Monday, July 31, 2017

 

O Portal da Morte


O evento que chamamos morte do corpo físico constitui um portal para uma outra dimensão, uma outra realidade. Abaixo apresento algumas passagens de um livro [1] de Geoffrey Hodson que trata desse assunto.

A aproximação da morte

Estão aqueles que morrem conscientes da aproximação da morte? A resposta é: "Geralmente, não". A falta de suprimento de sangue e, portanto, de oxigênio no cérebro, acarreta a inconsciência, um processo semelhante ao sono. Mesmo que tenha havido sofrimento na proximidade da morte, este sofrimento cessa antes do fim.

O que vemos quando o processo da morte é diretamente observado? À medida que a hora da dissolução se aproxima, vemos as forças vitais sendo retiradas das extremidades e centradas no coração e aí visíveis como uma brilhante luz dourada. Depois disso, a sensação nos membros inferiores é grandemente diminuída. Então, quando a morte fica mais próxima, as forças vitais retiram-se para o meio da cabeça, que é a rede da consciência egoica durante a vida física. 

A pessoa que está morrendo pode estar ou não ainda consciente fisicamente. Se inconsciente, no coma que precede a morte, ela será visível à visão clarividente em seu veículo superfísico. Este veículo é construído de matéria muito mais sutil que o éter e, em linhas gerais, lembra quase exatamente o corpo físico; é, de fato, sua contraparte. Ele difere em aparência do físico, pois a substância com a qual é construído tem luz própria, de modo que brilha como se a luz viesse de seu interior, e é cercado por uma atmosfera visível (aura) como luz em constante mudança de cores. Existe uma ciência de correlação dos estados de consciência com as cores da aura.

O cordão prateado

A aura será visível em torno da pessoa agonizante que, fisicamente inconsciente, está então fora de seu corpo físico e flutuando acima dele, mas a ele ligado por uma corrente de forças que brilham com uma delicada luz prateada. Esta corrente flui entre as cabeças do corpo físico e do superfísico, assim ligando-as. Enquanto continuar fluindo há sempre a possibilidade do despertar físico. Uma vez rompida, o que se dá no momento da morte, não há mais possibilidade de retorno. Quando chega o  exato momento da morte, o cordão prateado rompe-se, e o homem ergue-se como se liberado de uma tração gravitacional.

A vida passada é revista

Em quase todos os casos o homem está inconsciente da morte como está do sono. Ele passa, por assim dizer, com um suspiro, deste mundo para o próximo. Geralmente ele está empenhado num processo de revisão, no qual passam ante seus olhos mentais os acontecimentos da vida que acabou, em perspectiva clara, causas e efeitos, sucessos e seus resultados, omissões e suas consequências, sendo vistos e correlatados. Este processo de revisão é muito importante, pois daí destila-se uma certa sabedoria - o fruto da vida encerrada. É por esta razão que deveríamos mental, emocional e fisicamente ficar quietos  na câmara da morte, de modo que, por excesso de pesar, não venhamos a perturbar o ser amado neste importante processo. Ele está agora vivendo em seu corpo mais sutil, o corpo da emoção, e está, portanto, altamente sensível às forças do pensamento e da emoção. Calmamente e com autocontrole, nossos pensamentos devem ser dirigidos para ele, com amor, com bênçãos e votos de progresso interior nos mundos mais sutis.

O despertar após a morte

Finda a revisão, segue-se geralmente um período de completa inconsciência que pode durar de trinta e seis a quarenta e oito horas, variando com o indivíduo. O despertar ocorre e o falecido, frequentemente ainda inconsciente do que aconteceu, olha ao seu redor. Em quase todos os casos algum amigo ou parente espera-o; ou, se não há ninguém para dar-lhe as boas-vindas, então algum membro do grande grupo dos auxiliares cujo trabalho é receber os recém-chegados, vai ter com ele. Tais auxiliares são membros de um grupo altamente treinado para esta função de dar assistência aos novos que chegam. Com as boas-vindas, explicam a mudança, ajudam para que se estabeleçam tão confortavelmente quanto possível. 

Lá não é uma terra estranha

O mundo para o qual nossos amigos foram, e para o qual iremos, não é uma terra estranha, porque vamos lá todas as noites enquanto nosso corpo físico dorme. O sono foi, com muita propriedade, chamado o irmão gêmeo da morte. Enquanto o corpo físico dorme, ficamos despertos no corpo que usaremos após a morte. Nossos sonhos são, em parte, memórias confusas de nossa vida nesse outro mundo, que trazemos de volta ao acordar. A diferença entre o sono e a morte está no fato de que, no sono, o "cordão prateado", que nos liga ao corpo físico, não é partido. Na morte, o cordão é partido, e como não temos mais laço com o corpo físico, não voltamos mais para ele. O mundo superfísico e o estado de consciência em que se ingressa na morte consistem em duas divisões ou planos da natureza: o emocional ou astral, e o mental. 

Influência do temperamento e do caráter

As condições nas quais uma pessoa se encontra depois da morte dependem grandemente de seu temperamento (e crenças) e da natureza da vida que levou no plano físico. Cada um de nós vê o mundo ao seu redor através das janelas de seu temperamento. O indivíduo amigável e alegre, desperta após a morte num mundo alegre, amigável; enquanto o centrado em si mesmo, pode acordar num mundo um tanto isolado, enfadonho e triste - não que esse mundo seja isolado, mas porque o indivíduo egocêntrico não consegue inspirar nem dar amizade. Felizmente, a dor, o enfado e o isolamento que tais pessoas criaram para si próprias, força-as a mudarem de atitude em relação à vida.

O cientista depois da morte

Os recém-chegados revelam uma tendência a procurar, depois da morte, as formas sublimadas que mais os atraíram na Terra. Assim, o investigador científico, cujo ideal na Terra era a procura da verdade, verifica que pode seguir a verdade lá como o fez aqui. Ele verifica também que suas investigações são muito mais frutíferas porque, deixando o mundo de matéria mais densa, está mais consciente na substância mais sutil, e mais próximo do mundo das causas. É na consciência mais elevada e no mundo das causas que residem a verdade e a compreensão. As forças circulantes, das quais o mundo físico é um produto ilusório, são visíveis como tal no mundo que se segue. Os grandes engenheiros do Logos, os Seres que fazem circular essas forças, operando e administrando os processos e as leis da Natureza - as Hostes Angélicas - podem ser vistas em operação, e o investigador científico encontra-se assim numa região em que seu trabalho é muito mais frutífero do que foi na Terra.

