Thursday, January 31, 2013

 

Oscar Quiroga - 1854

Profissão humana


A profissão humana é investigar e entender a verdade, a beleza e a bondade e, talvez, nunca se esquecer disso, já que diante das experiências distorcidas que parecem constatações de que não seria possível verificar verdade, nem beleza ou bondade, poderia soar razoável desistir da profissão. Porém, o que restaria então ao humano? Apenas uma paródia de si mesmo, tempo transcorrido numa aparente normalidade na convivência de uma multidão que lembra vagamente ter perdido algo no caminho, atualizando uma angústia que vai sendo mitigada com muita comida, com muito sexo, com muitos produtos novos, chegando prematuramente ao fim da existência com a estranha sensação de ter perdido tempo apesar de ter feito tudo como manda o figurino. O figurino real é mergulhar na profunda experiência de ser humano.

Labels:


Wednesday, January 30, 2013

 

Oscar Quiroga - 1853


Autoridade fictícia


Libertar-se da tutela de autoridades fictícias, meras projeções de imaginações distorcidas, eis um assunto que para enfrentá-lo e resolvê-lo nunca será tarde para começar, e sempre será muito cedo para desistir. Se você sente todo dia o ardor pela justiça, verifique quanto antes que essa virtude seja uma simples e razoável relação entre o governo e os governados, pois, se houver qualquer distorção em sua psique a esse respeito, você não conseguirá se libertar da tutela de ficções; você agregará, por isso, mais um obstáculo para a circulação de justiça, a única virtude que assegura uma convivência sensata entre governo e governados. A veneração a autoridades fictícias impedirá que você exerça livremente a parte que lhe toca no jogo democrático e anestesiará você diante dos abusos cometidos.

Labels:


Tuesday, January 29, 2013

 

Oscar Quiroga - 1852

Tempo muito louco


Ressoa uma melancolia, uma incômoda sensação de que o conhecimento que conecta a consciência individual à natureza e ao conjunto maior e mais sofisticado de experiência, que é o Universo, tenha sido engolido pelo olvido. Porém, não menos real é constatar que, talvez, nossa humanidade nada tenha esquecido e, pelo contrário, esteja começando a conhecer agora, e que tal conhecimento, por não ter princípio nem fim, sendo não nascido, viva simultaneamente em passado, presente e futuro. Nesse momento, a mente atônita, tomada por um raio súbito de entendimento, tonta pelo que viu e aconteceu, não atina a decifrar o que lhe ocorre e retorna a buscar refúgio nessa saudade de algo que parece ter experimentado um dia, numa memória de algo que nunca aconteceu. Que importa se é antes, durante ou depois?

Labels:


Monday, January 28, 2013

 

Oscar Quiroga - 1851

Desejo de liberdade


No mais profundo espírito nossa humanidade é um exemplo de luta pela liberdade; talvez em muitos casos uma luta de contornos equivocados, porém, mesmo assim é o anseio de liberdade que orienta os passos do egoísta, que só pensa em salvar-se em detrimento de seus semelhantes, tanto quanto do altruísta, que se sacrifica pelos semelhantes. A luta pelo autoentendimento, a investigação frenética através dos dilemas e questionamentos, a tentativa de definir o que é belo, bom e verdadeiro; nossa humanidade, por meio de todos os heróis e heroínas da História criou jurisprudência e tornou mais fácil que, hoje em dia, avancemos na direção do que continua parecendo utopia, mas que pelo menos não rende mais guilhotina ou fogueira.

Labels:


Sunday, January 27, 2013

 

Oscar Quiroga - 1850

Quem sou eu?


Quem sou Eu? É a pergunta filosófica primordial que ressoa na mente humana desde o tempo em que se tornou capaz de refletir sobre seus pensamentos. Eu sou o Eu que faço essa pergunta através dos incontáveis indivíduos que fazem a mesma pergunta. Eu não sou mais Eu do que você, que também se chama de Eu; nós somos o mesmo Eu com roupagem diversa, mas que funciona igual, fornecendo o apoio para entender que, no fim, as incontáveis e diversificadas maravilhas do Universo se sintetizam em quem as percebe, já que o Eu que percebe, o objeto da percepção e o ato de perceber constituem a unidade. E vai tentar resolver essa equação! Como o Eu é o mesmo para todos, salvo as diferenças, antes que sobrevenha o próximo desejo de demonizá-lo, lembre o Eu de Shakespeare, o de Einstein e o de Beethoven.

