Monday, January 14, 2013

 

Oscar Quiroga - 1837

De lamento em lamento se perde o tempo


Você pode continuar usando sua inteligência para produzir argumentos que expliquem quanto sua vida é miserável e infeliz porque há esses ou aqueles culpados, tanto quanto porque as circunstâncias são todas adversas. Porém, no final do dia, quando sua alma estiver a sós consigo mesma, nesse lusco-fusco entre a vigília e o sono, quando não é possível ceder às manobras maquiadoras do raciocínio lógico, você verá que, sim, há culpados e há adversidades, mas que no centro do palco está sua alma, que decide tudo a todo momento, decide se tornar vítima ou decide se armar contra o mar de adversidades e pela própria vontade lhes dar fim, ou no mínimo, conquistar uma morte digna. De lamento em lamento se perde o tempo que serviria para você, pelo menos, assumir o comando da criatividade que faz de você humano.

Labels:


Comments: Post a Comment

<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?