Os negócios deixados para trás

Todos que ingressam na morte verificam que o pensamento é uma força poderosa, potente para afetar a vide de outros, bem como um auxílio para si próprio, se ele a usar devidamente. A vida depois da morte pode, certamente, ser o começo de uma liberdade mais admirável, porque as fatigantes necessidades de negócios que, sem dúvida para nosso próprio bem, mantêm-nos atarefados aqui e tendem a acorrentar nossos pensamentos e emoções às coisas materiais, não mais existem. O ramo da alimentação, por exemplo, embora uma das principais causas dos negócios e do esforço pessoal no plano físico, deixa de ter qualquer importância na vida após a morte, porque toda a nutrição de nossos corpos sutis é automaticamente tirada da atmosfera. Lá, como aqui, o ar é carregado com a força vital de Deus, emanada através do Sol, e contém todo o necessário ao sustento nesse mundo. Todo o processo de sua absorção e assimilação é tão inconsciente como o respirar no plano físico. Consequentemente, o alimento não é uma fonte de atividade comercial. A roupa é feita pelo pensamento. Posto que a matéria do próximo mundo responde instantaneamente ao pensamento, pensar-se vestido é ficar vestido. O transporte não depende do trabalho dos outros. Nos mundos superfísicos nos movemos impulsionados pelo pensamento. Pensar alguém num lugar é deslocar-se para esse lugar. A habitação, a quarta das grandes fontes de negócios e de esforço humano no plano físico é também criada, no mundo vizinho, pelo pensamento. Lá, como aqui, as pessoas se reúnem em casas e cidades que são formas-pensamento. A privacidade é tão necessária na vida após a morte quanto na Terra, mas não um abrigo exigido pelo clima, pois as nossas condições climáticas adversas não se reproduzem lá. 

A vida nos mundos intermediários é transitória

Não há permanência em qualquer dessas condições e estados de consciência. Toda pessoa que morre de morte natural passa pelos mundos da emoção e da mente com velocidades variáveis, até que o centro de vida e de percepção, que estivera encarnado no corpo físico, seja retirado para sua fonte, que é o Ego no Corpo Causal. Há exceções, mas esta é a regra geral, e o tempo gasto no mundo astral após a morte depende muito do grau de espiritualidade ou materialismo no caráter e nos interesses do falecido. O ideal, naturalmente, é passar tão rapidamente quanto possível pelos mundos da emoção e do pensamento analítico para ingressar na beatitude da vida celestial e, mais tarde, na completa reabsorção no Eu Superior.

O amor é imortal

Será que o passamento significa a separação final, ou será que, de algum modo e em algum lugar, nós e aqueles a quem amamos nos encontraremos outra vez? A Teosofia afirma que, seguramente, aqueles que se amam irão se encontrar. Nada - nem a morte, nem o renascimento - pode quebrar os laços do verdadeiro amor. O amor é imortal e é, além de tudo, a mais poderosa força do universo. O encontro é, portanto, assegurado de maneira absoluta a todos aqueles que verdadeiramente amam. Se morrermos, poucos meses após a morte, iremos diretamente à presença do ser amado que nos precedeu.

O suicídio

Certos desvios do normal ocorrem em casos de suicídio e morte súbita e prematura. Quando cometidos por motivos abnegados, depois de passado o choque, que geralmente acompanha a morte súbita, a pessoa se acomoda às novas condições descritas anteriormente. Nesses casos, geralmente não há coma, e não há tempo para a pessoa se reajustar gradualmente às novas condições de vida. Aqueles que tomam suas vidas por motivo de fuga, a fim de escapar de condições inaceitáveis, podem mergulhar em inconsciência imediatamente ao deixar o corpo físico, e assim permanecer até o tempo da morte natural. Eles então despertam e se tornam sujeitos às leis e condições apropriadas. É este fato de despertar só quando o termo natural da vida física teria chegado ao fim que sugere haver um tempo fixado para a morte natural de cada um de nós, dependendo parcialmente de nossa conduta.  A experiência daqueles que cometem o terceiro tipo de suicídio é menos invejável ainda. Grosseiros e sensuais, eles deram fim a sua existência física na plenitude da vida, levados pela paixão do medo. Seus desejos fortes os conservam amarrados à Terra. Eles podem ver a réplica em matéria sutil do plano físico e vivem num meio mundo - entre este e o seguinte. Levados por desejos e paixões que não podem satisfazer, procuram, para seu alívio, entrar em lugares de permissividade sensual no plano físico e tentam unir sua consciência com o dos ébrios e sensuais que por aí vivem. Em tais circunstâncias, pessoas do plano físico sentem intensificação de seus desejos, de modo que o relacionamento, mesmo que ignorem tal coisa, pode lhes ser tão prejudicial quanto para as almas amarradas à Terra que procuram satisfação através deles. O suicídio é sempre um erro. Temporariamente o suicídio resolve certos problemas, é verdade, mas também cria outros novos.

O purgatório

A pessoa que morre presa de um vício autocriado sofre muito após a morte física. Ela está então vivendo em seu corpo emocional e, consequentemente, sentindo seus desejos com uma intensidade que lhe era ainda desconhecida quando a matéria do corpo físico os reduzia ou os abafava. Se existe o Inferno em algum lugar, então é nessa condição de ânsia forte e insatisfeita. O inferno não é um lugar; é um estado de consciência, bem como o é o Céu. Alguém pode estar em qualquer um deles, conforme a condição de sua consciência, onde quer que seu corpo esteja. Este sofrimento não é imposto como uma punição após um julgamento por uma autoridade externa; é algo autogerado, como é todo sofrimento e toda alegria. Ambos "colheitas" automáticas de "semeaduras" anteriores. O sofrimento causado por desejo insatisfeito não é algo permanente. O sofrimento post-mortem, resultante de vício não sobrepujado, dura somente o tempo da energia despendida em sua permissividade continuada. Quando isso se extingue, o homem fica livre e entra na vida normal post-mortem. As condições imediatamente além-túmulo podem ser tomadas como purgatoriais. Não se pode admitir acidentes no sentido usual da palavra. Todas as experiências do homem através do ciclo de vida, que consiste na descida ao nascimento, vida física, morte e ascensão ou retorno são autogeradas segundo a lei de causa e efeito. Não é aceita como possível a mais leve injustiça a qualquer ser humano. O homem é seu próprio legislador, o decretador de seu destino físico. A morte súbita pode causar um choque temporário. Uma catástrofe pode causar pânico. O conhecimento dos erros cometidos na Terra e a voz da consciência podem torturar a mente. Pode haver um vício não neutralizado, obrigações não cumpridas, conflitos psicológicos e complexos não resolvidos, desejos profundos nunca satisfeitos, e estes podem causar e causam sofrimento temporário após a morte. Felizmente há auxílio disponível: auxiliares que recebem, confortam e guiam aqueles que necessitam, e eles encontram na vida depois da morte uma continuação e uma extensão dos serviços que prestavam, ou queriam prestar na Terra.