Labels:


Saturday, January 26, 2013

 

Oscar Quiroga - 1849

Lua cheia


Nossa humanidade tem uma lista de demônios à qual atribui a culpa das desgraças, uma lista que muda com o tempo, pois se adapta ao que for vigente. O capitalismo, o comunismo, a religião, a ciência e o Ego, eis um pequeno resumo dos variados demônios da lista. O Ego é, como reza a piada, aquele argentino que mora no coração de nossa humanidade, aquele que se acha o Rei do Mundo, o melhor dos melhores, o que já viu tudo e pode tudo, mas que no fim do dia cantarola sua melancolia por ser tão brilhante e incompreendido. Fim da piada. Definitivamente, o Ego não é nenhum demônio, é um dos elementos que o Universo utiliza para sua manifestação, é o fio de meada que une o infinitamente grande ao infinitesimalmente pequeno. Nesta Lua Cheia, em particular, é propício honrar o Ego em sua verdadeira função.

Labels:


Friday, January 25, 2013

 

Oscar Quiroga - 1848


Vitória e derrota


Vitória nunca será a derrota dos inimigos, pois o tempo é maior que quaisquer contendas e os que hoje são amigos amanhã serão inimigos, substituindo vencedores por vencidos. Além disso, viver no frenesi de criar vitórias sobre a derrota dos semelhantes concentra tanto a mente e o coração nesse foco que a alma acaba um dia, inevitavelmente, sendo tomada pelo espírito da derrota, o lado escuro da força que a tornava vitoriosa. Vitória é o que faria nossa humanidade produzir benefícios para a maior quantidade possível de pessoas, sem nunca prejudicar a ninguém intencionalmente. Vitória é o que faria nossa humanidade ser dona de sua mente, pensando os pensamentos que ela decidisse pensar. Vitória é reconhecer o divino em tudo, no ouro e no esterco.

Labels:


Thursday, January 24, 2013

 

Oscar Quiroga - 1847

Mudança de ordem


A ordem não é inimiga da criatividade, o problema é a burocracia, o engessamento das regras e dos humanos que as preservam, tornando-se incapazes de se reinventar para acompanhar o espírito do tempo. A ordem é necessária, pois é mediante ela que o divino exerce sua perdurável influência através de uma forma adequada. Porém, quando a ordem não mais se ajusta à influência que deve predominar para que o divino se manifeste, torna-se necessário mudá-la. Esses são os momentos históricos de tumultos e perturbações sociais. Porém, nem todo tumulto é sinal de haver uma mudança na influência divina, também há grupos de desordeiros que fazem disso sua profissão. Talvez a civilização sempre demore mais do que o conveniente para mudar a ordem, mas essa mudança não pode ser detida, só atrasada.

Labels:


Wednesday, January 23, 2013

 

Oscar Quiroga - 1846

Lua vazia e civilização

 

Data estelar: A Lua será Vazia a partir das 9h43, horário de verão de Brasília

A natureza humana não é uma máquina que pode ser ligada ou desligada em horários fixados pela indústria ou economia. A natureza humana, para honrar sua saúde, precisa se orientar por ciclos naturais e cósmicos. Quanta produtividade mais haveria se isso fosse reconhecido e aplicado na prática! Ainda hoje a civilização, apesar de todo o conhecimento arvorado, insiste em tratar os humanos como extensões das engrenagens que movimentam as indústrias e a economia. Essa é a confusão, colocar nossa humanidade a serviço da objetividade em vez de criar uma civilização em que o ser humano seja o protagonista principal, honrando as correntes subjetivas que, em dias de Lua Vazia como hoje, entram em cena para demonstrar sua força.

Labels:


Tuesday, January 22, 2013

 

Mensagem de Mãe Maria


Amados Filhos,

Que as bênçãos do amor tragam paz aos vossos corpos, mentes e corações.

Árdua é a busca da verdade!

Quantos bloqueios, quantos preconceitos, quanta ilusão permeia vosso ser servindo de obstáculo para que a verdade resplandeça soberana.

Porque é tão importante resgatar a verdade, porque ansiais tanto pela verdade? 

Para que possais reconhecer tudo aquilo que precisa ser ainda corrigido em vossas vidas.

Vossa meta é consolidar a luz em vossas vidas, e em vosso planeta, e para tornar realidade esse intento faz-se mister que o verdadeiro ser que sois ressurja, sem qualquer mácula, para possibilitar a união de todos os filhos da Terra.

Sabeis que sois todos irmãos, sim, já sabeis, mas reconhecer a todos como irmão ainda é um objetivo a alcançar.

