamais fique sabendo disso.

O que importa, de verdade, é o que você sentiu e, mais importante, é o que você ainda sente: Mágoa? Rancor? Ressentimento? Ódio?

Você consegue perceber que esses sentimentos foram escolhidos por você? Somos nós que escolhemos o que sentir diante de agressões e ofensas.

Quem nos faz o mal é responsável pelo que faz, mas nós somos responsáveis pelo que sentimos. Essa responsabilidade tem a ver com o Amor que devemos e temos que sentir por nós mesmos.

O ofensor fez o que fez e o momento passou, mas o que ficou aí dentro de você?
MÁGOA!

Você sabia que, de todas as drogas, ela é a mais cancerígena? Pela sua própria saúde, jogue-a fora.

RANCOR!
Ele é como um alimento preparado com veneno irreconhecível: mais dia, menos dia, você poderá contrair doenças de cujas origens nem suspeitará.

RESSENTIMENTO!
Pois imagine-se vivendo dentro de um ambiente constantemente poluído, enfumaçado, repleto de bactérias e de incontáveis tipos de vírus: é isso que seu coração e seus pulmões estão tentando aguentar. Até quando você acha que eles vão resistir?

ÓDIO!
Seus efeitos são paralisantes. Seu sistema imunológico entrará em conflito com esse veneno que, com o tempo, poderá colocar você face a face com a morte e talvez, muito tarde, você venha a perceber que melhor seria ter deixado que seu agressor colhesse os frutos do próprio plantio.

Por seu próprio Bem e pelo seu Bem, perdoe. O perdão o libertará e o fará livre para ser feliz. Esqueça o mal que lhe foi feito. Deixe o seu ofensor de lado e não pense nele com ímpetos de vingança. Siga a sugestão: Se deseja ser feliz por um dia, vingue-se. Se deseja ser feliz por toda a vida, PERDOE.

Mude seu destino. Não permita que emoções negativas dominem os seus sentimentos. Seja o (a) comandante da sua nave! Escolha o melhor caminho para a sua "viagem".

Fonte: O Pensamento, Revista oficial do Círculo Esotérico da Comunhão do Pensamento, pg. 13, Ano 103, No. 6, Novembro/Dezembro 2011.

Labels: , , , ,


 

Oscar Quiroga - 1471


O FUTURO É SIMPLES


O processo de unificação de todos os países e economias é inexorável e só não avançou com a devida rapidez porque não largam o osso os humanos especializados em complicar tudo com minúcias para se locupletar. Independente de se passarem anos ou décadas, o futuro da civilização consiste no livre trânsito pelo mundo, isto é, não haverá fronteiras e, também, numa moeda única e um único imposto mundial e simples para que a administração aplique no espaço público. Os humanos deverão a essa administração uma parte fixa de suas rendas e nada além disso, um contrato sagrado que não será quebrado, pois quebrá-lo significaria promover miséria e degradação. O futuro de nossa humanidade não comporta mais miséria. O excesso de minúcias que complicam promove corrupção, miséria e perda de precioso tempo.

Labels:


Wednesday, December 14, 2011

 

Mensagem de Mãe Maria


Amados Filhos,

Que as bênçãos do amor tragam paz aos vossos corpos, mentes e corações.

Mais um Natal se aproxima, mais um novo ano se avizinha.

Tempo de purificação, tempo de renascimento, tempo de a humanidade colocar definitivamente os pés na nova realidade de amor, paz e abundância que se consolida na Terra nesse próximo 2012.

Vosso amado Mestre Jesus vos ofertou, há mais de 2000 anos, todas as ferramentas para que pudesses percorrer o caminho da Redenção sem dor e sofrimento, vivenciando cada instante na verdade de vossos corações, abrindo mão do egoísmo para sempre estender a mão, amando o próximo sem qualquer distinção.

Poucos de vós compreenderam a mensagem de meu Filho, poucos perceberam que o caminho do “servir ao próximo” era o mais curto para a concretização do propósito maior que vos trouxe a Mãe Terra, a busca da felicidade pelo resgate do amor em vossos corações.

Longa tem sido a trajetória da humanidade por esse vosso planeta, onde o limite, a dor e o sofrimento alargaram seus horizontes mais e mais, em decorrência da atitude egoísta alimentada por cada ser humano que não percebeu que para ser feliz é preciso compartilhar.