O soldado depois da morte

Às vezes soldados que são mortos assumem a tarefa de ajudar os recém-chegados e, não raro no princípio, dão atendimento a seus próprios camaradas que vêm logo em seguida. No momento da morte normal, o falecido geralmente se empenha numa revisão de sua vida que se extingue. Na morte súbita, entretanto, não há, em muitos casos, nem revisão, nem pausa para descanso. Um instante apenas separa a consciência neste mundo da consciência no próximo. Conhecimento, faculdade, experiência, poderes adicionais e a oportunidade de satisfazer os desejos e as aspirações da vida precedente, que normalmente seria retardado até o próximo renascimento - estas são algumas das vantagens imediatamente adquiridas pelo soldado morto quando ele aceita o privilégio especial do renascimento imediato. A memória instintiva que surge no raro caso da reencarnação chamada de imediata pode ser bastante clara e detalhada, devido ao fenômeno raro de terem sido conservados os corpos astral e mental da última encarnação (pela renúncia ao período celestial ou Devachan), e não terem sido substituídos por outros novos vomo é o caso normal. Normalmente, o período entre vidas variam de 4 a 2.300 anos (geralmente de 4 a 40 anos no plano astral ou "purgatorial", seguido de zero a 2.300 anos no plano mental ou "celestial"), dependendo principalmente da duração da vida e do estágio evolutivo daquela alma. 

Preparação para a morte

Pode alguém fazer planos para sua vida depois da morte do corpo? Certamente que sim, pois a lei de causa e efeito age da vida no físico para a do superfísico. Cada um de nós, portanto, está contínua e diariamente preparando sua vida depois da morte com seus pensamentos, motivos, sentimentos, palavras e ações. Cada um de nós é um filho imortal de Deus. A morte existe apenas para os olhos que a observam e toca apenas o corpo físico, libertando-nos, em grande parte, do poder de cegar que tem a matéria. 

As vestes da alma

A essência do Eu de alguém é independente da existência física, é distinta do seu invólucro físico temporário. Os sete corpos do ser humano são:
- corpo físico
- duplo etérico
- corpo astral ou emocional
- corpo mental inferior, veículo do pensamento concreto
- corpo mental superior, veículo do pensamento abstrato
- veículo da intuição
- veículo da vontade espiritual

Quando o corpo físico é abandonado, o centro de consciência retira-se rápida ou lentamente, de acordo com a condição do morto, através do mundo intermediário ou astral, para gradualmente se estabelecer no corpo mental, o instrumento do pensamento concreto. Este processo finalmente se encerra e o corpo mental é, por sua vez, descartado e a consciência focalizada integralmente no corpo de luz, o corpo causal, o veículo do intelecto. A personalidade autoconsciente do morto como era na Terra, com seus sentimentos superiores, aspirações, afetos e mesmo predileções, ou antes a essência mais elevada de tudo isso, entra no Devachan. Os sentimentos mais sensuais, os desejos e as tendências da personalidade morta não podem experimentar o Devachan. Eles são deixados para trás flutuando na atmosfera da Terra com o seu veículo, o corpo astral e, à medida que este se desintegra, seus elementos vão voltando às fontes de onde foram tirados para formar o corpo. 

Idéias teosóficas

A Verdade deve ser procurada pelo estudo, pela reflexão, pela pureza de vida, pela devoção aos ideais elevados. A crença deve resultar do estudo ou da intuição individual, e deve repousar em conhecimento, não em afirmativa. Procurar remover a ignorância e não puni-la. A morte é um incidente que se repete numa vida sem fim. Reconhecer o Espírito como a si próprio e a mente e o corpo como seus servos.

Referência:
 [1] Geoffrey Hodson, Através do Portal da Morte, Editora Teosófica, 2013. ISBN: 978-85-7922-095-1. www.editorateosofica.com.br.

Labels: , , , , , , , , , , , , , ,


 

Oscar Quiroga - 3427

Calendários desconectados

Insistir não seria propício num dia como hoje, desistir é mais adequado. Então, tu terás de rever temporariamente teus conceitos sobre o modo de proceder na vida, pois, ainda que a desistência te pareça contrária a tudo que aprendeste, diante do ambiente cósmico em que te movimentas e experimentas ser, qualquer tipo de insistência te complicaria em vez de te favorecer. Não haveria nada de virtuoso nisso. Diante das provocações, desiste. Diante dos obstáculos, desiste. Diante de teus impulsos de fazer tudo dar certo, desiste. Estes te parecerão conselhos estranhos, mas a repetição das mesmas fórmulas todos os dias é, na prática, muito mais estranha ainda, já que o ambiente cósmico não se mede com a cronologia humana. Nossos calendários estão desconectados do ambiente cósmico em que acontecem.

Labels:


Sunday, July 30, 2017

 

Oscar Quiroga - 3426

Luta a favor

Destrói sem piedade tudo que há em ti que tenta te destruir, ataca frontalmente teus medos, teus pudores, tudo que te apequena. Encontra a raiz de teus problemas e arranca as ervas daninhas que consomem os recursos e impedem o florescimento de tuas virtudes. Devora os demônios que sugam teu sangue, amedronta teus medos, que do teu ventre emerja o grito primal. Faz tudo o necessário para voltar à lucidez e, inclusive, por ela perceber que não é necessário estacionares a existência inteira na luta contra o que te apequena, pois, de tanto lutares contra tu corres o risco de te transformar em teus adversários. Teu objetivo principal nessa luta há de ser pragmático e sintético para ganhares tempo e o utilizares para te aproximar do que teus sonhos propõem. Luta a favor, isso sim é viver.

Labels:


Saturday, July 29, 2017

 

Oscar Quiroga - 3425

Instruções e orientações

A experiência humana entre o céu e a terra, diferente do que parece, não se resume a competir por espaço e recursos, mas a consolidar o que é óbvio, conexões mais amplas e sofisticadas que nos permitam operar em conjunto, de forma grupal, e pelo bem comum. Não temos instintos para nos apoiarmos nessa empreitada, temos os pressentimentos que nos instam a abandonarmos o passado instintivo e nos lançarmos a uma aventura cujos resultados futuros estão garantidos pelo próprio funcionamento do Universo, mas que nem isso serve para termos certeza sobre o que fazemos nesse sentido, pois, essas certezas temos de conquistar para enterrar definitivamente o passado instintivo e consolidarmos o futuro intuitivo. Do lado de lá, dos que já passaram por isso e conquistaram, acenam instruções e orientações.