Como reconhecer alguém como irmão quando ele se apresenta camuflado com inúmeras vestimentas que não conseguis identificar?

É preciso, pois, que vós, e cada Filho da Terra, dissolvam suas inúmeras máscaras, deixando revelar a verdadeira face do filho de Deus que escolheu encarnar nesse planeta para merecer sua herança divina.

Para que isso aconteça, mister se faz que cada um de vós primeiramente reconheça vossas máscaras, para dissolvê-las definitivamente, corrigindo, transmutando e limpando todas as pendências que originaram seu surgimento, para que a densidade com que está revestido vosso corpo de luz dê lugar à cristalinidade que torna iguais todos aqueles que perseveram no propósito de resgatar o paraíso na Terra.
  
Sabeis já que este novo momentum por que passa vosso planeta, e todos vós, exige o cumprimento do compromisso que assumistes ao encarnar, compromisso de resgatar a unidade com o Criador, resgatando a unidade com todos os vossos irmãos, e com todos os reinos que compartilham convosco o planeta azul. 

Essa é a tarefa que precisais concluir neste tempo.

A unidade com o Pai se torna possível quando resgatais a unidade com vossa centelha divina, e isso exige reunificar vossos corpos, unindo vossas mentes com vossos corações.

A linguagem do ser que habita a Terra nesta nova idade do ouro é a linguagem do amor. 

Só colocando amor em vossos pensamentos, só reconhecendo amorosamente vossas faltas, só servindo com amor todos aqueles que precisam de vós no dia a dia é que podereis voltar a ser uno com vosso Pai.

É hora, pois, de aproveitar este momento de transição para buscar agir, pensar e sentir amorosamente, revelando compreensão, expressando justiça, buscando deixar florescer a paz em vosso corpo e mente, paz tão necessária para tornar possível a paz na Terra.

O mundo se encaminha para exercitar a Justiça Divina; sem justiça não existe paz e sem paz não existe felicidade.

Aproveitai, intensamente, este momentum que a vida vos oferece, amados, momento único, momento em que as oportunidades de transpor o limite do mundo da ilusão existem concretamente para todos os habitantes do vosso planeta.

Conclui, pois, vosso trabalho individual, para que possais ser um exemplo para muitos, exemplo de equilíbrio, de fraternidade, de justiça, alegria e amor, para que vossa Mãe Terra e seus filhos possam se inserir, definitivamente, no mundo da verdade, no mundo onde não existe injustiça, separação, egoísmo, doença ou falta, o mundo que se encontra disponível para todos vós.

Bem amados, que a vibração de vossas orações ajude a transmutar a densidade que ainda permeia muitos corpos, para que a luz se faça presente deixando refletir para cada um de vós o Corpo de Luz da nova Humanidade.

Bem amados, Eu vos deixo agora derramando sobre todos vós as minhas bênçãos e envolvendo a todos no meu manto de proteção, porque Eu Sou Maria, Vossa Mãe.

SP-21/01/2013-Mensagem de Mãe Maria-02-2013 recebida por Jane M. Ribeiro.

Labels:


 

Oscar Quiroga - 1845

O agradecimento


Que o agradecimento não seja apenas uma forma polida de falar com seus semelhantes, mas uma atitude prática mediante a qual você devolva ao Universo um pouco do muito que lhe foi dado! Agradecer é preservar a circulação inefável de graças, é sua presença responder ao impulso da doação, da retribuição. Quanto mais você oferecer ao mundo através de sua presença, maior será a circulação de graças e maiores serão os benefícios que você distribuirá, tornando-se mais um dos incontáveis pontos do Universo que prestam serviço à Lei Cósmica, que é um oceano de vida que circula através de suas entidades, sejam essas galáxias, seres humanos ou átomos. Agradecer é incentivar essa circulação e, pelo incentivo, maiores graças circulam através da presença agradecida. Doar em vez de pegar, eis a essência do agradecimento.

Labels:


Monday, January 21, 2013

 

Oscar Quiroga - 1844

Lua Vazia até as 12h05, horário de verão de Brasília


Data estelar: Semana útil para começá-la praticando a sagrada arte da despreocupação

Uma semana útil para começá-la praticando a sagrada arte da despreocupação e, se possível, desmarcando todos os compromissos dos quais você deseje obter resultados concretos. Porém, se não for possível fazer isso, nada de pânico! Lembre-se, pratique a arte da despreocupação. O problema não consiste em participar de compromissos durante a Lua Vazia, mas em desejar ansiosamente os frutos concretos desses. Enquanto o período de Lua Vazia perdurar, somente é propício se exercitar na leveza, na alegria e no desapego dos resultados objetivos. Afinal, nossa humanidade não é apenas uma máquina de produzir e seu mundo não é feito apenas de resultados objetivos. Honrar a natureza subjetiva é necessário, tanto quanto se alimentar diariamente ou cumprir os rituais da higiene.

