Wednesday, December 31, 2014

 

Oscar Quiroga - 2511

Nossas existências


Quem poderia afirmar que sabe sempre o que quer ou que consegue definir com clareza seus sentimentos? Nossas existências são maiores do que nós mesmos, somos a parte que pretende ser o todo, nosso valor consiste nos vínculos que afirmamos e preservamos durante o breve período em que nossas consciências têm a oportunidade de manifestar-se objetivamente sem a ajuda de intermediários, navegando no Infinito e tentando não transparecer a vertigem que sentimos por ter uma vaga ideia da realidade. Amadurecemos e conseguimos saber o que queremos, mas aí carecemos do conhecimento de como o realizaremos, ou de como ser claros na manifestação do que sentimos. Sempre falta algo, é como viver um passo aquém de nós mesmos. Melhor sermos compassivos conosco mesmos e com nossos semelhantes.

Labels:


Tuesday, December 30, 2014

 

Oscar Quiroga - 2510

A realidade é diferente


Sabes a razão de esqueceres as centenas de elogios e acontecimentos benéficos que experimentaste ao passo que te lembras com clareza da única palavra que despedaçou teu coração? É que não reservaste tempo suficiente para agradecer ao Divino por todas as coisas que te fizeram bem, mas te refestelaste em emoções adversas quando a experiência te contrariou. Daqui para frente agradece tudo, o que te agrade e também o que te desagrade, para que haja equilíbrio nas contas existenciais e não incorras no equívoco de participares desse consenso nunca devidamente questionado que afirma o nosso belo planeta ser um lugar de expiação e sofrimento. Observa bem ao teu redor, é imensamente maior o regozijo que a dor, há muito mais elixir de vida do que venenos degradantes. A realidade é diferente.

Labels:


Monday, December 29, 2014

 

Oscar Quiroga - 2509

As tradições


As tradições não são eternas, surgem de necessidades e se estabelecem consensualmente na civilização cumprindo a função que lhes outorga razão de existir. O tempo, porém, é implacável e a necessidade que sustenta as tradições é substituída por outra e, assim, as tradições perdem sua razão de ser, porém não desaparecem com a sincronia que mereceriam, subsistem artificialmente. Esse artifício que as faz existir resulta também em que ao invés de produzirem efeitos benéficos se transformam em propagadoras de dor, sofrimento e crueldade, já que sem cumprir uma função específica passam a ser impostas diante das insistentes contestações que as novas gerações lhes opõem. As rebeliões são sufocadas com crueldade até que um dia vencem, transcendem e estabelecem o início de novas tradições.

Labels:


Sunday, December 28, 2014

 

Oscar Quiroga - 2508

Ser livre


Dia mais, dia menos, irrompe tua vontade de ser livre, de superares todas as limitações, um privilégio que não é exclusivo de super-humanos, mas fruto de disciplina misturada à sabedoria de aproveitar a oportunidade disponível. Tua vontade de ser livre é sagrada, é o que te conduz para acima dos constrangimentos e, ainda que passes a maior parte do tempo dentro dessas condições, em algum momento irromperá tua vontade de ser livre e avançarás com firmeza. Mesmo que sejas a pessoa mais tímida e travada da face da Terra, em algum momento esse impulso irromperá e te abrirás passagem e realizarás alguma façanha que servirá de inspiração para quem, por ventura, estiver aí por perto participando. Na dialética entre o implacável destino e tua liberdade desliza teu ser sem saber de nada.

Labels:


Saturday, December 27, 2014

 

Oscar Quiroga - 2507

Descobertas transcendentais


É possível fazer descobertas transcendentais sem sair do lugar e no meio de situações absolutamente banais, mas precisas adotar a atitude de observar com cuidado e atenção tudo que acontece repetidamente, justamente aquilo que deixas de perceber porque se repete demais. Isso, que te dá a impressão de afastar-te de experiências originais que desfaçam o feitiço do tédio que te obnubila, isso é justamente onde se encerra a oportunidade de te tornares uma alma destra e genial, por descobrir no banal o que é transcendental. Há algo, pelo menos um detalhe que está ao teu redor o tempo inteiro, e que detém esse poder de saíres de tua vida comum para a eternidade. Daqui à eternidade na descoberta transcendental no meio de algo que até desprezas, porque representa um obstáculo para a transcendência.

