Sunday, March 06, 2011

 

A Simbologia do Abdome


A gordura é considerada, sob o prisma metafísico, como um casulo no qual a pessoa se esconde dos medos, aborrecimentos, perdas, raivas, mágoas e insegurança. E quanto mais alguém procura fugir das emoções ou de situações mal resolvidas, tanto mais esse casulo gorduroso lhe envolve o corpo. Este é um mecanismo de defesa que o nosso inconsciente cria para proteger-se daquilo com que o consciente não sabe lidar.

A obesidade revela que a pessoa é imatura no aspecto emocional, ou seja, quando se trata de tomar decisões importantes nos relacionamentos familiares, amorosos e até perante amigos, ela se sente insegura para dizer o que de fato pensa e sente, pois acha que, ao revelar suas mágoas, desejos e frustações, não será compreendida e aumentará, ainda mais, a amargura de alguém ou de si própria. Apega-se com facilidade a coisas e pessoas e tem medo de perdas. Na medida em que sente que pode perder alguém ou algo, desenvolve sua obesidade, seja alimentando-se repetidas vezes, distraidamente, ou gerando, inconscientemente, distúrbios em suas glândulas endócrinas.

O obeso até pensa em fazer mudanças em sua vida, mas o medo e a insegurança do novo o jogam, novamente, para dentro de si mesmo, ou o tornam dependente emocional de alguém. Está sempre na defesa porque é uma pessoa hipersensível e não deixa escapar nada do que lhe dizem ou fazem. Magoa-se com facilidade e dificilmente perdoa. Não se trata aqui, de nível de inteligência, mas de inabilidade para lidar com ela quando o assunto é alma e desapego.

O ventre está localizado no centro de equilíbrio de nosso corpo. Nele temos os órgãos geradores e controladores da eliminação das toxinas: intestinos, bexiga e útero.

A psicologia moderna comprova: pessoas controladoras possuem intestinos presos, pessoas que não se desapegam de pensamentos antigos geram prisão de ventre.

Segundo Sigmund Freud, fundador da psicanálise, a prisão de ventre está relacionada com a libido da criança na fase anal. Ele acreditava que quando uma criança de até dois anos de idade come ou brinca com suas próprias fezes, ela está explorando seu primeiro produto produzido. Se, em lugar de ser tratada com carinho e compreensão por seus pais, ela for severamente repreendida pelo seu ato inocente, ela acabará, inconscientemente, associando o repúdio às suas fezes ao repúdio de tudo aquilo que ela cria, ou seja, amadurecerá levando consigo a sensação de que ela é incapaz de produzir, criar ou desenvolver algo que possa vir a ser aceito pela sociedade. Com certeza a sua agressividade - aqui, no sentido de ousadia ou força interior - estará em baixa, dando lugar às frustações, medos, insegurança, apego, desejo de controle dos outros, dúvidas.

Segundo os orientais, por outro lado, a prisão de ventre é a materialização do medo de perder as coisas, como dinheiro, família, amigos, a pessoa amada.

A bexiga, por sua vez, está associada ao controle das tristezas e das lágrimas, fazendo com que o indivíduo que tem lágrimas contidas mostre mais micção do que o normal.

O útero é controlado pelo estado emocional da mulher. A própria medicina alopática admite que a menstruação dolorosa e muitos casos de abortos naturais são causados pelo desequilíbrio das emoções e até pela própria rejeição da condição materna.

Veja que é no abdome que residem os principais órgãos de eliminação. Sendo assim, o inconsciente, que possui a lógica da correlação, comunica ao cérebro que a pessoa está com excesso de retenção mental e o cérebro cuida para que essa retenção seja também fisiológica, aumentando, consequentemente, o volume das paredes abdominais através da pressão dos órgãos internos.

Mesmo que inexistam prisão de ventre, intestinos presos ou problemas com o útero, haverá a retenção da gordura no abdome, simbolizando emoções e sentimentos aprisionados ou mal resolvidos, seja em relação ao amor, às amizades, ou à parte financeira, especialmente dívidas. Portanto, resolver com coragem e rápido tudo o que permanece arquivado faz com que o abdome se esvazie. Pare de empurrar a vida com a barriga!

