Tuesday, March 09, 2010

 

Oscar Quiroga - 862


AINDA ESTÁ LONGE...


A compreensão mutua entre os humanos não nasce de um dia para outro, são necessários muitos testes, feitos adversidades, para que emerja a confiança e o respeito. Não é casual que na antiguidade se exigisse um longo tempo de reclusão antes de os neófitos ingressarem nas escolas esotéricas. Pitágoras, por exemplo, pedia aos discípulos que ficassem em silêncio durante 5 anos antes de fazer qualquer tipo de pergunta. A incapacidade de permanecer em silêncio, a recusa de aceitar de forma respeitosa as opiniões diferentes e as diversas ameaças inteligentes que se fazem para prevenir as pessoas de se lançarem à aventura do conhecimento, tudo isso denuncia o quanto nossa humanidade está longe ainda de construir uma civilização justa e verdadeira.

Sua única proteção consiste em permanecer com a alma firmemente agarrada aos ideais. Torne irrelevantes as limitações materiais ou as desavenças, mire constantemente na direção dos mais elevados ideais.

Só se pode convencer quem quiser mudar de opinião, o resto é conversa fiada. É interessante que haja opiniões diversas, porque é do mosaico de diferenças que germina a perspectiva de harmonia tão sonhada.

Permita-se o descanso que um sorriso casual oferece, ainda que fique por isso mesmo. Vale a pena aproveitar a eventualidade de uma injeção de ânimo, melhor isso do que insistir em aprofundar-se na encrenca.

Descanso e conforto não devem ser objetivos principais, mas efeitos colaterais da incessante luta pelo progresso. Descanse sempre o mínimo indispensável e não gaste muito em conforto, que gera lassidão e preguiça.

Você não precisa explicar tudo que pretende fazer, mesmo porque grande parte seria inexplicável ainda, é fruto da vontade apenas. Seria melhor ter como objetivo explicar-se através dos fatos e não das palavras.

Nada precisa ser árduo e difícil, mas as coisas se dão assim nos relacionamentos, porque todo mundo quer estar com a razão e ninguém quer ceder. Assim não há como as coisas não serem árduas e difíceis.



Labels:


Comments: Post a Comment

<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?