Labels:


Friday, December 26, 2014

 

Oscar Quiroga - 2506

Fatos da vida


Teu anseio por que tudo seja melhor, maior, mais próximo de tuas visões, por que terias de deixá-lo de lado e render-te a uma realidade mundial aquém? Coragem! O mundo late e morde, mas é de papel, muito frágil, recua temeroso diante da luz de teu coração, sabe seu lugar relativo no infinito Universo. Por isso, teu anseio por que tudo seja maior e melhor não é uma fantasia, é o que esse mundo quer que Tu não confies, porque assim pode continuar te amedrontando e, enquanto isso, é o mundo que teme tua presença. Para que disso não te esqueças o Cosmo conversa contigo através das coincidências, nessas que nenhuma lógica do mundo te ajudaria a explicar, porque subvertem sem piedade todos os conceitos e preconceitos. As coincidências não são dados estatísticos, são fatos da Vida.

Labels:


Thursday, December 25, 2014

 

Oscar Quiroga - 2505

Intervenções estelares


No microcosmo das reuniões familiares ou no da melancolia explícita ou implícita de não havê-las, há respostas para teus dilemas de todos os dias. Aquilo que te perturba repetidamente nos relacionamentos que desenvolves, os papéis que assumes diante das pessoas, o teor dos conflitos, a alegria das concórdias, os pudores, teus temores, tuas pretensões, encontrarás tudo isso deslizando nas conversas e gestos das reuniões familiares, ou em tua mente, por essas não acontecerem. Está dentro e está fora simultaneamente, é pequeno e grande ao mesmo tempo, o que é, o que é? O que está em cima é como o que está embaixo, para que a luz da sincronia resplandeça, e Tu, pelo menos, entendas a dimensão de tudo que experimentas e aproveites o ensejo para ser maior do que ti, libertando-te de ti.

Labels:


Wednesday, December 24, 2014

 

Oscar Quiroga - 2504

Intervenções estelares


Que tudo seja leve num mundo que não é! Que tudo seja feliz num mundo que apequena a cada dia! Que tudo seja o melhor a despeito de haver milhares que pretendem o pior! Nós, humanos, somos capazes de obrar desastres de proporções épicas e, por isso, de tempos em tempos, quando o mínimo de segurança da Vida é ameaçado, então acontecem intervenções cósmicas, nascem entre nós aqueles nós somos, mas não nos atrevemos a ser. Entram em cena os mensageiros estelares, preservadores da coesão do Universo, estimuladores da união, do bem-estar coletivo. Por isso, a despeito dos esforços conjugados de grupos humanos que pretendem o pior, não há como isso resultar em outra coisa que fracasso. Civilizações inteiras desaparecem sob o peso de seus equívocos e a Vida continua em eterna renovação.

Labels:


Tuesday, December 23, 2014

 

Oscar Quiroga - 2503

Sem autorização

Nada te autoriza a falar das experiências alheias e julgá-las, como se Tu pudesses saber mais do que a própria pessoa. E, no entanto, esses dizeres circulam feito fogo no palhar e são uma revoada ensurdecedora de informações que obstruem a clareza do panorama. Melhor seria que não a ouvisses, ou melhor, que tivesses apenas uma palavra lúcida a dizer, uma que atravessasse com firmeza o bloqueio. Faze ouvidos surdos ao que te dizerem, melhor que não emprestes teus ouvidos e mente para circularem fofocas imprestáveis, no fundo teu coração quer clareza, quer ser livre e que todos também sejam livres e felizes. Só isso importa! Então, que agora seja o tempo de dar uma trégua a essas conversas que servem para julgar quem está ausente e não tem como defender-se ou confirmar o que estiver sendo conversado.