Labels:


Sunday, January 20, 2013

 

Oscar Quiroga - 1843

A Lua cresce no signo de Touro


Data estelar: Não há conflito entre espírito e matéria, entre subjetividade e objetividade

Pensar que o material seria contrário ao espiritual é ignorar que todos os poderes materiais só são possíveis porque o espírito está vinculado indissoluvelmente à matéria, que juntos compõem uma infinita interação. Não há conflito entre espírito e matéria, entre subjetividade e objetividade, esse estado de coisas é um invento de quem não sabe lidar com a dualidade intrínseca ao Universo, que é objetivo e subjetivo simultaneamente, dependente e independente ao mesmo tempo. É contraproducente flagelar o corpo para iluminar o espírito, porém não é menos nocivo existir em frenética busca de prazeres corporais, desconhecendo o valor da experiência espiritual. Uma hora para a oração, outra hora para a luxúria sensorial, assim a experiência humana é integral, como destinada a ser.

Labels:


Saturday, January 19, 2013

 

Oscar Quiroga - 1842

Sol ingressa em Aquário


Não busque aqui o que vai acontecer a você, sua fortuna está em suas mãos e quem quiser induzir sua alma a esse ou àquele destino comete um equívoco. Busque aqui informações sobre o tipo de acontecimento que sua presença é, vinculada a um conjunto vasto e sofisticado de experiências, que é o Universo. Busque aqui as informações que facilitem a reconexão com essa fonte infinita de recursos, que é o Universo. Busque aqui as informações que atualizem a consciência do que em você é maior do que você mesmo, o fio de meada que alinhava o que você aprecia e o que você despreza, a Presença da Vida que circula graciosamente pelo Cosmo, preenchendo o infinito com seu Ser. Conheça em você o que é maior do que você e deterá as rédeas do destino.

Labels:


Friday, January 18, 2013

 

Oscar Quiroga - 1841

Vontade


Agora, que é propício dar o pontapé inicial a empreendimentos e projetos, que dúvidas pairam e obscurecem o momento? Por acaso, você não sabe que no fim do caminho será melhor você ter errado por tentar do que por nunca ter se atrevido a errar? As dúvidas não são as culpadas de sua fraca vontade, sem essas você não seria livre, e sem a liberdade você não seria humano. Coloque tudo na conta de sua força de vontade, sempre disponível, mas nem sempre utilizada devidamente, pois em geral fala-se nela apenas quando o assunto é destruir algo ou alguém. Agora é o momento de você brandir esse poder divino, que abre caminhos onde antes existia nada. Agora é quando você tem a oportunidade de demonstrar a que veio a este planeta.

Labels:


Thursday, January 17, 2013

 

Oscar Quiroga - 1840

Poesia


Para quem nasce, morrer é uma certeza; para quem morre, o renascimento é infalível. Por que você haveria de gastar tempo e energia lamentando o que terminou? As lágrimas assim vertidas impediriam você de enxergar o novo horizonte que se desenha. A matéria é indestrutível, a Vida circula graciosamente pelo Universo inteiro, lamentar o fim chega a ser grotesco, porém, se uma ponta de sabedoria esgueirar nesse seu lamento, isso servirá, pelo menos, para agregar um pouco de poesia à existência. Um momento melancólico pode evocar a poesia, porém, a sustentação da melancolia reduz a pó e olvido toda a elegância, diminuindo radicalmente a nobreza de seu ser. A Vida é a Presença que costura todas as existências. Agarre-se a ela e você será eterno, sem nascimento e sem morte.

Labels:


Wednesday, January 16, 2013

 

Mensagem de Mãe Maria


Amados Filhos,

Que as bênçãos do amor tragam paz aos vossos corpos, mentes e corações.

Um novo ciclo se abre para todos vós e vosso amado planeta, ciclo em que o novo tempo se instala definitivamente na Mãe Terra.

Tempo de amor, tempo de paz, tempo de compreensão; tempo onde o ilimitado se faz presente para todos aqueles que reconhecem o poder crístico de que são detentores, e utilizam esse poder para tornar realidade a nova Idade do Ouro no planeta Terra.