Labels:


Friday, July 28, 2017

 

Oscar Quiroga - 3424

Conexões

Não há nada sequer remotamente parecido com solidão na experiência humana, pois, por sermos humanos estamos todos conectados em nossa humanidade, o reino humano é um único conjunto sofisticado de experiências e manifestação. A eventual solidão que cada um de nós experimentar decorre de impormos condições e regras que, se não forem preenchidas, então não permitimos que ninguém se conecte conosco e tampouco nos permitimos entrar em contato com outrem. A solidão não é inerente à experiência humana, através da mente que consideramos ser nossa exclusivamente, passa o registro do somatório de sensações e imaginações que nossa humanidade formula. Tu tens direito a gostar ou desprezar o que sentes, mas nada podes fazer para não o sentir. Administra tua vida com sabedoria.

Labels:


Thursday, July 27, 2017

 

Oscar Quiroga - 3423

Experiência subjetiva

Para não te estressar inutilmente, procura aproveitar o tempo de Lua Vazia e te exercitar na sagrada ciência da despreocupação. É sagrada porque a despreocupação consiste em te abstrair de quaisquer circunstâncias, favoráveis ou desfavoráveis, para te conectar com a realidade que normalmente negligencias, a de tua alma, a rica experiência subjetiva que acompanha a objetiva. É uma ciência porque se baseia no conhecimento real de que o próprio Universo respira, alternando movimentos que se dirigem à experiência objetiva e outros, que vão ao encontro da subjetiva. Tu também respiras e essa função não é apenas automática, tua mente interfere nela para utilizá-la de ponto de apoio e sobre esse acompanhar de forma lúcida e consciente esses dois movimentos em ti.

Labels:


Wednesday, July 26, 2017

 

Oscar Quiroga - 3422

Considera os princípios básicos

Tu existes porque o reino humano existe. O reino humano existe porque o planeta Terra existe. O planeta Terra existe porque a estrela Sol existe. A estrela Sol existe porque a Galáxia existe. A Galáxia existe porque o Universo existe. Tu podes continuar esse raciocínio em conjuntos infinitamente grandes e infinitesimalmente pequenos para obter uma visão da interdependência de tudo quanto existe. Nada existe sem estar integrado simultaneamente a um conjunto maior e menor de existências. Nada existe objetivamente sem ter uma contrapartida subjetiva também. Se as lutas em que te envolves não levam em consideração estes princípios básicos de como funciona o Universo em que te movimentas e do qual emprestas tua vida, então, sinto dizer, perdes tempo e recursos numa luta vã e inglória.

Labels:


Tuesday, July 25, 2017

 

Oscar Quiroga - 3421

Reino humano

A despeito das divisões que formulas mentalmente sobre teus gostos e desprezos, tudo que existe responde a uma necessidade e, se existe, toma emprestada a vida da mesma fonte que também te faz existir. A despeito de todas as divisões que nossa humanidade inventa, do grande valor outorgado à individualidade, em primeiro lugar somos todos integrados ao reino humano e temos muito mais em comum do que diferenças. O reino humano é um só corpo cósmico composto de uma palheta de tonalidades individuais que seria impossível existir, não fosse pertencerem todas ao mesmo reino da natureza. Por isso, tuas preferências nunca prevalecerão, pois são tonalidades apenas, portanto, temporárias também. Os indivíduos, com suas preferências, passam, mas o reino humano continua existindo.

Labels:


Monday, July 24, 2017

 

Oscar Quiroga - 3420

Justificativas tolas

Em vez de questionar os compromissos que tua má vontade olha com desprezo, te esclarece se o cumprimento desses produzirá benefícios e facilitará tudo para as pessoas com que te relacionas, sejam elas próximas ou distantes, conhecidas ou anônimas. Se assim for, tua má vontade é uma adversária que precisas combater, pois, te induz imaginar que sejas uma alma injustiçada que tem de prestar serviço ao mundo sem receber nada em troca. Na verdade, enquanto formulas essas hipóteses tolas tentas justificar antecipadamente que esse será o comportamento que adotarás, que te tornarás mais um na legião de incautos que se convence de ter nascido apenas para pegar algo do mundo e nada dar em troca. Se essa fosse a verdade e um princípio universal, o mundo, te digo, sequer existiria.

Labels:


Sunday, July 23, 2017

 

Oscar Quiroga - 3419

Enriquecimento e miséria

Apesar da fantasia individual de que nossa visão particular da realidade deva respeitada e isso levar cada pessoa a ter o direito de imaginar o que quiser, na prática havendo tantas opiniões diferentes quanto número de indivíduos existir, na realidade isso não é assim, é completamente possível agrupar as opiniões e visões de mundo, pois, mesmo que ignoremos a realidade de sermos menos individuais do que gostaríamos, e mais grupos consolidados em torno de hábitos e visões, a realidade mais real é essa mesma. Somos grupos, mas ainda não nos atrevemos a funcionar assim, pois, tememos que ao nos congregarmos perderíamos nossa amada individualidade, o que é um equívoco. Pensar menos em nossa sobrevivência e mais no bem comum é o sinal de enriquecimento, enquanto que o pensamento egoísta é miserável.

Labels:


Saturday, July 22, 2017

 

Oscar Quiroga - 3418

Novas armas

Tudo que conquistaste para tua sobrevivência é valioso, mas precisas dar um passo além e te orientar pelo pressentimento que te indica haver algo mais do que o jogo da sobrevivência. Investiga o que está por trás desse pressentimento, não te acomodes no jogo da sobrevivência, pois, sua inércia é tão grande que um dia perceberás que perdeste o precioso tempo da existência sem ter te atrevido a fazer algo maior, para o qual estavas preparado desde o início. Tu não precisas desprezar o que fizeste até aqui, mas tampouco despreza essa voz interior que te instiga a te aventurares à conquista do que, por ser maior do que ti, requer que deponhas as armas com que lutaste pela sobrevivência por longos anos para te munir de outras, novas, com as quais lutarás pela promoção e preservação do bem comum.

Labels:


Friday, July 21, 2017

 

Oscar Quiroga - 3417

A escolha de um lado

Neste subjetivo campo de batalha no qual as forças da inércia se enfrentam com as que lutam para consolidar a conexão com algo maior, teu protagonismo nessa história lendária se dá a todo solitário instante em que precisas tomar decisões e optar entre continuar sendo um "Egonauta" normal ou um ser humano que se ergue com sua própria força de vontade para conquistar o que lhe é merecido. A força numérica da maioria promove que continues tecendo teu destino em torno de tua sobrevivência e conforto, porém, o poder da graça está ao teu dispor, mas te coloca à prova para reconhecer se tens mesmo presença para assumir funções mais sofisticadas que, não sendo ainda apoiadas pela maioria, requerem um nível de coragem enorme para ser assumidas. Não fiques a meio caminho, precisas escolher um lado.