Monday, December 22, 2014

 

Oscar Quiroga - 2502

O valor do silêncio


Medirás o valor do silêncio quando tua presença for ultrajada por fofocas, conhecerás também o valor do silêncio quando te observes sob a opressão ou oprimindo alguém para que teus pontos de vista sejam superiores; a palavra final que elude a todos, todos pensam tê-la, mas ninguém a domina, porque está no silêncio. Saberás qual é o verdadeiro valor do silêncio quando te endereçarem e quando tu formulares palavras de distanciamento, de separação, de superioridade de uns sobre outros. Experimentarás que o silêncio é uma necessidade fundamental de muitas formas e todas serão sofridas, mas mesmo assim ainda não terás destreza suficiente para adotar essa sábia condição e te sujeitar a ela. A Vida te conduzirá até o lugar em que tua alma, exausta, não terá mais condição de formular argumento sequer.

Labels:


Sunday, December 21, 2014

 

Oscar Quiroga - 2501

No topo


Contempla agora, do topo em que dominas tua existência tudo que aconteceu, o que apreciaste e o que odiaste; abençoa tudo e suporta a pressão de reconhecer simultaneamente o labirinto onde tua alma está perdida e a experiência de não teres limitação de tempo ou espaço. Entre o eterno e o temporário desliza teu ser em espirais infinitas e infinitesimais simultaneamente, detendo-se aqui e lá para cumprir desígnios invioláveis sem sequer suspeitar esses existirem, tua alma deslizando e deslizando. Há glória e horror envolvidos em cada momento, que é maior e menor do que ti e nunca tens verdadeira certeza de nada, te aterrorizam algumas perspectivas, outras te elevam aos píncaros da glória. E assim passa o tempo e, no fim da vida, ínfimos terão sido os momentos de eternidade.

Labels:


Saturday, December 20, 2014

 

Oscar Quiroga - 2500

As três virtudes


Humildade para reconhecermos qual é nosso lugar relativo no Universo. Coragem para agir de acordo a como as coisas são, dentro de nosso círculo infranqueável de humanidade, que conhece a brutalidade e dela quer distância; humanidade solidária e cooperativa, capaz de inventar países inteiros de bem-estar social. Discernimento para reconhecer quais são os instrumentos disponíveis para isso e desses fazer o melhor. As três virtudes podem aplicar-se às Hierarquias Divinas, mas também às organizações criminosas, porque são elementos cósmicos disponíveis, que nossa humanidade aplica brutalmente quando desprovida de olhos que enxerguem a divindade. Sem o divino que há em nós, somos brutais, criminosos. A única distinção possível entre os humanos é enxergar o divino em tudo.

Labels:


Friday, December 19, 2014

 

Oscar Quiroga - 2499

A utilidade do cansaço


Para alguma coisa serve o cansaço abissal de ter estado vivos em 2014 nestes tristes trópicos onde definham heróis e heroínas, engolidos pelas instituições. Serve para que tenhamos todos um encontro marcado com o silêncio ensurdecedor de reconhecer nossos venenos e também nossas elevações e, no íntimo do coração, optar pela estrela que nos orientará daqui em diante. As respostas do coração são mais rápidas e claras do que as do cérebro, mais demoradas e intrincadas. Aquilo que espontaneamente surgir no primeiro microssegundo diante de uma experiência, essa será a mensagem ensurdecedoramente silenciosa do coração para, logo em seguida, entrarmos no labirinto intrincado do intelecto, que faz e desfaz o acontecimento para convertê-lo em, talvez, algo inexistente.