Sois muitos, amados, milhões que creem na luz, que escolheram o caminho da luz, e que trilham o caminho da luz na busca da consolidação da fraternidade entre todos os habitantes do vosso planeta.

Muito foi feito, mas muito ainda está por fazer, atentai para essa verdade.

O caminho que leva à consolidação definitiva da luz no planeta azul ainda é longo, como longa é a trajetória daqueles que escolheram trilhar esse caminho.

Perseverai, pois, na consolidação do compromisso que assumistes com vossas almas, o compromisso de transformar, pela força do amor, toda a escuridão em luz; para isso é preciso que possais estar sempre alertas; alertas para não permitirdes que vossos egos assumam novamente o controle, alertas para não vos impressionardes com as ofertas fáceis do mundo ilusório que quer se manter a qualquer preço, alertas para as conquistas fáceis, alertas para as dificuldades que aparentemente parecem ser intransponíveis.

Todos vós que escolheram resgatar a luz em vossas vidas, e em vosso planeta, estão agora sendo testados; é tempo, pois, de vos despirdes de qualquer resquício do passado que ainda permaneça em vossas mentes ou em vossos corações, para que não reste qualquer resquício da escuridão que foi por vós absorvida no mundo da ilusão, e que se constitui no alimento que mantém vivo e atuante vossos egos.

No novo mundo, lembrai-vos, não há espaço para a atuação de vossos egos.

Não permiti, pois, que ele interfira em vossas decisões, em vossos pensamentos, em vossos sentimentos e ações.

Orai e vigiai, amados, sempre e cada vez mais.

A oração tem o poder de fortalecer vossa vontade, alimentando vossa alma, abastecendo de luz o vosso ser que necessita, mais e mais, desse antídoto que neutraliza toda a dor, limite e sofrimento do passado que não podem mais ter espaço neste novo ciclo em que mergulhastes neste tempo de redenção.

Não podereis mais avançar no caminho utilizando a consciência do vosso corpo para vos indicar a direção a seguir.

A consciência do vosso corpo, a que chamais de ego, perde sua força a cada ato consciente que perpetrais no dia a dia deste novo tempo.

É hora de manter firmes vossos passos, é hora de atuar sem qualquer resquício de medo, é hora de ouvir, diuturnamente, a voz de vossos corações que se sobressaem cristalinas, fornecendo-vos as diretrizes que precisam ser viabilizadas para que possais, rapidamente, enxergar os novos horizontes que se abriram para todos os habitantes do vosso amado planeta.

Lembrai-vos, vosso planeta é azul! Cultivai, pois, o azul do céu, o azul de vossos mares, o azul que vos mostra, diariamente, no iniciar de um novo dia, a beleza da vida e de toda a criação que evolui nesse espaço sagrado.

Rendei-vos à maravilha da criação; rendei-vos ao Criador que vos ofertou a vida e vos dotou do poder ilimitado de concretizar o propósito divino na Terra, rendei-vos ao novo tempo onde guerra, dor, morte e sofrimento caminham para se tornarem somente uma vaga lembrança, rendei-vos à vida, cultivando o amor, manifestando a fraternidade, estreitando os laços com os justos de coração, para que a elevada vibração de todos vós permita a união entre o céu e a terra, o sagrado e o profano, dando vazão à perfeição que só a unidade contém.

Bem amados, voltai vossas preces aos Filhos da Terra, a todos aqueles que ainda precisam de compreensão, aos pobres de espírito que teimam em não enxergar a verdade do novo tempo, a verdade de que inexiste felicidade onde inexiste amor.

Bem amados, Eu vos deixo agora derramando sobre todos vós as minhas bênçãos e envolvendo a todos no meu manto de proteção, porque Eu Sou Maria, Vossa Mãe.
   
SP-15/01/2013-Mensagem de Mãe Maria-01-2013 recebida por Jane M. Ribeiro

Labels:


 

Oscar Quiroga - 1839

Liberdade


Quem apreciar a liberdade, que se prepare todos os dias para ser veraz, pois em cada mentira que proferir ou aceitar agregará mais uma pedra ao intrincado labirinto em que a liberdade se perde, substituída pelo gasto de energia que sustenta a infâmia. Quem apreciar a liberdade, que adquira elegância para ser veraz, pois não há valor em levantar a bandeira da verdade só para insultar quem, por omissão ou comissão, se encontra perdido no labirinto das mentiras. O que é verdadeiro? Sem ir mais longe, é tudo aquilo que não é dito quando as pessoas, por exemplo, "discutem a relação". Se você quiser ser veraz, você terá de ir além dos limites de sua própria alma, encontrando o fio de meada que une o que você aprecia e o que você despreza.