Labels:


Thursday, July 20, 2017

 

Oscar Quiroga - 3416

Ser maior

Se não tivesses tido uma visão de algo maior do que ti, certamente não te cansarias da vida cotidiana destinada à tua sobrevivência, apenas seguirias o fluxo instintivo de nossa humanidade. Porém, em algum momento enxergaste uma conexão de tua presença individual com um conjunto mais amplo e sofisticado de experiências, que nada mais e nada menos é do que o próprio Universo em que te movimentas e de onde se origina teu ser. A visão desapareceu e ficaste tu com a responsabilidade de promover essa conexão com tua força de vontade, pois, ela não se atualizará mais por si só. Ao mesmo tempo tens a inércia das repetições egoístas do dia a dia para administrar, que não superarás nem resolverás te cansando ou a chamando de ilusão. Agora tu és um ser humano resolvido a ser maior do que a natureza te fez.

Labels:


Wednesday, July 19, 2017

 

Oscar Quiroga - 3415

Algo maior

A cooperação, colaboração mútua ou o espírito de equipe, nada disso acontece de forma espontânea entre as pessoas, porque é natural que cada indivíduo faça girar a roda do destino em torno de seus interesses particulares e necessidade de sobrevivência. Ao mesmo tempo, temos todos o pressentimento de pertencermos a algo maior, o que nos leva a buscar vias de conexão com conjuntos maiores, mais amplos e sofisticados de experiência. Essa conquista se desenvolve pela força de vontade e combatendo a inércia de nosso egoísmo, sem, no entanto, considera-la um erro ou simplesmente a reprimindo. A violência da repressão ainda é um resquício da inércia com que nosso Ego prefere fingir que não há nada mais importante do que a sobrevivência. Tu apenas precisas querer ser maior do que ti.

Labels:


Tuesday, July 18, 2017

 

Oscar Quiroga - 3414

Egonautas

É natural que te importes apenas contigo e que não te atrevas a confessar abertamente isso, apesar de ser uma prática normal. Na falta de se poder falar com franqueza sobre isso, como um funcionamento natural de nossa humanidade é que, na busca de algo maior e melhor, acaba-se desprezando e ridicularizando o Ego, como se fosse uma ilusão e tudo que a identidade individual promovesse fosse um erro. Todos, sem exceção, navegamos nas águas autênticas do Ego, somos "Egonautas" e não há nada de errado nisso, é uma expressão natural. Nosso erro consiste em tentar nos apropriarmos de tudo nessa condição, como se a Vida de nossas vidas, a que sustenta e de onde se origina nosso Ego, fosse exclusivamente nossa. Desse erro derivam todas as brutalidades ignorantes e vis que a separatividade do Ego produz.

Labels:


Monday, July 17, 2017

 

Oscar Quiroga - 3413

Egoísmo e bem comum

Da mesma forma com que a visão espiritual não se desenvolve espontaneamente em nossa humanidade, ela precisa ser buscada e conquistada, o mesmo acontece com uma questão básica que é pilar da civilização: o bem comum não é ansiado pelas pessoas de forma natural, ele há de ser buscado e conquistado. Espontaneamente somos todos egoístas, pensamos sempre em nossa sobrevivência e empurramos para um futuro incerto o que pressentimos, que seriamos todos maiores e conquistaríamos o mundo melhor com que sonhamos se nos uníssemos em espírito de grupo e colaboração mútua. Nenhum de nós precisa ser educado para ser egoísta, é só deixar a natureza seguir seu rumo e isso acontecerá. Educação não é reprimir o egoísmo, mas mostrar um valor maior a ser conquistado.

Labels:


Sunday, July 16, 2017

 

Oscar Quiroga - 3412

Princípios e interesses

Resolverás teus conflitos com sabedoria e imparcialidade quando tiveres clareza a respeito dos princípios universais e eternos, sem os quais, tudo o mais viraria um caos. Em muitos momentos, ao contemplar o estado do mundo, tua alma fica constrangida, pois é entristecedor que tudo esteja virado do avesso, que os princípios universais tenham sido substituídos por interesses particulares. Essa é a causa do caos que te constrange e tu precisas tomar uma atitude a esse respeito, encarando todos os conflitos que te acontecem e nos quais te envolves para que tua presença seja defensora dos princípios universais, pois, se tu os proteges, os princípios te protegerão também. Porém, se quiseres te esquecer dos princípios universais e defender apenas teus interesses, terás a maioria a te apoiar.

Labels:


Saturday, July 15, 2017

 

Oscar Quiroga - 3411

Conhece, deseja e age

Os pensamentos surgem do nada e tomam teu ser, não sendo possível te absteres de fazer algo para comprovar, na prática, se tua mente é um catálogo de devaneios ou se algo nela está conectado a uma fonte de onde emanam possibilidades de realização. Em dias assim tu avanças muito mais do que nos incontáveis dias em que ficas pensando demais e fazendo muito menos do que poderias. Enquanto existires neste planeta podes confiar numa regra básica para te orientares; mais vale errares por atrever-te a agir do que te arrependeres depois, por ter feito menos do que terias sido capaz. Tua mente produz ideações, não importa de onde elas provêm. Teu corpo é um instrumento maravilhoso de ação. Os desejos agregam ardor a esse processo. Então; conhece, deseja e age, pois, afinal, estás aqui para isso.

Labels:


Friday, July 14, 2017

 

Oscar Quiroga - 3410

VIVER COM PLENITUDE

A cada dois dias acontece um período de Lua Vazia, sempre de duração variável, pois, esse é calculado de acordo com a posição dos outros planetas do sistema solar. 

Esse período te outorga uma licença para subverteres a agenda objetiva da civilização que te convenceu de experimentares apenas a metade do que te é de direito, enquanto negligencias a outra. 


A experiência subjetiva é tão real quanto a objetiva, só que funciona com outras regras e se mede com outros valores, porém, nada te preparou para ela, tua educação consolidou o movimento de tua consciência na direção da objetividade e deixou sobre ti a responsabilidade de decidires o que fazer com a experiência subjetiva.


A cada período de Lua Vazia tu ganhas uma oportunidade para equilibrar o jogo e viver com plenitude.