Labels:


Thursday, December 18, 2014

 

Oscar Quiroga - 2498

Entre o sublime e o labirinto


Àquelas experiências que te elevam e aproximam do sublime opõem-se as que te fazem sentir uma alma perdida num labirinto tão complexo e dinâmico, que não permite domínio; algumas pessoas por aqui e lá dirão que o dominam, mas estão perdidas como quaisquer outras. Há venenos variados que te conectam com o labirinto onde está tudo perdido, porém, há também um elixir, um nutriente que te permite compartilhar consciência com o sublime. Em teu coração está a contínua decisão de onde apoiar tua consciência, esse não é um exercício para amadores, só os seres humanos se atrevem a isso, enquanto os anjos nos observam com distanciamento e desapego, talvez por prudência, para não ser corrompidos como uma vez, dizem as escrituras que não foram escritas, já aconteceu. Entre o sublime e o labirinto.

Labels:


Wednesday, December 17, 2014

 

Oscar Quiroga - 2497

Lua vazia de manhã


Estende ao máximo teu despertar, para que esse seja livre de maus humores e desânimos. Estende teu despertar para que o teu dia comece cheio de graça e despreocupação. Em vez de pular da cama como se já houvesse atraso, faze diferente dessa vez, reserva um momento, após tua higiene e ginástica, para elevar uma oração cheia de regozijo aos deuses de tua preferência, agradecendo por tudo que recebes, pela oportunidade de existires entre o céu e a terra, participando da infinitude do Universo, trazendo para o infinitesimal de teus átomos toda essa glória portentosa. Assim aproveitarás devidamente o período de Lua Vazia da manhã e poderás, depois de findo, tornar teu dia verdadeiramente produtivo, sem obstáculos nem ressentimentos, por tanto ter tentado, mas tão pouco ter conseguido. Tudo em calma.

Labels:


Tuesday, December 16, 2014

 

Pensamento do Dia


"Tudo aquilo que o homem ignora não existe para ele. Por isso o universo de cada um se resume ao tamanho do seu saber"

Albert Einstein

Labels:


 

Oscar Quiroga - 2496

Ser humano


Ser humano é teu círculo infranqueável, por mais que te esforces não conseguirás ser nada além nem nada aquém de humano. Poderias, se quisesses, imaginar que és uma girafa, porém, nenhuma girafa te levaria a sério, não encontrarias lugar na manada. Te resta ser o que és, humano, e tentar sê-lo da melhor forma possível, com toda a complexidade que lhe é inerente, tanta que nem sequer te deixa saber, com certeza, em que consistiria essa humanidade. Fala-se muito do que deveria ser o humano, tenta-se com isso evitar descrever o que o humano é a cada momento, a cada dia da existência, que contradiz abertamente o que acha-se que deveria ser a humanidade. Algo entre o idealismo e a realidade concreta, uma média desses extremos, talvez seja isso a tua humanidade, mas quem poderia afirmá-lo?

Labels:


Monday, December 15, 2014

 

Oscar Quiroga - 2495

Lei


Estamos acostumados a entender que Lei seria aquela instância impositiva e restritiva sem a qual tudo retrocederia à brutalidade, porque dá-se por sabido que assim é o ser humano, um bruto que precisa de repressão para que reste apenas o sutil e elevado que nele houver. Convivemos com esse estado de coisas desde que há História. Porém, do ponto de vista cósmico Lei não é isso, o Universo não restringe, mas dispõe graciosamente campos de expressão que surgem como resposta às diversas necessidades. Tudo que existe é fruto de uma necessidade. Por isso, Lei não é uma instância restritiva, mas a síntese de como as coisas funcionam, como as coisas são. Além da Lei, as coisas e os seres deixam de funcionar, decaem e se dirigem inexoravelmente à destruição, pois não têm capacidade que os capacite.

Labels:


Sunday, December 14, 2014

 

Oscar Quiroga - 2494

Mundo


Ser feliz num mundo feito para a infelicidade, ser inocente num mundo cuja estrutura moral gira em torno da culpa, ser puro num mundo cujas instituições promovem a corrupção, preservar a elevação num mundo que premia a abjeção, sustentar a beleza num mundo que acha melhor exaltar a feiura, ensinar o valor do merecimento num mundo que prefere acomodar bem os que nada fazem para melhorar. A lista é interminável, cada item denuncia que esse mundo em que existimos não serve mais aos nossos propósitos, que é velho demais para acolher as pessoas em que nos transformamos, um mundo que reproduz o antigo apenas porque é velho e protege sua reprodução em vez de aceitar que o que se cria é muito melhor. Esse é o mundo que massacra nossas crianças todos os dias nas escolas.