Labels:


Tuesday, January 15, 2013

 

Oscar Quiroga - 1838

O que não é humano


Ser ou não ser? Em nome do que a alma humana deveria abaixar a cabeça e suportar com falsa humildade a insolência oficial? Não é essa a bem-aventurada humildade que garantirá a Terra como herança! Quem foge da raia ao encontrar a oportunidade de lutar sua luta encontra reverberações infinitas da mesmíssima situação que se repetirá teimosamente até ser enfrentada e, pelo confronto, a alma recuperar sua dignidade. Nascer humano para ser menos do que humano, não parece ser este um destino nobre. O que nos torna humanos? Nossa natureza se subleva contra o destino, não apreciamos ser meros seguidores de forças que se impõem, desfrutamos a realidade criativa, nos deleita inventar o que não existe, mas que por obra do esforço fazemos existir, para o bem ou para o mal. Abaixar a cabeça não é humano.

Labels:


Monday, January 14, 2013

 

Oscar Quiroga - 1837

De lamento em lamento se perde o tempo


Você pode continuar usando sua inteligência para produzir argumentos que expliquem quanto sua vida é miserável e infeliz porque há esses ou aqueles culpados, tanto quanto porque as circunstâncias são todas adversas. Porém, no final do dia, quando sua alma estiver a sós consigo mesma, nesse lusco-fusco entre a vigília e o sono, quando não é possível ceder às manobras maquiadoras do raciocínio lógico, você verá que, sim, há culpados e há adversidades, mas que no centro do palco está sua alma, que decide tudo a todo momento, decide se tornar vítima ou decide se armar contra o mar de adversidades e pela própria vontade lhes dar fim, ou no mínimo, conquistar uma morte digna. De lamento em lamento se perde o tempo que serviria para você, pelo menos, assumir o comando da criatividade que faz de você humano.

Labels:


Sunday, January 13, 2013

 

Oscar Quiroga - 1836

Poesia



São raros os momentos poéticos que nossa humanidade se permite experimentar, mas estão disponíveis o tempo inteiro, o que leva a pensar que nossa espécie se deixe corromper pela preguiça, preferindo ser melancólica a trovadora da alegria. É verdade que se não houvesse uma atroz sensação de haver algo importante faltando não nos daríamos o trabalho de remendar com palavras e imagens tantos buracos da consciência, porém, quando nos lamentamos por essas faltas e fazemos disso nossa poesia, decidimos permanecer no vazio em vez de tecer uma trama que aproxime o desejo do desejável. Enfim, entra ano e sai ano e continuamos todos nós, os humanos, com o incessante trabalho de fazer uma ponte entre os mundos objetivo e subjetivo. Em domingos de Lua Vazia, como hoje, é propício encarar isso como uma brincadeira.

Labels:


Saturday, January 12, 2013

 

Oscar Quiroga - 1835

Opiniões inteligentes


É legítimo que todos queiramos ser belos e inteligentes, pois é inerente ao humano ter essa vocação. Porém, não é legítimo que queiramos ser reconhecidos sem desenvolver essas qualidades. Inteligência, por exemplo, não se desenvolve repetindo opiniões sem questioná-las ou pesquisá-las. Quem tiver a própria inteligência em alta estima há de se tomar o trabalho de pesquisar uma opinião antes de repeti-la. O Google pode ser um bom mecanismo de busca, mas não necessariamente o melhor, quando o assunto é detectar fontes verdadeiramente confiáveis de conhecimento. Outrora havia nas estantes de toda família de bem alguma enciclopédia, pois nelas se encontravam fundamentos e não meras opiniões. É propício honrar a vocação de ser inteligente fazendo um caminho inteligente para construir opiniões.

Labels:


Friday, January 11, 2013

 

Oscar Quiroga - 1834


Certezas e dúvidas

As certezas humanas são de duvidosa reputação, valha o paradoxo. Sim, porque quando nossa humanidade inicia empreendimentos e ações motivada por certezas absolutas, os resultados quase sempre são de duvidosa reputação. Na contrapartida, quando nossa humanidade inicia seus empreendimentos tomada por dilemas e dúvidas, anda com mais cuidado e suas obras tendem a produzir resultados muito mais leves. Dúvidas e dilemas são incômodos, mas ao mesmo tempo sem essas condições não haveria liberdade e sem liberdade nós não seríamos humanos. A pressão da cultura para que todos sejamos seguros e assertivos não é condizente com nossa verdadeira natureza, que exige o processo purificador das dúvidas e dilemas para que não nos transformemos em déspotas, produzindo resultados que inibiriam a liberdade humana.