Compartilhar era a palavra de ordem de vosso Mestre Jesus, e ninguém como Ele foi o exemplo maior do significado da palavra amor; amor solidário, amor compassivo, amor esperança, amor que sempre alimentou a verdade de que sois Filhos do mesmo Pai Criador.

Todavia vossos descrentes irmãos só fizeram alimentar o fosso da separação com suas atitudes insensatas e egoístas.

Insultaram, maltrataram, questionaram, difamaram Aquele que veio para ser o espelho onde a humanidade deveria refletir sua imagem; o tempo passou, o sofrimento aumentou e hoje a humanidade, finalmente, resgatou a consciência de que é preciso seguir os passos do Mestre para alcançar a felicidade.

Ainda não sois felizes, amados?

Aproveitai este período do vosso tempo, quando a figura de vosso Mestre é tão lembrada, para recordar seus passos, os passos que deixaram poderosas lições que o tempo não apagou e não apagará jamais, os passos que devereis todos finalmente exercitar, os passos que não vos levarão à crucificação, mas sim à redenção.

A crucificação fez parte de vossas existências nesses últimos 2000 mil anos.

É tempo de perceber essa verdade para transformardes, definitivamente, vossa cruz em ascensão, ascendendo a um novo patamar de consciência para alcançar a consciência do Cristo que existe em cada um de vós.

Só dando vazão à consciência do Cristo, que habita em vós, podereis ser um com o Pai, co-criando com Ele, reconhecendo em todas as centelhas divinas que habitam vosso planeta a identidade com vossa centelha, abrindo sempre o coração para ouvir todas as respostas, resgatar toda sabedoria, acessar toda a abundância que sempre esteve disponível para todos os Filhos da Terra.

Olhai, pois, para este instante sagrado que vos faz mergulhar na reflexão do espírito de Natal, e deixai vir à tona o espírito de meu Filho em todos vós, trazendo de volta para vossas vidas, vossas famílias, vossos lares o encantamento da solidariedade, do sorriso amororoso, da fraternidade amiga, da esperança que impulsiona cada um de vós a dar mais um passo, outro e outro rumo à vitoriosa conclusão de vossos processos de transformação, para deixar emergir a estampa divina que permite o transparecer da beleza que sois, a beleza que só a luz contém, a beleza que clareia e dá vida a tudo que necessitais para ser feliz. Bem amados, aceitai a divindade suprema para deixar que ela transpareça em vossas vidas e perseverai em vossas orações, perseverai sempre, até que o último irmão seja tocado pela força da luz e desperte para a bênção que é viver.

Que este Natal traga o renascimento definitivo da perfeição que sois, e que os sinos de Belém reverberem em vossos corações, em vossos lares, em vossas vidas para que o espírito de Natal finalmente possa ser a realidade do dia a dia dos Filhos da Terra.

Bem amados, Eu vos deixo agora derramando sobre todos vós as minhas bênçãos e envolvendo a todos no meu manto de proteção, porque Eu Sou Maria, Vossa Mãe.

SP-14-12-2011-Mensagem de Mãe Maria-28-2011 canalizada por Jane M. Ribeiro

Labels:


 

Oscar Quiroga - 1470


É SIMPLES


Sem tomar a iniciativa de simplificar a administração do mundo, nossa humanidade continua se complicando além do que algum dia poderia ter imaginado para si. Complicar em vez de simplificar responde a duas causas; a primeira é a nutrida pela soberba que não permite nossa humanidade se retratar dos erros cometidos e solucioná-los; a segunda, mais sórdida, consiste em nossa humanidade se locupletar com as complicações especializando-se nelas. Essa vertente é sórdida porque é a fonte de toda miséria. A administração do mundo poderia ser simples, todos contribuiríamos com um simples imposto para que os servidores públicos o apliquem no espaço e serviços públicos. Se isso se complica e continua complicado é porque falta vontade real para que tudo funcione de acordo com o espírito da verdade.

Labels:


Tuesday, December 13, 2011

 

Oscar Quiroga - 1469


A SUBJETIVA LUA VAZIA

Data Estelar: Lua será Vazia das 14h06 até 19h49, horário de verão de Brasília.