Labels:


Thursday, July 13, 2017

 

Oscar Quiroga - 3409

Planeta de ação

Apesar de a voz popular falar através de ti que neste planeta tu estás a aprender com as experiências, esse convencimento continua te consolidando num lugar teórico e, enquanto isso, perdes a oportunidade de tomar atitudes práticas. A única coisa que realmente precisas aprender é que este planeta é um lugar de ação e que tu cumpres uma função prática no Universo, tendo uma serventia nesse, que há de provar-se diante de cada situação e experiência, com tua alma tomando atitudes práticas. Por isso, de nada te abstenhas, te envolve nas experiências, nunca deixes de demonstrar teu valor por meio das ações que empreenderes, pois, mesmo que como resultado dessas te compliques de imediato, isso será preferível à enorme complicação que empurras a um futuro incerto por não fazeres o que podes fazer.

Labels:


Wednesday, July 12, 2017

 

Oscar Quiroga - 3408

Lua vazia e vida subjetiva

A todo momento tu tens de administrar duas experiências simultâneas, a das vidas objetiva e subjetiva. Porém, até agora e pela força numérica do convencimento atual de nossa humanidade, só consideras real a vida objetiva, enquanto as experiências subjetivas são tidas como vagas demais para serem reais. Se a vida subjetiva não fosse uma realidade do Universo em que te movimentas e experimentas ser, tu não precisarias sonhar nem tampouco haveria a enriquecedora imaginação disponível para a usares como instrumento de progresso. Os períodos de Lua Vazia são aqueles em que a experiência subjetiva se sobrepõe à objetiva, mas como resultado do que te expliquei, tu teimas em continuar a agenda normal e isso te provoca desventuras inúteis, que poderias evitar valorizando e reforçando a subjetividade.

Labels:


Tuesday, July 11, 2017

 

Oscar Quiroga - 3407

Princípios universais

Se tua alma for desprovida do conhecimento de certos princípios eternos e universais, naufragará de forma constante diante de quaisquer vicissitudes, já que só te restará o catálogo de verdades relativas para te orientar e, no fim, diante do impasse provocado pela multiplicidade de pontos de vista, acabarás lançando mão do voto democrático e optar pelo que a maioria decidir para tomares uma atitude. A maioria numérica pode ter força de opinião, mas nunca substituirá a verdade embasada em princípios eternos e universais. Pensa bem, seria, por desventura, aceitável a violência contra as crianças, só porque a maioria assim o decidisse? Então! Isso te deve dar a pista de que a verdade não é relativa coisa nenhuma e que tu precisas, o quanto antes, te esclarecer a respeito dos princípios universais.

Labels:


Monday, July 10, 2017

 

Oscar Quiroga - 3406

A falsa relatividade

Nunca resolverás tuas questões vitais com sabedoria se não tiveres em mente e com a maior clareza possível alguns princípios universais e teceres tuas ilações em torno desses. Ainda que pareça moderno e superbacana afirmar que não há verdades absolutas, apenas relativas, pois, cada indivíduo tem direito de ter seu ponto de vista e afirmar que essa seja sua verdade, precisas compreender que não é a modernidade nem estar cheio de pose e atitude o que te ajudará a resolver as questões vitais que se apresentam a ti. A relatividade da verdade te impede enxergar os princípios universais, então, havendo tantas opiniões quanto pessoas, só encontrarás soluções derivadas do que a maioria opina. Cuida, pelo menos, de te aproximar de boas pessoas ou correrás o risco de o crime te parecer normal.

Labels:


Sunday, July 09, 2017

 

Oscar Quiroga - 3405

Beleza sublime e duradoura

Constrói uma beleza duradoura forjando instrumentos de ação eficientes para te abrir passagem no meio do tanto de feiura que o mundo produz. A estética que buscas, porque reconheces merecê-la e participar da grandeza que percebes por trás da aparente desgraça, não será conquistada mediante cosméticas, nem muito menos varrendo para baixo do tapete de tua consciência os vieses sombrios de teu próprio ser. Encara os demônios que habitam em ti, não te intimides, mas mesmo com a alma intimidada continua em frente, esses demônios temem o momento em que deixes de considerá-los forças insuperáveis, eles só podem te assombrar porque tu lhes outorgas esse poder. Sobre essa certeza forja armas imbatíveis e, ao mesmo tempo, tua alma irradiará a beleza sublime de quem é maior do que as circunstâncias.

Labels:


Saturday, July 08, 2017

 

Oscar Quiroga - 3404

A neurose

Tu sabes que há vieses em tua alma que preferes não expor a ninguém, pois, ofendem até tua própria percepção. É desnecessário que te exponhas, mas é fundamental que reconheças esses vieses, que podes chamar de sombras, porque se tu falhas em aceitar que há em ti essas condições, então te munirás de um discurso moralista que atacará e criticará duramente as pessoas que incorporarão nelas o que em ti não queres aceitar. Essa dinâmica faz parte da normalidade estatística, a esmagadora maioria funciona assim e isso tem nome, neurose. Se tu buscas de verdade um mundo melhor no qual existir e um mundo melhor para teus descendentes, então precisas começar fazendo em ti os ajustes para que a neurose não seja a nota dominante de tuas atitudes. O mundo melhor começa com te libertares da neurose.

Labels:


Friday, July 07, 2017

 

Mensagem de Mãe Maria - 15/2017


Amados Filhos,

Que as bênçãos do amor tragam paz aos vossos corpos, mentes e corações.

É tempo de buscar a cura de vossos corpos, desenterrando todas as mágoas do passado, deixando vir à tona todos os fantasmas que rondam silenciosos vossas vidas, não permitindo o exercício do desapego, pela força das lembranças que eles carregam.

É preciso, também, rever vossos pensamentos, retirando o julgamento que os acompanha, para que possais rever vossos conceitos, reconhecendo os preconceitos que não vos permitem exercitar a justiça divina.

Vossas ações, amados, precisam refletir vossos pensamentos e sentimentos, para que possais deixar transparecer vossa verdade, buscando aceitar o fato de que o outro tem o direito de processar a sua própria verdade.

Assim vossos comportamentos poderão revelar a tolerância, tolerância para com o outro, tolerância pela diversidade de pensamentos, tolerância pelas escolhas do outro, por suas ações e omissões.

Tolerância não pode ser confundida com aceitação.

Vossos valores precisam ser preservados, se de fato refletem a vontade de vossa alma, eis que precisais ser livre para pensar, sentir e agir de acordo com vossos corações.

Porém, faz-se mister o exercício do respeito ao outro, e por tudo que ele trás em sua bagagem, para que possais também exigir respeito por tudo que sois.
Só com respeito e tolerância vosso mundo pode mudar.

