Tuesday, December 25, 2012

 

Oscar Quiroga - 1819


Poder de ver e poder que vê

Amar o semelhante como a nós mesmos é uma lei brutal, não conseguimos sequer imaginar como poderíamos amar aqueles que nossas mentes desprezam, ou porque nos fizeram mal ou simplesmente porque não são de nosso agrado. Isso é assim apenas porque ainda não conseguimos ver o que precisa ser visto, pois confundimos o poder de ver com o Poder que Vê. Amar os semelhantes como a nós mesmos se baseia no reconhecimento de que o Ser não é uma experiência individual, é um único e colossal Ser Cósmico que é através de todas as entidades que compõem o Infinito Universo. Amar os semelhantes como a nós mesmos é a constatação de que o infinito Ser está em todos e em tudo. Isso não podemos enxergar com os olhos de nossa personalidade, que brande o poder de ver. Isso enxergamos com o Poder que Vê através de nossas personalidades.

Labels:


Comments: Post a Comment

<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?