A existência humana se manifesta em ondas de objetividade e subjetividade, este é um fato consumado. Por isso, quem achar que só a objetividade deve ser valorizada em detrimento da subjetividade viverá apenas a metade de sua vida e, francamente, não a melhor delas. A saúde visível e invisível de nossa humanidade depende da sábia alternância de experiências subjetivas e objetivas. Períodos de trabalho, raciocínio lógico e decisões concretas devem ser contrabalançados com momentos de reflexão interior, orações, meditação, especulação filosófica ou mesmo devaneio. Todo período de Lua Vazia será sempre propício à atividade subjetiva. Por isso, hoje valerá a pena suspender as decisões objetivas e fazer algo diferente.

Labels:


Monday, December 12, 2011

 

Oscar Quiroga - 1468


2011: O ANO DA INSANIDADE


E lá se vai embora um ano que não deixa saudades, tamanha a insanidade que circulou e ainda circula nos relacionamentos humanos. Seja pela crise financeira internacional, seja pela corrupção arraigada e escancarada no circuito institucional do mundo, seja pela falta de colaboração e compaixão, enfim, argumentos não faltam para os humanos desesperarem, porém, entregar-se ao cinismo e praticar ativamente atitudes insanas nunca poderá ser legitimado com quaisquer argumentos, será sempre uma atitude produzida pelo livre arbítrio. A cobiça gera a ira, a ira resulta na destruição até mesmo daquilo que deveria ser protegido, pois é a própria Vida. Eis o germe da insanidade, iludir-se com que destruir os semelhantes seria a salvação. Quem destrói os semelhantes acaba inexoravelmente destruindo a si também.

Labels:


Sunday, December 11, 2011

 

Oscar Quiroga - 1467


A PERCEPÇÃO DO TEMPO


Sim, as festas de fim de ano estão novamente aí, confirmando essa estranha sensação de que o tempo anda passando mais rapidamente que o habitual. Muita gente ainda não se recuperou das festas do ano passado e já precisa se organizar para as atuais. Certamente o tempo não passa mais rápido, é a percepção da realidade que mudou e por isso nos parece o que parece. O excesso de acontecimentos visíveis, mas principalmente os invisíveis, subjetivos, torna a alma de nossa humanidade congestionada, sem plena capacidade de compreender o que acontece, já que não digere bem as circunstâncias e nem percebe as tendências. Ou talvez porque prefira não aceitar as tendências que percebe, já que desenham um futuro no qual nada do que foi até aqui se repetirá e, como sempre, o desconhecido provoca aquele temor atávico.

Labels:


Saturday, December 10, 2011

 

Oscar Quiroga - 1466


ECLIPSE DE LUA


Data Estelar: Lua Cheia de Gêmeos é eclipsada.

Antigamente os eclipses vinham rodeados de profecias sombrias e vistos como sintomas de os Deuses não estarem satisfeitos com a humanidade. Em parte essas histórias se devem à sinistra casta de sacerdotes astrólogos da Babilônia que, conhecedores das datas dos eclipses, encenavam coreografias mediante as quais faziam parecer que eram eles os produtores dos eclipses, o que provocava grande assombro e consequente temor por esses sacerdotes. Certamente, grande parte do ódio que a Astrologia causa até hoje se deve a essa infame história. Os eclipses não são provocados pelos astrólogos nem são sintomas do desagrado divino, porém, a coincidência da sombra estranha que o atual projetará sobre a Europa e América do Norte na data de hoje não deverá passar despercebida às mentes abertas e receptivas da humanidade.

Labels:


Friday, December 09, 2011

 

Oscar Quiroga - 1465


HUMANIDADE QUE OPINA


Nesta Lua Cheia não somente os peixes morrerão pela boca, mas também todos os humanos sucumbirão sob o peso de suas opiniões levianas travestidas de perícia. Hoje em dia, com a oferta global de meios de comunicação imediatos, os humanos opinam compulsivamente e de forma indiscriminada. Há algo virtuoso por trás disso, que é a inerente natureza informativa que faz as pessoas se comunicarem entre si e prestarem ajuda às outras mediante opiniões e sugestões. Porém, há algo viciado em andamento também, que é o impulso de julgar e condenar os semelhantes sem nem sequer se informar a respeito da verdadeira situação em andamento. Assim acontecem os linchamentos morais, fáceis de iniciar, mas impossíveis de deter e que produzem danos irreversíveis nas eventuais vítimas.

