Wednesday, March 25, 2015

 

Oscar Quiroga - 2590

Nossa importância

Não há a mínima perspectiva de as pessoas se entenderem e entrarem em acordo, pois quando se apaixonam pela discórdia ficam cegas à realidade em que todas estão em comunhão. É insuficiente dizer-lhes que habitamos todos no mesmo planeta e respiramos o mesmo ar ou que o ardor com que uns arvoram razões discordantes dos outros é absolutamente o mesmo. É no discurso que todas desintegram a unidade e se apegam ao diverso, pois cada uma delas sente com plena autoridade ser o centro do Universo e que antes e depois delas nada existiu nem tampouco nada será. Enquanto isso, o tempo, impassível, observa tudo sem preferir ninguém; transformou em pó a Júlio César e aos desconhecidos anônimos que conviveram com ele, ninguém se salva de, um dia, ter de aceitar que não somos assim tão importantes quanto pensamos.

Labels:


Comments: Post a Comment

<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?