Sim, sois responsáveis por mudar o mundo, trazendo à tona o novo ser, aquele que caminha despojado já de todos os preconceitos, de todos os sentimentos limitadores, desapegado da falsa realidade do mundo da ilusão, aquele que prega pelo exemplo, que vive e reflete sua verdade, que está sempre pronto para servir, ajudando o outro a se levantar, a encontrar o caminho, a dar valor à simplicidade e à humildade que só os justos de coração conseguem demonstrar.

Este é o novo habitante da Terra que ressurge glorioso, curado de todo limite, dor e sofrimento, o ser que busca a cura, reconhecendo que sem curar as feridas do passado, não há como seguir em frente na estrada escolhida, aquela que devolve a plenitude eis que nela somente a luz se faz presente.

Cura, amados!

A cura só se revela quando a escuridão foi reconhecida e transformada.

Buscai, pois, reconhecer tudo que alimenta o lado escuro em vós.

Fazei da verdade, que reconheceis no pulsar de vossos corações, a arma poderosa que vos impulsiona a solidificar vossa escolha pela luz.

Escolher a luz, todavia, é só o primeiro passo.

É preciso que possais atrair e consolidar a luz em vossas vidas, e isto só é possível através de vossa determinação em mudar o que não serve mais.

É tempo de responder a vós mesmos o que não serve mais em vossas vidas!

A resposta virá clara e cristalina, para que possais agir na busca das mudanças necessárias pautados na certeza que elas, por mais dolorosas que possam parecer, vos devolverão a vida verdadeira, sem falsas ilusões, onde todos têm os mesmos direitos e obrigações, onde o bem estar comum sempre está um passo à frente, onde todos se respeitam porque resgataram a clareza que revela a unidade com o Pai Criador.

Bem amados, a vida aí está para ser vivida em plenitude por todos, e este é o tempo em que todos já resgataram esse direito, mas antes precisam concretizar as transformações necessárias em suas vidas que os levem a se despojar de todo egoísmo, dor e separação que os levou ao fundo do poço e só gerou infelicidade.

Bem amados, que vossas orações alimentem a vontade e determinação de todos os vossos irmãos que ainda não iniciaram o processo de cura em seus corações.

Bem amados, Eu vos deixo agora derramando sobre todos vós as minhas bênçãos e envolvendo a todos no meu manto de proteção, porque Eu Sou Maria, Vossa Mãe.

SP-04-07-2017-Mensagem de Mãe Maria-15 -2017 recebida por Jane M. Ribeiro

Labels:


 

Oscar Quiroga - 3403

Almoço de negócios

Tu não devias misturar conversas de negócios com o horário da alimentação, mas esta atitude sensata está longe de se arraigar na civilização, os almoços e jantares de negócios continuam acontecendo à solta. Se essa mistura acontecesse raramente, daria para aguentar, mas sendo algo que se torna rotina, então crias um problema que se refletirá negativamente na saúde em algum momento do futuro, se é que isso já não está em marcha. Quanto mais nociva é essa mistura quando acontece em períodos de Lua Vazia, que é quando nossa humanidade precisaria se abster de objetivar qualquer coisa que o valha, porque desprovida de suporte estelar. Hoje é um desses dias; se puderes, desmarca teu almoço de negócios; se não puderes, pelo menos comparece sem te apegar aos resultados.

Labels:


Thursday, July 06, 2017

 

Oscar Quiroga - 3402

Tu, que buscas ser melhor

Raramente as opiniões são expressão de perícia, assim como também seria muito estranho que um rumor fosse uma notícia. É importante que faças essas distinções para não perderes tempo com bobagens e, também, para que honres o ardor que te faz sonhar com uma vida menos ordinária. Todo mundo opina, porque intelecto, desejo e corpo propiciam a expressão. Porém, nem todas as pessoas conhecem de verdade o assunto sobre o qual opinam e, as que sabem, se abstêm de opinar até verificarem se isso seria necessário. Ao mesmo tempo, os rumores circulam porque as pessoas se exercitam na atividade de falar, mas não se atrevem a medir a banalidade ordinária dos rumores que passam para frente, com ares de notícias embasadas em pesquisas consistentes. Tu, que buscas ser melhor, não te convém ir nessa onda.

Labels:


Wednesday, July 05, 2017

 

Oscar Quiroga - 3401

Fingidores de talento

Precisas manter a clareza e ter uma ideia sincera ao teu respeito, pois, te esconderes por trás de quaisquer fingimentos ameaça teu projeto de conquistar e sustentar bons relacionamentos, a não ser que, no fundo, tu não pretendas nada além de te relacionar com outros fingidores de talento. Ninguém nasce com qualquer tipo de talento completamente desenvolvido e, inclusive, as poucas pessoas que parecem privilegiadas nesse sentido são as que comem o pão que o diabo amassou durante a infância, porque o mundo adulto não sabe o que fazer com elas. Se tu nasceste neste planeta é porque algum talento tens, só que se encontra em estado potencial e corre o risco de continuar assim se escolhes fingir um talento diferente daquele que é o teu. Tua humanidade é a expressão de potências cosmogônicas.

Labels:


Tuesday, July 04, 2017

 

Oscar Quiroga - 3400

Dilemas

Os dilemas revelam que tu ainda não te tornaste capaz de perceber o fio de Vida que alinhava todas as circunstâncias e que te conecta ao Universo. Com tua mente desprovida dessa percepção, só te resta a perplexidade ao ter de lidar com um cenário onde convivem forças tão contraditórias entre si, e que provocam emoções tão ambíguas, que não consegues chegar a nenhuma conclusão, a não ser tua alma ser açoitada e naufragar num oceano de dilemas. Não admira que queiras tanto descansar, essa condição é desgastante. Porém, o descanso não solucionará, tu tens de ir além da perplexidade e encontrar esse fio de Vida que unifica toda a variedade de experiências numa única e colossal operação, que nada mais e nada menos é do que o Universo em que tu existes, te movimentas e experimentas ser.

Labels:


Monday, July 03, 2017

 

Caim + Abel = Canibal


No Antigo Testamento da Bíblia Sagrada é dito [1] que Adão e Eva tiveram dois filhos, Caim e Abel. Esses nomes não foram dados aleatoriamente, pois sua combinação resulta na palavra canibal. A prática do canibalismo, portanto, é aceita como um sacrifício (sacro+ofício) para contentar um ser não humano (que contenta-se com a morte de seres humanos, portanto não os ama) que passa-se por "deus todo-poderoso", mas que é apenas o ser autointitulado Satã (satanismo) ou Lúcifer.