Labels:


Thursday, December 08, 2011

 

Efeitos da Banana

Banana.ppsBanana.pps
578K Visualizar Baixar

Labels:


 

Oscar Quiroga - 1464


A PROXIMIDADE DA LUA CHEIA


Todo mês a mesma coisa! Nos dias que antecedem à Lua Cheia a tensão aumenta, é como se a humanidade inteira, independente de sexo, sofresse de TPM. Considerando que a selvageria da semana passada ainda reverbera com bastante firmeza, e se agrega a ela a tensão da Lua Cheia atual, então que se preparem para trabalhar redobrado os plantonistas de hospitais e delegacias! O dia chegará em que os veículos mental, emocional e físico de nossa humanidade serão mais transparentes e a Lua Cheia, em vez de provocar insanidade, revelará o que de mais sublime nossa espécie seja capaz de manifestar. Por enquanto, a aproximação do Divino resulta em insanidade, e isso é resultado desses nossos veículos de expressão estarem manchados e obscuros, densos como o Inferno em vez de límpidos como o Céu.

Labels:


Wednesday, December 07, 2011

 

Oscar Quiroga - 1463


COMPLICADORES E FACILITADORES


A idéia que fazemos do Altíssimo e todas as manifestações religiosas da civilização se encontram disponíveis como meios de orientação na complexa e misteriosa experiência de Vida. Porém, em última instância não nos salvará gritar aos Deuses em busca de ajuda, porque o labirinto em que nossa humanidade se encontra cativa foi inventado por nós mesmos, é o produto de todos os passos que demos ao longo de milênios e, por isso, teremos de ser nós mesmos, pela nossa própria vontade, empenho e inteligência os provocadores da libertação. Nossos problemas são nossos filhos, não seria sábio abandoná-los porque nos perturbam, somos responsáveis por libertá-los de nós mesmos, educá-los para que sirvam ao mundo e não para que agreguem mais violência e ignorância. Somos, na prática, os complicadores e os facilitadores.

Labels:


Tuesday, December 06, 2011

 

Oscar Quiroga - 1462


A SUBJETIVIDADE


Ao contemplarmos a selvageria que nossa humanidade é capaz de perpetrar nos revoltamos e espontaneamente desprezamos a espécie humana, mas ao fazê-lo desprezamos a nós mesmos também. Que vantagem haveria nisso? Se um grave defeito precisa ser corrigido, em primeiro lugar se deve assumir a existência desse defeito, não como algo desvinculado de nossas presenças, culpando o mundo pela existência, mas como uma unha encarnada no próprio ser. O mundo não se limita à experiência física, há todo um Universo invisível no qual navegamos a maior parte do tempo e que não estabelece limites e distinções objetivas, é o mundo subjetivo. Quem não considera a subjetividade tão real quanto a objetividade vive desorientado.

Labels:


Monday, December 05, 2011

 

Oscar Quiroga - 1461


PENSAR COM AMOR


Não é surpreendente que uma boa parcela da humanidade despreze seus semelhantes e prefira os animais, que considera mais confiáveis e amorosos. Porém, essa é uma ideação produto do rigor lógico, desprovida de amor. Pensar com amor é considerar que tudo e todos nascemos no Espírito Universal, no qual estamos arraigados, nos movimentamos e experimentamos ser. Pensar com amor é aceitar que tanto os seres que apreciamos quanto os que desprezamos, todos juntos compomos um único e colossal corpo cósmico. Na prática parece muito nobre dedicar-se ao cuidado dos animais, mas se isso for feito em detrimento do imprescindível cuidado que temos de ter para com nossa própria espécie, então a nobreza será apenas uma máscara da hipocrisia. Nossa principal obrigação é para com nossa espécie.

Labels:


Sunday, December 04, 2011

 

Oscar Quiroga - 1460


A IRRITAÇÃO


A irritação é um fogo fátuo que convence os tolos de ter legítimo direito de punir seus semelhantes. Agora a irritação circula à solta e como nossa humanidade é chegada a uma dimensão sombria, haja vista a admiração que cultiva em relação a vampiros e outros monstrengos, é de se esperar aquele show de intimidações desempenhado atrás dos volantes dos carros ou nas opiniões grosseiras publicadas na Internet. Está certo, na democracia todos devem ter voz e opinião, mas a dos irritados, que são os que mais publicam na Internet, é a voz que tem a pretensão de calar todas as outras vozes, a anti-democracia. Hoje não vai dar para solucionar esse assunto, melhor usar o antídoto da tolerância para passar o mais rapidamente possível por ele.