Labels:


Saturday, December 13, 2014

 

Oscar Quiroga - 2493

Pede e receberás


Nada precisas arrancar com violência da Vida, ela é graciosa e te concede tudo que pretendes, inclusive sem te julgar, mas do ponto de vista humano tuas pretensões podem ser boas ou más. Porém, a Vida não te julga, está disposta a te dar tudo que pretendes, por que então a maltratas e violentas com teu desânimo e mau humor? Tratas a Vida como se fosse tua inimiga, como se fosse difícil, como se te negasse algo. Se algo te falta é porque não soubeste pedi-lo, trabalha com esta certeza, ou porque talvez, no meio da complexidade de tua humanidade, penses que algo desejas, mas no fundo queres o contrário. Isso é comum acontecer na humanidade, somos seres muito complexos e raramente nos conhecemos ao ponto de poder afirmarmos que nossas pretensões são essas que enunciamos e não outras, que ocultamos.

Labels:


Friday, December 12, 2014

 

Oscar Quiroga - 2492

Entusiasmo traidor


De pouco adianta sistematizar tua tristeza e desânimo, tua própria natureza trairá tuas intenções e um dia, que pode ser hoje, despertarás com o entusiasmo fluindo através de ti. Nesse momento farás planos, elaborarás intenções, agirás como se fosse réveillon e tivesses diante de ti um período todo novo para desenvolver tua vida. Ainda que tenhas arraigado muito fundo o desânimo e te deprimas com o estado do mundo e com tua condição, em algum momento isso acontecerá e será real, porque a Vida te permeia e se entremeia em cada átomo de tua constituição, desobedecendo e transgredindo todos os comandos desanimadores que tenhas dado e que tentes sustentar firmemente por efeito de tua vontade, de tua má vontade.

Labels:


Thursday, December 11, 2014

 

Oscar Quiroga - 2491

O mistério da voz silenciosa


Há algo em ti que te sopra ao ouvido íntimo que és alguém especial, alguém que tem algo importante para fazer nesta existência, mas não sabes o que isso seria. Essa voz silenciosa fala isso para todos, mas o impressionante dessa realidade não é o que poderia banalizá-la, por ser ordinária, nada disso. O que impressiona é que essa voz silenciosa fala a todos, mas também se dirige particularmente a cada um, e resulta em cada um de nós sentir-se único, original, uma alma destinada a objetivos grandiosos. É um mistério, como é que uma voz pode falar para todos o mesmo e ainda assim quem a ouvir a percebe como uma sutileza que se endereça particularmente? O mistério da voz silenciosa, se não te motiva a decifrá-la, pelo menos te cativará para que a ouças e a tomes como tua em particular.

Labels:


Wednesday, December 10, 2014

 

Oscar Quiroga - 2490

Relacionamentos


Relacionamentos humanos não são meras expansões da competição genética em que alguns querem ser dominantes para outros serem recessivos. Relacionamentos humanos são dinâmicos e complexos, nunca os mesmos, nunca previsíveis, os humores se nutrem de fontes incalculáveis e se demonstram imprevisíveis. Não há lógica nos relacionamentos humanos, é inútil tentar encontrar-lhes uma matemática que os explique, requer que as almas que os compõem estejam dispostas a fluírem numa dinâmica que as sobreleva, a tolerarem ser menores do que o relacionamento em si, porque esse nunca será a soma das pessoas, será algo diferente e maior. Tentar entender a realidade humana transferindo as observações da química e fisiologia aos subjetivos meandros de suas estruturas, esse é o princípio equivocado do materialismo.

Labels:


Tuesday, December 09, 2014

 

Oscar Quiroga - 2489

De quem são os sentimentos?