Labels:


Thursday, January 10, 2013

 

Oscar Quiroga - 1833

A pergunta


Daí, do elevado lugar da percepção de sua própria vida é possível contemplar o paraíso e também o inferno de suas realizações. Todos os benefícios e todos os malefícios que você provocou, absolutamente tudo é sua obra. Não cabe a você julgá-la, mas à História, que será impiedosa, pois não tem nenhum compromisso com sua presença, apenas com o incessante fluxo da criatividade humana que demonstra, pela ação impassível do tempo, que muito pouco do que tanto nos importa realmente tem valor. Daí, do alto da percepção de sua própria vida, faça a pergunta mais importante; o que, de tudo que você já fez ou deixou de fazer, teria verdadeiro valor? Você não precisa conhecer a resposta de imediato, não é fácil esse reconhecimento, mas pelo menos é preciso começar a fazer essa pergunta e se orientar por ela.

Labels:


Wednesday, January 09, 2013

 

Oscar Quiroga - 1832

Patinando no infinito


Data estelar: Vênus e Netuno em sextil; a Lua é Vazia o dia inteiro

Se as coisas que você pretendia objetivar hoje começam a patinar e dar claros sinais de contratempo, o melhor que você poderá fazer será patinar também, como se o tempo fosse uma pista de gelo e você tivesse o maior talento do Universo para fazer piruetas e acrobacias enquanto uma música celestial toca de fundo. Nada, absolutamente nada obriga você a reagir com enfado e mau humor quando os contratempos surgem, essa é uma decisão íntima. Ao mesmo tempo, nada obriga você a reagir de forma sublime, essa também seria uma decisão íntima. Está tudo nas mãos de sua consciência, como sempre, só que também há um clima propício para você não se deixar vencer pelas aparentes adversidades, aproveitando-as para evocar o espírito infantil e brincar, simplesmente brincar de levitar graciosamente no infinito.

Labels:


Tuesday, January 08, 2013

 

Oscar Quiroga - 1831


Reinventando o provérbio

O mundo não começa com nossos nascimentos nem termina com nossas mortes, porém, na prática desconsideramos essa realidade e autorreferimos constantemente todos os processos maiores do que nós mesmos. O discurso eternamente autorreferido, o discurso do Eu, é muito pequeno para compreender o tamanho da Vida. Isso leva a suspeitar que tenhamos entendido mal o conselho oracular "conhece-te a ti mesmo", ou que, talvez, tenha chegado a hora de reinventá-lo, pois na prática e em nome da melhoria do mundo seria melhor aconselhar "conhece em ti o que é maior do que ti mesmo". Dessa forma nos livraríamos de continuar falando em primeira pessoa como se nossos problemas particulares fossem sempre muito maiores e melhores do que os problemas que se referem ao aspecto coletivo de nossa humanidade.

Labels:


Sunday, January 06, 2013

 

Oscar Quiroga - 1830

O esclarecimento

Raras vezes o esclarecimento é bem-vindo, porque em geral as pessoas só buscam confirmações para seus preconceitos.
O esclarecimento, por natureza, só aparece para dissipar as trevas produzidas por conexões mal feitas entre idéias e fatos, mas como inúmeras pessoas se habituaram a construir suas vidas em torno dessas (des)conexões, como poderiam elas se alegrar quando o esclarecimento vem a libertá-las do equívoco?
Todos cultivamos nossos equívocos e nos agarramos freneticamente a esses, só nos diferencia o teor, a medida e o alcance de nossos equívocos.
Não é admirável, por isso, que toda vez que vem o Mensageiro Estelar a nos esclarecer, nós, humanos, o destruímos.
Nem tampouco é admirável que hoje em dia ponhamos palavras na boca do Mensageiro, fazendo com que se pareça a nossa imagem e semelhança.