Labels:


Saturday, December 03, 2011

 

Oscar Quiroga - 1459


O FOGO FÁTUO


As pessoas agressivas que se exercitam continuamente na intimidação e aproveitam os instrumentos de poder disponíveis, como carros e publicação de opiniões infundadas na Internet, são de natureza vaidosa, oca e insossa, pois se parassem por um momento para pensar antes de agir assim, veriam a si mesmas cometendo atos ignorantes. Porém, quem é tomado por essa força agressiva se acha na crista da onda, detentor do argumento definitivo para julgar, condenar e enforcar sua vítima do momento, que pode ser qualquer uma. Neste momento de Lua Vazia esta onda da civilização fica ainda mais escancarada e numerosa, o que resulta num paradoxo, pois com tanto ser humano oco e agressivo por aí vai acabar faltando vítima. Quem quiser sair dessa que se convença de a irritação ser apenas um fogo fátuo.

Labels:


Friday, December 02, 2011

 

Mensagem de Mãe Maria


http://www.comandometatron.com.br/pps/autres_dimensions.pps

Labels:


 

Oscar Quiroga - 1458


A DINÂMICA DAS AGRESSÕES


Por trás de toda pessoa agressiva há uma criança assustada. Agredir, violentar, insultar, intimidar, todas são práticas cotidianas de nossa humanidade que ignora o real princípio de vida que a anima. Essas práticas são ainda mais acentuadas quando nossa humanidade se pensa anônima, como quando dirige seus carros ou publica opiniões em blogs e meios de comunicação na Internet. Os humanos selvagens agressivos, que não passam de crianças assustadas, sempre partem do princípio de que seus semelhantes estão errados e são motivados por péssimas intenções, pois só assim seria possível legitimar a violência que eles e elas perpetram. Porém, como são crianças são os primeiros a choramingar quando alguma agressão lhes é dirigida.

Labels:


Thursday, December 01, 2011

 

O Pecado


Pecado é um termo usado geralmente em contexto religioso, descrevendo qualquer desobediência à vontade de Deus, expressa em suas leis. Essa palavra se origina do grego hamartía, que significa erro, no sentido de errar ao tentar atingir um alvo.

A palavra foi usada também por Aristóteles, em sua Poética, no estudo da literatura, mais especificamente da tragédia. Na tragédia grega, hamartía é um erro de julgamento do herói que leva a uma catástrofe; o personagem age visando a um objetivo, mas erra o alvo, transgredindo certas regras.

No nosso contexto, não vamos entender pecado ao gosto das igrejas, emitindo um julgamento de valor sobre o que consideraríamos uma falta. Preferimos compreender pecado como um erro de juízo, muitas vezes devido à imaturidade existencial (ignorância), que leva os indivíduos a, não raro, deliberar contra a própria vida, nos pequenos atos cotidianos. Assim, podemos entender como pecado os pensamentos, atos e omissões que contrariem o equilíbrio, a harmonia, que lesem a consciência alheia ou da própria pessoa, que nos afastem do caminho da felicidade.

Fonte: Robson Pinheiro (pelo espírito de Joseph Gleber), Medicina da Alma, Casa dos Espíritos Editora, 2007. www.casadosespiritos.com.br . ISBN 978-85-87781-25-3.

Labels: ,


 

Oscar Quiroga - 1457


A FORÇA DO HÁBITO


Certamente, nossa humanidade presta atenção exagerada a assuntos que não têm a mínima importância ao passo que desatende o que é vital para sua busca de progresso e felicidade. Esse é o estado de embotamento que se dissemina com total liberdade em nossa civilização, essa mesma que se gaba de moderna e sofisticada. Por isso, em dias como hoje em que a ordem cósmica dispõe elementos suficientes para se criarem rupturas radicais que coloquem a civilização num caminho ascendente e progressivo, na prática pode acontecer exatamente o contrário, as pessoas pisarem na jaca e adotarem posturas meramente destrutivas e promotoras de decadência. A força do hábito cria o caráter de nossa humanidade e desse resulta o mistério que chamamos destino.

Labels:


This page is powered by Blogger. Isn't yours?