Ainda que faças força para isolar-te do mundo e ser uma alma única e original, teus sentimentos nunca serão particularmente teus nem tampouco teus pensamentos. Acontece que não há tua mente, minha mente, a mente dela ou a dele, há apenas a mente, há apenas o espaço unificado onde todos os sentimentos e pensamentos de nossa humanidade e de além dela são registrados e fluem, provindos das profundezas e se disseminando no espaço infinito. Por isso, nem sempre é conveniente que tentes analisar como se fossem teus alguns pensamentos ou sentimentos, esses estão apenas passando por ti e por uma sintonia qualquer se tornam conscientes para depois voltar às profundezas. Que isso te sirva para reconhecer que os sentimentos que produzires também serão sentidos por pessoas que nunca saberão teu nome.

Labels:


Monday, December 08, 2014

 

Oscar Quiroga - 2488

A felicidade é elusiva


A felicidade é elusiva, quando pensas que a encontraste, e que ela é tua, lá estás novamente a vê-la pelas costas, fugindo no meio de conflitos, e ficas aí, num novo encontro com o silêncio de tua solidão, buscando as causas de teu estado lamentável e, claro, não as encontras. A felicidade é elusiva, mas está sempre por aí, te inquieta reconhecê-lo, mas sabes, pressentes que está sempre por aí, bem perto, entremeada nos relacionamentos cheios de discórdia. A felicidade é elusiva, mas já a experimentaste tantas vezes que quando ressurge vem a sensação de que nunca foi embora e que esse é teu lugar, e ao teu lado é o lugar dela. A felicidade é elusiva, mas talvez Tu também o sejas, evitando revelar-te do jeito que és, driblando a oportunidade de ser quem tu verdadeiramente és.

Labels:


Sunday, December 07, 2014

 

Oscar Quiroga - 2487

Lua cheia e vazia


A combinação de Lua Cheia e Vazia é uma condição astrológica que requer cuidado redobrado de tua parte, porque a plenitude de sua condição motiva impulsos e ações, muitas vezes exageradas, enquanto que a sua condição Vazia não te autoriza a elaborares ou te lançares a ações específicas e objetivas. Porém, não é fácil pisar no freio ladeira abaixo, ao contrário, o panorama parece te convidar a que te esqueças da contenção e permitas que teus veículos adquiram velocidade total. Afortunadamente, dessa vez isso acontece durante a primeira parte do domingo, e não te encontrarás em situações muito complexas. Porém, sempre haverá gente por aí em estado desorientado a te instigar reações disparatadas que, te aconselho, melhor seria conter. Observa teus semelhantes e observa tua própria presença.

Labels:


Saturday, December 06, 2014

 

Oscar Quiroga - 2486

O livro do conhecimento


Que o Universo responda a uma inteligência e que, ao que tudo indica, haja uma espécie de plano em andamento não é o mesmo que afirmar que tudo esteja escrito e que, então, nada possa ser feito para mudar o rumo das coisas. Em primeiro lugar, quando falamos de Universo, não se pode cair em simplismos, o assunto é complexo e intrincado, desafia a cada instante nossas certezas e regras. Em segundo lugar, nós que somos a parte observadora que tenta entender o que nos contém, somos ao mesmo tempo observados pelo que tentamos entender e, talvez, o Universo se esforce para nos compreender da mesma forma com que nós tentamos compreender insetos ao observá-los. Enfim, nada dês por sabido, teu conhecimento é um livro que está sendo escrito a cada solitário instante de tua existência.

Labels:


Friday, December 05, 2014

 

Oscar Quiroga - 2485

Tua angústia


Seria impossível angustiar-te senão conhecesses, ou pelo menos pressentisses, haver um panorama abrangente e amplo de possibilidades para ti. Por isso, por trás do estreitamento de teu peito há algo virtuoso, algo que te chama, algo que Tu queres conquistar. Porém, há a distância, há a quase certeza da impossibilidade de seguires por esse caminho e conquistares vitória, essa é a tua angústia. Pois então terás de seguir em frente apesar da angústia e fazer dela o combustível de tua caminhada, já que ela está aí e Tu preferes mantê-la como uma companheira fiel, como uma amante estranha que te açoita e constrange, mas que Tu amas e não podes abandonar. Eu a abandonaria, se estivesse em teu lugar, mas não estou. Então, segue teu caminho, um dia abandonarás a tua angústia.