Esse ser não humano é um ser reptiliano que, em uma passagem da Bíblia, é identificado com o anunnaki Enki, que diz [2] aos seus colegas: "Façamos o homem à nossa imagem, à nossa semelhança" (para ser nosso escravo) [3]. Desde tempos imemoriais são feitos sacrifícios (assassinatos) de seres humanos [4] e de animais (como o famoso "bode expiatório", etc) para aplacar a ira desses "deuses" (seres) não humanos.

O ser humano, aqui no planeta Terra, é uma raça vegetariana [5]. Portanto, se você come carne de qualquer animal estará prestando uma homenagem velada ao canibalismo e ao satanismo. Sendo vegetariano, por que o ser humano presta-se a matar constantemente seu semelhante, algo que não se observa em qualquer outra espécie de animal? Isso é induzido no ser humano por um ser sanguinário  que se passa por Deus, em todas as religiões, mas que é apenas um ser reptiliano que se autointitula Satã/Lúcifer/Baal/etc. A razão é que a raça humana terrena é uma raça híbrida, formada pela mistura genética de uma raça humana pura (linhagem Amélius [6]) e os genes de uma raça reptiliana (linhagem Anunnaki): a parte mais interna do nosso cérebro é o "cérebro reptiliano" (Complexo RX, reptiliano) [7]. Isso deixa nosso cérebro susceptível à influência do cérebro reptiliano de Satã, sedento de sangue humano (e da energia de emoções negativas: medo, ódio, tristeza, estresse, raiva, etc).

Note o apetite deste ser ("deus") sanguinário: 1. Quando Caim e Abel ofertaram seus produtos a "Deus" [8], esse deus preferiu a carne dos animais mortos de Abel que os frutos da terra de Caim. Em seguida, induziu Caim a matar Abel, para jorrar mais sangue para o seu deleite. 2. Moisés disse [9]: "Assim falou o Senhor:- Pela meia-noite passarei pela terra do Egito, e morrerá todo primogênito da terra do Egito, desde o primogênito do faraó, que lhe sucede no trono, até o primogênito da escrava, que está em torno da moenda, e todos os primogênitos dos animais". Que grande banquete de sangue o "Senhor" teve essa noite, não? Você acha que esse "Senhor" (reptiliano Enlil) ama os seres humanos (e os animais)? 

No Novo Testamento da Bíblia Sagrada também existe uma menção muito curiosa de Jesus [10], lembrando (estimulando?) o canibalismo: Durante a ceia tomou Jesus o pão, pronunciou a bênção, partiu-o e deu-o aos discípulos, dizendo: "Tomai, comei, isto é o meu corpo". Segurou depois um cálice, deu graças e passou-lho, dizendo: "Bebei todos dele; porque isto é o meu sangue, o sangue do pacto, derramado por muitos em remissão dos pecados". Nos dias de hoje, isto é simulado com os fiéis comendo o corpo humano, via hóstia, e o  padre bebendo sangue humano, via vinho, durante a Eucaristia da missa.

Referências:
[1] Gênesis 4:1-2. 
[2] Gênesis 1:26 
[3] Zecharia Sitchin, O 12º Planeta, Editora Madras.
[4] https://pt.wikipedia.org/wiki/Sacrif%C3%ADcios_humanos_na_Am%C3%A9rica_pr%C3%A9-colombiana
[5] Gênesis 1:29 : Deus: "Eis, eu vos dou toda a erva que produz semente sobre a superfície inteira da terra, e toda árvore que dá fruto e produz semente; servirão para vós de alimento". 
[6] http://efeito.exillis.com.br/2012/08/a-origem-do-homem-partir-da-linhagem.html. Não posso deixar de fazer uma conexão com a letra de uma antiga canção brasileira: "Amélia é que era a mulher de verdade..."
[7]  http://www.curaeascensao.com.br/curiosidades_arquivos/curiosidades26.html
 http://heliocouto.blogspot.com.br/2012/11/cerebro-reptiliano-i.html
[8] Gênesis 4: 3-8 
[9] Êxodo 11: 4-5
[10] Mateus 26: 26-28 
 Image result for cérebro reptiliano RX

Labels: , , , , ,


 

Oscar Quiroga - 3399

A metade do ano

Metade da unidade de tempo que te serve de referência se esgotou com o início do mês de julho. Talvez ainda nem tenhas te recuperado dos gastos do final do ano passado e já te encontras a meio caminho do próximo. Também estás diante das perspectivas que traçaste para ti quando, com a alma tomada de entusiasmo e motivação, idealizaste para este ano que está em andamento. Quanto, de tudo que pensaste, te atreveste a realizar? Ou será que tua motivação consistia em ansiar que o tempo te fosse generoso e as coisas boas te acontecessem sem que precisasses intervir? Quando chegará o dia em que partas do princípio de que tua alma há de ser protagonista do próprio destino? As circunstâncias são e serão sempre oscilantes, ora boas, ora adversas, mas tua força de vontade há de ser a mesma, firme.

Labels:


Sunday, July 02, 2017

 

Oscar Quiroga - 3398

A Vida de tua vida

Desiste de estar no domínio, essa luta é inglória, tu passarás e daqui nada levarás se não aceitares que não é teu tudo que consideras ser teu poder, mas uma graça que a vida te concede aguardando que a utilizes com dignidade, produzindo beleza, bondade e verdade com tua presença. Observa o resultado de teus atos, o que emana de ti? Que tipo de influência exerces? Que legado deixarás ao mundo? É tua presença enriquecedora para as pessoas com que te relacionas ou, pelo contrário, tudo se torna vil e pequeno com teu toque? Tudo que possuis, todo teu poder, seja esse grande ou pequeno, tudo emana da Vida de tua vida. Ela te outorga a graça de criar teu próprio mundo, que se converterá numa desgraça se não tiveres a dignidade de considerar a origem de teu poder e a ela devolver tudo que te deu.

Labels:


Saturday, July 01, 2017

 

Oscar Quiroga - 3397

Interdependência

Tua busca de independência há de ser pautada pelo conhecimento e aceitação de que dependes muito do que outras pessoas façam e desfaçam. Tua busca de independência será coroada quando aceitares que és interdependente, que não és uma entidade isolada no Universo. O isolamento te empobrece, pois, mesmo que temporariamente te sintas seguro e no domínio de teu pequeno reino, o Universo destruirá essa certeza porque tua presença será inútil e contraproducente. O isolamento te empobrece enquanto a interdependência te enriquece. E não imagines que devas destruir tua individualidade, tu és individual, mas ao mesmo tempo interdependente e enriquecerás na mesma medida em que ampliares e sofisticares essas conexões que verificam que tudo e todos estamos conectados no Universo.

Labels:


This page is powered by Blogger. Isn't yours?