No abdome também está localizado o centro umbilical, ou seja, um dos sete chacras do nosso corpo etérico, o manipura, em sânscrito. A característica deste chacra é o poder pessoal e o controle sobre os outros. Pessoas com ênfase nesse chacra dormem de seis a oito horas diárias com o ventre para cima.

O excesso de energia nesse chacra causa estresse e agressões ligadas a uma má administração da vontade, que não encontra medidas para sobrepor-se às forças internas e externas, ou seja, faz o indivíduo passivo quando ele deve reagir e a reagir quando ele deve ser passivo.

Por outro lado, a falta de energia nesse chacra faz surgir pessoas dominadas por emoções, como medos, bloqueios, raivas, repulsas, agressividade, egoísmo, orgulho, intolerância e uma forte tendência a manipular os outros.

É preciso, então, que haja o necessário equilíbrio para a liberação desse chacra, pois só assim a pessoa controlará suas emoções e eliminará o orgulho, o que evitará que se coloque em oposição aos que não pensam como ela.

O centro umbilical, estando equilibrado, torna-se uma energia que leva o indivíduo a se sentir responsável e a dominar seus atos. Está, também, ligado ao sentimento de misericórdia e amor pelos animais, já que a região abdominal é o centro de absorção de todo sentimento egocêntrico e manipulador. Quanto mais você aprisionar pessoas e acontecimentos em seu coração, mais a gordura no abdome reaparecerá. Medos, raivas, rejeições, agressividade nos atos, nos pensamentos e nas palavras mostram que a pessoa não consegue perdoar alguém.

O abdome também simboliza o equilíbrio e a harmonia. Se há descontentamento, críticas ou revolta contra alguém ou com relação a algum fato, acabam surgindo gorduras e doenças nesse local. Quem critica severamente os outros acaba manifestando alguma doença que pode levar a uma cirurgia do abdome, porque criticar os outros é o mesmo que cortá-los.

Toda dúvida arrastada por muito tempo também é uma forma de violação e agressão contra si mesmo e contra o outro, e o inconsciente interpreta como retenção e controle. Em resposta, o cérebro providencia para que haja mais retenção de gorduras na região abdominal, ou aprisiona os órgãos internos nessa parte do corpo.

Todo indivíduo que não possui abdome saliente, por outro lado, mostra determinação, coragem e, intuitivamente, encolhe o abdome depositando força no baixo ventre, cultivando firmeza mental.

Enfim, toda mente rebelde e teimosa, aparentemente passiva ao extremo, que não acolhe com gratidão as pessoas e as coisas e não liberta a vida, provoca o desequilíbrio estético na região abdominal.

Se você pretende modificar o seu corpo para melhor, você deverá aprender a ter a mente dócil, não acomodada, agradecendo a tudo e a todos e a desenvolver, conscientemente, a compreensão da vida. Assuma sua própria vida e pare de culpar os outros pelas suas mágoas e perdas. As pessoas à sua volta são apenas um espelho do nosso emocional e, portanto, respondem com o mesmo nível energético de nossa mente, através de vibrações semelhantes.

Aprenda a perdoar. Perdoar é zerar os acontecimentos passados, as mágoas, as desconfianças e conseguir conviver com o perdoado, amando-o com alegria sincera, sem se preocupar em ser lesado novamente. Apenas liberte as pessoas, lute para conseguir essa desenvoltura espiritual e desapegue-se de tudo e de todos, com carinho.

Mesmo que duas pessoas tenham de se separar, o mais importante é que ambas, não importa os motivos da separação, desejem uma à outra, amorosamente e sem ressentimentos, toda a felicidade do mundo, porque, afinal, como seres humanos elas trocaram experiências úteis entre si.

Tenha sempre em mente que a vida deve fluir livre, assim como os átomos de uma pedra, ainda que em constante movimento, eles mantém seu formato original. Liberte-se, pois, de seus medos e de suas próprias cobranças e pare de querer controlar tudo, devido ao medo de perder ou de se anular.

Coragem é a palavra-chave para a mudança comportamental e física. Portanto, decida ser feliz: abra a janela de seu ventre, deixando tudo e todos voarem livres. Com certeza você se sentirá bem melhor e muito mais elegante.

Fonte: Cristina Cairo, Linguagem do Corpo: Beleza e Saúde - Vol. 2, Editora Mercuryo Novo Tempo, 2001. ISBN 85-7272-149-5.

Labels: , , , , , ,


Comments: Post a Comment

<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?