Labels:


Thursday, December 04, 2014

 

Oscar Quiroga - 2484

Repetições


Aquilo que te negas a conversar é o que te autorizas a repetir indefinidamente, pois sem conversar sobre algo que seja real, o real se repete automaticamente. As pessoas que te amam apontam teus erros, umas talvez o façam porque querem te ofender, outras porque intencionalmente querem te ajudar, outras de puro falastronas, porém, todas representam a perspectiva de teres a oportunidade de deter as repetições, que não te fazem bem. Tu não podes cingir-te ao mesmo personagem para sempre, precisas reinventar-te e isso não seria possível se não conversasses sobre essas questões particulares que começaram a transformar-se em vícios de caráter. Um dia acordarás e perceberás que estás dentro de uma prisão e que os muros dessa são feitos de tuas repetições. Agora podes ir além disso.

Labels:


Wednesday, December 03, 2014

 

Oscar Quiroga - 2483

Sublime


O sublime é sublime porque não despreza o abjeto, mas o compreende. Por isso, quanto te descubras desprezando algo ou alguém, reconhece que te identificas, mas não consegues aceitar essas vibrações em ti, pois te perturbam e preferes rejeitá-las em algo ou alguém que se torne representante do que não consegues aceitar. Transcende teus gostos e desgostos, transita, nem que seja por um instante fugidio, pelo caminho da equanimidade, pois é assim que o sublime Universo te enxerga e é assim que Tu podes identificar a realidade, já que és um fragmento dela. Te parece difícil? É que te apaixonam as diferenças, queres ser maior do que teus semelhantes e odeias sentir-te inferior, mas para o Universo ricos e pobres, belos e feios, nada disso faz a menor diferença. Aspira a ser sublime.

Labels:


Tuesday, December 02, 2014

 

Oscar Quiroga - 2482

Não há "Outros"

Planta flores aromáticas onde crescem as ervas de teu desespero silencioso, oferece compaixão àqueles que supostamente odeias e que, talvez, nem sequer te seja possível lembrar a verdadeira causa de teu ressentimento. Aceita que transitas por entre o céu e a terra na noite escura de tua ignorância, não és capaz de decifrar a esmagadora maioria de tuas percepções, ora te encantas com a vida, ora a desprezas, e na oscilação de tuas incertezas te desesperas, mas imaginas que os outros, os eternos e misteriosos “outros” sejam a causa de teus males. Não há outros, há apenas a unidade da espécie humana da qual Tu és parte integrante, aquilo que fazes e pensas agrega peso ou leveza à tua espécie. Reserva, então, um dia por mês para substituir tudo que te pesa por algo que eleve e enleve.

Labels:


Monday, December 01, 2014

 

Oscar Quiroga - 2481

Compaixão


Conhecer meias-verdades não te autoriza a utilizar todo teu ódio e ressentimento contra aqueles que representam as mentiras que te ofendem. No mundo humano as mentiras são estruturais, o processo de corrupção transcende os corrompidos e corruptores, converteu-se numa entidade institucional que sobreleva os esforços idealistas de superá-la, levará décadas de esforços sistemáticos para erradicá-la. Por isso, tuas demonstrações de ódio ou ressentimento são contraproducentes, porque as pessoas que atacas têm direito de defender-se e, ao fazê-lo, tudo acaba ficando por isso mesmo. Precisas ter compaixão, senão por esses que representam o que odeias, pelo menos por ti, pois também és uma engrenagem das instituições, pagas teus impostos e tentas viver de acordo com a normalidade.

Labels:


This page is powered by Blogger. Isn't yours?