Labels:


Saturday, January 05, 2013

 

Oscar Quiroga - 1829

O caminho


Quando você constatar que é muito difícil recuperar o fio da meada e verificar onde o sofrimento atual começou, em vez de perder-se tanto que seja impossível reconhecer o que está próximo, respire fundo e suspeite que a temporária impossibilidade de reconhecer onde você caiu vincula sua presença à de tantas outras pessoas que estão na mesma situação. Você não está só, o Sol que iluminará virá do mesmo lugar para todos e nesse momento o coração se inundará de uma paz inefável. Quando? Quando o sofrimento se esgotar, nem antes nem depois. Sua firme vontade de ser livre está misteriosamente vinculada ao amor que você for capaz de oferecer ao mundo, e só no momento em que seus murmúrios lamentosos forem substituídos por orações alegres, você perceberá que tudo esteve sempre aí, que você já estava lá.

Labels:


Friday, January 04, 2013

 

Oscar Quiroga - 1828

Moralismo insano



Quando o tempo e energia gastos em criticar e se desanimar por tudo que está aí no mundo forem substituídos pela persistente boa vontade e esforço para reinventar o mundo, então você terá se tornado um agente da transformação. A empáfia é triste, mas para os que praticam a insolência de se proclamarem inconscientemente guardiões e guardiãs da moral, se dedicando a apontar o dedo em riste e dar sermões, eles e elas se convencem de que fazem a sua parte. Na prática, fazem o contrário do que apregoam, pois com seus moralismos caquéticos só dificultam a reinvenção do mundo. O moralismo é uma tentação sedutora, se investe do fervor da justiça, mas quem for justo mesmo não perde tempo em acusações, sempre pratica o bem e nada mais.

Labels:


Thursday, January 03, 2013

 

Oscar Quiroga - 1827

Um dia peculiar


Hoje é um dia peculiar, no qual se poderá verificar que apesar de as coisas não saírem de acordo com o planejado, mesmo assim isso não será ruim. Agora só falta você cultivar flexibilidade suficiente para que essa condição não afete tão negativamente seu humor que, apesar de as mudanças de rumo serem boas, você não tenha olhos abertos e receptivos o suficiente para aceitar os benefícios, empacando no mau humor. Afirme sua mente na ideia de que a vida será sempre maior do que sua capacidade de compreendê-la e que isso não deve ser visto como algo ameaçador, pois a vida não é algo lá longe; é sua respiração, é o Ser de seu ser e, por isso, a eterna e persistente proteção da Vida é outorgada a todos, às vezes por meios misteriosos e surpreendentes.

Labels:


Wednesday, January 02, 2013

 

Oscar Quiroga - 1826

A História Completa

O desejo humano concebe a diferença entre certo ou errado como um eterno obstáculo.
Em sua dimensão, não há certo ou errado, há apenas o intrincado labirinto de decepções e celebrações.
Parece moralmente incorreto fazer essas afirmações, e talvez o seja.
Porém, o ocultamento da verdade não tem produzido boas coisas, apenas neuroses e recalques que custam muito a nossa humanidade.
Afirmo então, o desejo se coloca, pela sua própria natureza, acima do bem e do mal, além do certo e do errado, ele é um poder em si mesmo, enxerga todo o resto como mera complicação para seu funcionamento.
Esta é a metade da história, a outra metade só consegue enxergar quem já cansou de transitar pelo labirinto de decepções e celebrações e percebeu que o único destino desse é libertar-se do autoritarismo do desejo.

Labels:


Tuesday, January 01, 2013

 

Suposta viagem do homem à Lua em 1969...


Na filmagem, em estúdio, da suposta primeira chegada do homem à Lua em 1969 (sob a direção de Stanley Kubric), aconteceram alguns contratempos. Veja um deles neste vídeo:

http://www.youtube.com/watch?v=JB0EIbnykCo

Labels: , , ,


 

Oscar Quiroga - 1825

Ano-novo

Data estelar: Mercúrio e Netuno em sextil; Lua será Vazia até 15h36

Despreocupe-se! O início deste dia não é uma profecia a respeito de como será seu ano-novo, jogue as condições desagradáveis na conta da combinação da Lua Vazia com a desorientação humana. Seu dia começa oficialmente quando a Lua ingressar no signo de Virgem, às 15h36, horário de verão de Brasília. Nesse momento, se você aprecia o ritual de lançar desejos para se cumprirem durante o ano-novo, será o momento propício para fazer esse exercício. De todo modo, vale a pena lembrar que esta data não é determinante, o ano que se inicia neste momento é artificial, nada há no céu que corrobore ou sustente o início de algo novo. Porém, não há de se subestimar o poder da mente, se você decide a renovação, sustente a ideia, trabalhe nela e a fará acontecer.

Labels:


This page is powered by Blogger. Isn't yours?